Memória/identidade Xokó e a decolonização do ensino de História

Resumo

Este texto tem por finalidade contribuir para o ensino de História indígena por lentes decoloniais que procuram tensionar as práticas educativas eurocentradas. Para tal, utilizamos como fontes de pesquisa as músicas autorais do povo Xokó, habitantes da cidade de Porto da Folha – Sergipe, reunidas e digitalizadas por meio do projeto extensionista “A aldeia vai à cidade” desenvolvido na Universidade Tiradentes, em Aracaju. Desta forma, buscamos, aqui, examinar tais músicas na intenção de compreender os sentidos de identidade Xokó e as evidências de sua trajetória. Além disso, tomamos como caminho teórico-metodológico os estudos da Pedagogia Decolonial, que serviram como chave de análise das fontes e possibilitaram o vislumbre de um ensino de História que subverte as práticas educativas conhecidas como convencionais ou tradicionais e protagoniza a memória/identidade do povo indígena em questão. 

 

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
18-12-2019
Como Citar
BARRETO, L. W. DE; OLIVEIRA, V. M.; MESQUITA, I. Memória/identidade Xokó e a decolonização do ensino de História. Fronteiras: Revista Catarinense de História, n. 34, p. 23-40, 18 dez. 2019.