A regeneração, pela ordem, contra a anarquia:

o léxico político da criação da província Cisplatina (1821-1823)

  • Murilo Dias Winter Universidade Federal do Rio de Janeiro -UFRJ

Resumo

o artigo estuda a linguagem política nos discursos a favor da criação da província Cisplatina. Após a Revolução do Porto, a liberdade de imprensa foi promulgada a todos os domínios de Portugal. Na província Cisplatina, recém-incorporada à órbita do Império português, os primeiros jornais que circulavam faziam uma ampla defensa da causa portuguesa e da criação da própria província, fruto de uma invasão militar iniciada em 1816. Os principais conceitos mobilizados nesta argumentação eram relacionados à Revolução do Porto. O objetivo era afastar os movimentos populares de José Gervásio Artigas, taxados como anárquicos e destacar a regeneração e a ordem lusitanas, que poderiam, igualmente, ser muladas na região. Associava, portanto, as transformações liberais de Portugal com a criação da província Cisplatina e a nova conjuntura política no Rio da Prata.
Palavras-chave: Imprensa, linguagem política, província Cisplatina.

##submission.authorBiography##

Murilo Dias Winter, Universidade Federal do Rio de Janeiro -UFRJ
Mestre em História pela Universidade de Passo Fundo (UPF). Doutorando em História Social na Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGHIS/UFRJ).
Publicado
11-06-2018
Como Citar
WINTER, Murilo Dias. A regeneração, pela ordem, contra a anarquia:. Fronteiras: Revista Catarinense de História, [S.l.], n. 30, p. 77-99, jun. 2018. ISSN 2238-9717. Disponível em: <https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/FRCH/article/view/8193>. Acesso em: 21 ago. 2018.