Fortalezas abandonadas, saqueadas, redescobertas, restauradas, patrimonializadas: da democratização à pluralização do patrimônio

  • Pedro Mülbersted Pereira Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
  • Elison Antonio Paim Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Resumo

As fortalezas de Anhatomirim, Ratones e Ponta Grossa, localizadas na região da Grande Florianópolis (SC), são bens culturais tombados pelo Sphan (hoje, Iphan) desde 1938, e tutelados pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) desde 1979 e 1991, respectivamente. A UFSC empreendeu uma série de ações para a construção de uma memória histórica acerca do processo de patrimonialização destes bens culturais, que, somado aos usos dados a estes bens, geram adesões e não-adesões em torno do patrimônio. O presente artigo analisa como os agentes sociais envolvidos neste processo construíram uma memória acerca das fortalezas, identificando as estratégias discursivas de alguns destes agentes a partir das suas narrativas em entrevistas, matérias jornalísticas e documentos oficiais produzidos pela UFSC; problematizamos as concepções de história e patrimônio presentes nestes discursos a partir da perspectiva teórica de Walter Benjamin na relação com seus interlocutores, bem como Chagas (2002), Fonseca (2009), Chuva (2009), Pereira e Oriá (2012), Galzerani (2008, 2013) para relacionarmos com o campo do patrimônio no Brasil, a fim de avançarmos no debate da democratização para a pluralização do patrimônio

Biografia do Autor

Pedro Mülbersted Pereira, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Doutorando e mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina; graduado em História pela Universidade Federal de Santa Catarina; é vinculado ao Grupo de Pesquisas Patrimônio, Memória e Educação da (UFSC) e ao Grupo de Pesquisas Rastros (USF)

Elison Antonio Paim, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Doutor em Educação pela Universidade Estadual de Campinas; mestre em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo; graduado em História pela Universidade Federal de Santa Maria. Professor Adjunto da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), lotado no Departamento de Metodologia de Ensino (MEN) do Centro de Educação; Professor Permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE). Vinculado ao Grupo de Pesquisas Patrimônio, Memória e Educação (PAMEDUC – UFSC), ao Grupo de Pesquisas Rastros (USF), e ao Grupo de Pesquisas Kairós (Unicamp).

Publicado
10-01-2019
Como Citar
PEREIRA, P.; PAIM, E. Fortalezas abandonadas, saqueadas, redescobertas, restauradas, patrimonializadas: da democratização à pluralização do patrimônio. Fronteiras: Revista Catarinense de História, n. 32, p. 30-52, 10 jan. 2019.