Tombamentos, processos, disputas e tensões nas histórias do patrimônio cultural de Joinville – outras questões para o debate público

  • Giane Maria Souza Universidade Federal de Santa Catarina
  • Cristiano Viana Abrantes Coordenação do Patrimônio Cultural
  • Dietlinde Clara Rothert Coordenação de Patrimônio Cultural (CPC)

Resumo

Este artigo analisa as múltiplas variáveis dos sentidos históricos dos processos de tombamentos e inventariamentos do patrimônio cultural de Joinville, Santa Catarina no conjunto de suas políticas públicas. O texto reflete a criação da Lei Municipal nº1773/1980 que institui a Comissão do Patrimônio Histórico Artístico, Arqueológico e Natural (COMPHAN) e a criação da Fundação Cultural de Joinville (FCJ) em 1982, atual Secretaria de Cultura e Turismo (Secult) e da Coordenação do Patrimônio Cultural (CPC) em 1997 e os processos interrompidos e inacabados de algumas políticas públicas. Analisa a luz do tempo presente, a incumbência legal da CPC e da Secult, considerando os atores, os lugares, os bens culturais e os conceitos de patrimonialização constantemente reconfigurados nestes processos históricos por técnicos, sociedade civil, políticas de gestão, historiadores e investigadores da área. Ao refletir sobre as disputas e tensões no campo patrimonial, evidencia-se distintos interesses da sociedade civil e do Estado, contrastados e mediados por técnicos, gestores e historiadores e deliberados pela COMPHAN. Este artigo, enfim, contribui para a análise técnica e avaliação histórica das políticas públicas como processos inacabados e dinâmicos a partir dos debates promovidos e atualizados no Simpósio Patrimônio Cultural: Representações, Apropriações e Disputas no XVII Encontro Estadual de História da Associação Nacional de História (ANPUH) - Memória, Patrimônio e Democracia.
 

Biografia do Autor

Giane Maria Souza, Universidade Federal de Santa Catarina
Doutoranda em História pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), bolsista do Programa Institucional de Doutorado Sanduíche no Exterior – PDSE/CAPES no ISCTE-IUL – Instituto Universitário de Lisboa. Especialista cultural (museus) da Secretaria de Cultura e Turismo – Coordenação de Patrimônio Cultural (CPC) no Setor de Patrimônio Imaterial. 
Cristiano Viana Abrantes, Coordenação do Patrimônio Cultural
Formado em História pela USP. Possui especialização em História pela USP. É Professor do Colégio Conexão e historiador da Secretaria de Cultura e Turismo – Coordenação de Patrimônio Cultural (CPC) no setor de Patrimônio Material.
Dietlinde Clara Rothert, Coordenação de Patrimônio Cultural (CPC)
Graduada em História pela Fundação Universitária de Joinville (FURJ) - Historiadora e especialista cultural (restauro e conservação) da Secretaria de Cultura e Turismo – Coordenação de Patrimônio Cultural (CPC) no setor de Patrimônio Material .
Publicado
10-01-2019
Como Citar
SOUZA, Giane Maria; ABRANTES, Cristiano Viana; ROTHERT, Dietlinde Clara. Tombamentos, processos, disputas e tensões nas histórias do patrimônio cultural de Joinville – outras questões para o debate público. Fronteiras: Revista Catarinense de História, [S.l.], n. 32, p. 71-91, jan. 2019. ISSN 2238-9717. Disponível em: <https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/FRCH/article/view/10521>. Acesso em: 17 jan. 2019.