Problemarizando o eurocentrismo e desconstruindo o racismo por meio de práticas pedagógicas decoloniais e interculturais

  • Odair souza UFSC
  • Elison Antonio Paim

Resumo

O artigo conceitua e problematiza o eurocentrismo derivado da colonialidade (do poder, do saber e dor ser) como gerador do racismo (estrutural e institucional) contra povos africanos, afro-brasileiros e indígenas no Brasil, em todas as esferas sociais, particularmente na escola e propõem a construção de práticas pedagógicas decoloniais e interculturais como possibilidades de desconstrução desse processo. Apresentamos fragmentos da pesquisa A educação para as relações étnicorraciais no ensino de história: memórias e experiências de professoras da educação básica dissertação submetida ao Programa de Pós-Graduação em Ensino de História da Universidade Federal de Santa Catarina. Dialogamos com narrativas de professoras coletadas na forma de entrevistas orais gravadas e depois organizadas na perspectiva metodológica de Walter Benjamin construindo mônadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
18-12-2019
Como Citar
SOUZA, O.; PAIM, E. Problemarizando o eurocentrismo e desconstruindo o racismo por meio de práticas pedagógicas decoloniais e interculturais. Fronteiras: Revista Catarinense de História, n. 34, p. 41-60, 18 dez. 2019.