Estágio não formal: vivenciando experiências com a Educação Especial

  • Ana Paula Butzen Hendges Universidade Federal da Fronteira Sul
Palavras-chave: Educação Especial; Alimentação Saudável; Educação Ambiental.

Resumo

O presente trabalho tem por objetivo descrever alguns pontos relevantes, observados com a realização do estágio de educação não-formal, este, desenvolvido em uma escola de educação especial mantida pela APAE em uma cidade da região noroeste do estado do Rio Grande do Sul. O estágio realizou-se com a turma da EJA etapa II, nas segundas-feiras e quartas-feiras, onde se ocupava o período diurno vespertino para a realização do mesmo. O tema norteador das atividades realizadas foi “Educação Alimentar e Ambiental”. Discutiu-se a possibilidade de levar algo que motivasse a participação dos estudantes e os levasse a construir o  conhecimento através das atividades propostas, visando à autonomia dos mesmos. O estágio foi realizado nessa instituição por representar um desafio à formação docente e motivar na busca por um maior conhecimento sobre a educação especial e seus desafios, possibilitando melhor posicionamento frente a situações que possam vir a ocorrer no âmbito escolar, tanto nos próximos estágios quanto na atuação profissional. Compreendo que o trabalho desenvolvido na educação especial difere do que é desenvolvido nas escolas de ensino tradicional, e esse desafio me fez refletir constantemente sobre nossas metodologias de ensino, contribuindo significativamente para a minha formação docente.

Publicado
21-11-2019
Como Citar
HENDGES, A. P. Estágio não formal: vivenciando experiências com a Educação Especial. Revista Insignare Scientia - RIS, v. 2, n. 3, p. 21-30, 21 nov. 2019.