Diálogos arriscados : do direito de participação cidadã na patrimonialização ao direito cidadão de aparecer no patrimônio cultural

  • Diego Finder Machado Universidade da Região de Joinville - Univille

Resumo

Frente às demandas recentes por uma participação cidadã mais efetiva em políticas culturais, este artigo busca problematizar as relações entre profissionais e cidadãos comuns em processos de patrimonialização e nos usos e apropriações do patrimônio cultural. Parte-se das premissas de que a participação exige que um diálogo possa existir e de que esse diálogo sempre está sujeito a riscos: o risco de ser mal-entendido, o risco de ser entendido muito claramente e, ainda, o risco de desentendimentos entre as partes. Com base em exemplos de Joinville, Santa Catarina, são discutidos, primeiramente, os riscos de diálogos em situações de participação cidadã em atos de patrimonialização. Na sequência, sugere-se a ideia de que há algo que está para além da participação cidadã quando indivíduos e grupos profanam o patrimônio cultural e, nesse ato, reivindicam para si novos espaços de aparecimento na vida pública da cidade.
Publicado
10-01-2019
Como Citar
MACHADO, Diego Finder. Diálogos arriscados : do direito de participação cidadã na patrimonialização ao direito cidadão de aparecer no patrimônio cultural. Fronteiras: Revista Catarinense de História, [S.l.], n. 32, p. 92-115, jan. 2019. ISSN 2238-9717. Disponível em: <https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/FRCH/article/view/10662>. Acesso em: 17 jan. 2019.