Mulherio na Constituinte (1985-1987)

  • Cintia Lima Crescêncio UFMS
  • Renata Cavazzana da Silva UFMS
Palavras-chave: Jornais feministas, Igualdade de gênero, Constituinte

Resumo

Mulherio (1981-1988), inaugurado em período de abertura política, criado por pesquisadoras da Fundação Carlos Chagas, foi um dos jornais feministas mais longevos no contexto da imprensa alternativa e discutia pautas que visavam construir a igualdade de gênero, bem como sistematizava informações sobre a “condição da mulher” no Brasil. Um dos temas que mobilizou o jornal, e todas as publicações e grupos feministas do período, foi o debate sobre a Constituinte, assunto que foi determinante dos rumos tomados pelo movimento nas décadas seguintes. Nesse sentido, o presente artigo pretende analisar como o Mulherio pautou a máxima, encampada pelo Conselho Nacional dos Direitos da Mulher, da campanha “Constituinte pra valer tem que ter palavra de mulher” em suas páginas em 1985-1987.

Publicado
23-05-2019
Como Citar
CRESCÊNCIO, C.; DA SILVA, R. Mulherio na Constituinte (1985-1987). Fronteiras: Revista Catarinense de História, n. 33, p. 26-44, 23 maio 2019.