• Mudança de periodicidade e novidades

    17-01-2022

    Informamos que a partir do ano de 2022, o periódico Fronteiras: Revista Catarinense de História, alocado no OJS da Universidade Federal da Fronteira Sul, publicará seus números no mês inicial de cada semestre, passando a ser publicado nos meses de janeiro e agosto.

    Aproveitamos para comunicar que a Fronteiras: Revista Catarinense de História foi indexada na base da SCOPUS e no Catálogo 2.0 da LATINDEX.

    Além das novidades, a revista passou por uma renovação e está com nova identidade visual. Confira!

    Em breve lançaremos o primeiro número de 2022.

    Saiba mais sobre Mudança de periodicidade e novidades
  • Dossiê n. 40 - 2022/02 – “A História Global e as fronteiras na Antiguidade”

    21-12-2021

    Convidamos autores/as a escreverem textos que abordem fronteiras sociais, geográficas e/ou disciplinares. Por fronteiras sociais, entendemos as múltiplas formas de distinção de gênero, entre ricos e pobres, proprietários e trabalhadores, livres e escravos, enfatizando o aspecto relacional dos atores sociais em suas diversas formas e manifestações. Por fronteiras geográficas, entendemos tanto os espaços limítrofes entre diferentes sociedades (middle grounds) ou de uma sociedade com o espaço não habitado, assentamentos de determinadas sociedades no seio de outras, tais como colônias (cidades inteiras, bairros ou grupos de famílias) ou entrepostos comerciais. Por fronteiras disciplinares, entendemos os espaços de interseção entre as diversas abordagens, como as da História, da Geografia, da Antropologia e Arqueologia, ou mais especificamente, entre Estudos Clássicos, Assiriologia, Egiptologia, Indologia, Sinologia, Estudos Africanos, Arqueologia Brasileira, Arqueologia Pré-Histórica, etc. Por sua natureza, sobretudo nas universidades brasileiras, a História Antiga pode ser um catalisador do trabalho multi/trans/interdisciplinar e verdadeiramente colaborativo, desafiando-nos a repensar as fronteiras entre os campos definidas a posteriori. Nesse sentido, a própria definição de 'antiguidade' precisa ser revisitada e ampliada para além dos recortes tradicionais das sociedades  mediterrânicas ou próximo-orientais. O dossiê se propõe a abrigar textos que discutam as “questões de fronteira” em outras espacialidades, como a Afroeurásia e a América, de acordo com o que cada campo define como sua própria “antiguidade”.

    Saiba mais sobre Dossiê n. 40 - 2022/02 – “A História Global e as fronteiras na Antiguidade”
  • Dossiê n. 39 - 2022/01 - "História Ambiental, Migrações e Globalidades"

    10-03-2021

    A presente proposta receberá artigo, traduções, entrevistas e resenhas que abordem como tema de pesquisa: as (i)migração humanas, vegetais e animais; os processos de colonização; as ações de sustentabilidade e de justiça ambiental; as mudanças climáticas;  as doenças e as relações com o meio natural; as espacialidades (spatial history) - sob uma perspectiva de História Global.

    Saiba mais sobre Dossiê n. 39 - 2022/01 - "História Ambiental, Migrações e Globalidades"
  • Dossiê n. 38 - 2021/02 – " Infâncias, Direitos e vulnerabilidades"

    20-12-2020

    O presente dossiê pretende reunir trabalhos que versem, em perspectiva histórica, sobre experiências, modos de ver e pensar as infâncias, em suas relações com os direitos inerentes a esta fase da vida, bem como às vulnerabilidades a que estão submetidas, igualmente em razão da sua condição de sujeitos em desenvolvimento. Os marcos temporais dos trabalhos devem abarcar o tempo presente, as questões socialmente vivas ou os estratos de tempo que se situam entre o passado e o presente da realidade brasileira.

    Saiba mais sobre Dossiê n. 38 - 2021/02 – " Infâncias, Direitos e vulnerabilidades"
  • Dossiê n. 37 - 2021/01 - Ensino de história em tempos de pandemia

    06-12-2020

    O dossiê procura abrir um espaço de reflexão sobre o "Ensino de história em tempos de pandemia". A conjuntura pandêmica colocou em xeque sociabilidades e ressaltou formas de desigualdades sociais, sentidos existenciais e modos remotos de ensino-aprendizagem na educação básica. É pertinente, empreender análises sobre o tema a partir das práticas e saberes docentes. Serão bem-vindos trabalhos que problematizem o ensino de história a partir de diversos recortes, fontes históricas e objetos relacionados aos recursos digitais e o ensino remoto, os usos do passado e da história diante dos revisionismos e negacionismos, os documentos curriculares, a profissionalização do historiador (a) professor (a) e as especificidades da prática docente, no cenário da pandemia. 

    Proponentes: Cíntia Régia Rodrigues (FURB), Núcia Alexandra Silvia de Oliveira (UDESC) e Yomara Feitosa Caetano de Oliveira Fagionato (UDESC, ANPUH-SC: GT-Ensino de História e Educação)

    Encaminhamento de trabalhos: 01 de maio de 2021

    Avaliação pelos/as pareceristas: 30 de maio de 2020

    Revisão dos trabalhos pelos/as autores/as, com base nos pareceres: 20 de junho

    Publicação: julho de 2021.

     Diretrizes para submissão: https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/FRCH/about/submissions

     

     

    Saiba mais sobre Dossiê n. 37 - 2021/01 - Ensino de história em tempos de pandemia
  • Dossiê n. 36 - 2020/02 – "Direitos humanos, sensibilidades e resistências"

    20-07-2020

    A história como um campo da ciência, desde há muito tempo é alvo de disputas políticas e intelectuais que colocam em xeque um discurso amplamente difundido e que sustentava a existência de uma suposta imparcialidade no ofício do/a historiador/a. No entanto, ao se aproximar de diversas áreas que compõem as Ciências Humanas e Sociais, com intuito de pluralizar seus sujeitos e objetos, a história, e portanto a própria historiografia, viram-se envoltas em problemáticas que as questionavam como campo discursivo neutro, impelindo-as sobre a produção de um tipo de conhecimento marcado pelas posições políticas e ideológicas, que por sua vez, possuem uma forte ancoragem em processos socioculturais do presente que transbordam em subjetividades. Desta intersecção entre história, novos sujeitos, objetos multifacetados e pluralização dos discursos sobre o passado, a temática dos direitos humanos, surge como um campo que convoca historiadores e historiadoras a pensar a produção de sujeitos, os processos de violação e as diversas formas de existência, em seu atravessamento por questões da interculturalidade, identidades, igualdade, equidade, justiça social e representatividade, entre outras, que constroem as concepções atuais de dignidade humana e respeito a diversidade. Este dossiê, de caráter multi e interdisciplinar, acolherá artigos que se debrucem entre as relações da história com os direitos humanos, as sensibilidades e os processos de resistência.

    Organizadores: Prof. Dr. Ismael Gonçalves Alves (UNESC), Prof. Dr. João Henrique Zanelatto (UNESC) e Profa. Dra. Michele Gonçalves Cardoso (UNESC)

    Encaminhamento de trabalhos: até 10 de outubro de 2020. até 25 de outubro de 2020.

    Avaliação pelos/as pareceristas: novembro de 2020.

    Revisão dos trabalhos pelos/as autores/as, com base nos pareceres:  dezembro de 2020.

    Publicação: dezembro de 2020.

    Diretrizes para submissão: https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/FRCH/about/submissions

    Dra. Samira Peruchi Moretto Editora de Fronteiras: Revista Catarinense de História https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/FRCH/index

    Saiba mais sobre Dossiê n. 36 - 2020/02 – "Direitos humanos, sensibilidades e resistências"