Programa Saúde Auditiva do Escolar: Uma integração entre pesquisa e extensão

Palavras-chave: Transtornos da Audição, Estudantes, Educação em Saúde, Prevenção Primária

Resumo

A audição é um dos sentidos mais significativos para a comunicação humana, de tal maneira que a sua ausência acarreta efeitos negativos no bem-estar e na qualidade de vida da população envolvida. Diante desse contexto, esse estudo teve como objetivo relatar a experiência das atividades de pesquisa e de extensão desenvolvidas no Programa Saúde Auditiva do Escolar (PSAE), voltadas à educação em saúde auditiva. Foram realizados testes auditivos em uma comunidade escolar e verificadas as alterações auditivas mais prevalentes nessa população. Os principais achados foram obstrução de orelhas por cerume e relato do uso frequente de fones de ouvido. Os resultados encontrados contribuíram para a realização da ação de extensão “Ouvir por toda a vida: Dia Mundial da Audição 2020”, durante a qual foram realizadas quatro atividades por meio de recursos didáticos e lúdicos com essa população, sendo elas (1) “higienização das orelhas”, (2) “mapa do barulho”, (3) avaliação da intensidade do fone de ouvido com o auxílio da “Cocleannny”, (4) roda de conversa com os escolares com o auxílio da “Alexa” (personagem virtual) e (5) roda de conversa com os professores, sobre os problemas mais frequentes detectados. Todas as atividades apresentaram bons resultados, além de engajamento por parte da comunidade escolar, contribuindo para que os escolares possam tomar decisões mais adequadas quanto aos hábitos deletérios antes praticados: excessiva utilização do fone de ouvido e ruído durante as aulas.

Palavras-chave: Transtornos da Audição; Estudantes; Educação em Saúde; Prevenção Primária

School Auditory Health Program: an integration between research and extension

Abstract: Hearing is one of the most significant meanings for human communication, so that its absence has adverse effects on the well-being and quality of life of the population involved. Given this context, this study aimed to report the experience of research and extension activities developed in the School Auditory Health Program (SAHP), focused on hearing health education. Hearing tests were carried out in a school community, and the most prevalent hearing disorders in this population were verified. The main findings were ear obstruction by cerumen and self-report of the frequent use of headphones. The results found contributed to the implementation of the extension action “Listening for life: World Hearing Day 2020”, during which four interactive activities were carried out through didactic and ludic resources with this population, which are (1) “ear cleaning,” (2) “noise map,” (3) earphone intensity assessment with the help of “Cocleanny,” (4) conversation with students with the help of the virtual character “Alexa” and (5) conversation with the teachers, all aiming to reduce the most frequent problems detected. All activities showed promising results and engagement by the school community, helping the students make more appropriate decisions regarding the harmful habits previously practiced, e. g. excessive use of the headset and noise during classes.

Keywords: Hearing Disorders; Students; Health Education; Primary Prevention

Biografia do Autor

Thainá Ruth França de Farias, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Graduanda do curso de Fonoaudiologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN - RN. Bolsista de Iniciação Científica, Propesq, UFRN. Pesquisadora do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde, LAIS, UFRN-RN. 

Aryelly Dayane da Silva Nunes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN - RN. Pesquisadora do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde - LAIS, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN - RN. 

Victor Vasconcelos de Barros, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Mestrando do Programa Associado de Pós-Graduação em Fonoaudiologia entre Universidade Federal da Paraíba e Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN - RN. Pesquisador do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde - LAIS, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN- RN. 

Aline Roberta da Silva Xavier, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Graduanda do curso de Fonoaudiologia, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN - RN. Bolsista de Extensão, PROEX, UFRN, RN. Pesquisadora do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde - LAIS, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN - RN. 

Pierre Andrade Freire, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Mestrando do Programa de Pós-graduação em Gestão e Inovação em Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN - RN.

Ricardo Fernando Arrais, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Professor Associado do Departamento de Pediatria, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN - RN. Professor do Programa de Pós-Graduação em Gestão e Inovação em Saúde, UFRN-RN. Pesquisador do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde - LAIS, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN - RN. 

Isabelle Ribeiro Barbosa, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Professora da Faculdade de Ciências da Saúde do Trairí  (FACISA), Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN - RN. Professor do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN-RN. 

King Chung, Northern Illinois University

Professora do College of Health and Human Sciences, Northern Illinois University, Illinois, Estados Unidos da América. 

Sheila Andreoli Balen, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Professora Associada do Departamento de Fonoaudiologia e do Programa Associado de Pós-Graduação em Fonoaudiologia entre Universidade Federal da Paraíba e Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN - RN. Pesquisadora do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde- LAIS, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN- RN. 

Referências

American Speech-Language-Hearing Association (2015). Effects of hearing loss on development. [S. l.]: ASHA. Recuperado de https://www.asha.org/siteassets/uploadedFiles/AIS-Hearing-Loss-Development-Effects.pdf

Ávila, F. P. (2017). Inclusão de pessoas com deficiência auditiva no ensino superior: Um relato de experiência (Trabalho de Conclusão de Curso). Universidade Federal do Pampa, Jaguarão, Brasil. Recuperado de http://dspace.unipampa.edu.br/handle/riu/2361

Bourdieu, P. (1974). A economia das trocas simbólicas (p. 58). São Paulo: Perspectiva.

Brito, E. A. (2016). Saberes e práticas de enfermeiros da Estratégia Saúde da Família sobre o consumo de álcool e outras drogas por pessoas idosas (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Piauí, Teresina, Brasil. Recuperado de https://repositorio.ufpi.br/xmlui/handle/123456789/713

Chandler, J. R. (1964). Partial occlusion of the external auditory meatus: Its effect upon air and bone conduction hearing acuity. The Laryngoscope, 74(1), 22-54.

Colella-Santos, M. F., Bragato, G. R., Martins, P. M. F., & Dias, A. B. (2009). Triagem auditiva em escolares de 5 a 10 anos. Revista CEFAC, 11(4), 644-653.

Correia, R. B. F., & Coelho, J. M. S. (2012). Ações em saúde auditiva escolar no município de Sobral-CE: Percepção de fonoaudiólogos. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, 25(2), 228-234.

Couto, A. N., Kleinpaul, W. V., Borfe, L., Vargas, S. C., Pohl, H. H., & Krug, S. B. F. (2016) O ambiente escolar e as ações de promoção da saúde. Cinergis, 17(1), 378-383.

Dreossi, R. C. F., & Momensohn-Santos, T. O. (2005) Ruído e sua interferência sobre estudantes em uma sala de aula: Revisão de literatura. Pró-Fono Revista de Atualização Científica, 17(2), 251-258.

Farias, V. V., Camboim, E. D., Azevedo, M. F. D., & Marques, L. R. (2012). Ocorrência de falhas na triagem auditiva em escolares. Revista CEFAC, 14(6), 1090-1095.

Fazito, L. T., Lamounier, J. A., Godinho, R. N., & Melo, M. D. C. B. D. (2008). Triagem auditiva neonatal e o diagnóstico precoce das deficiências auditivas na criança. Revista Médica de Minas Gerais, 18, 61-66.

Fernandes, L. V. S.; Medeiros, I. S.; Paz, M. C. P.; Araújo, P. V., & Pessoa, V. S. A. (2018). Atitudes frente ao ruído no ambiente escolar: Uma análise com estudantes do ensino médio. In Atena Editora. (Org.). Políticas Públicas na Educação Brasileira: Formação de Professores e a Condição do Trabalho Docente. (pp. 54-66). 8 ed. Ponta Grossa, PR: Atena Editora.

Forns, J., Dadvand, P., Foraster, M., Alvarez-Pedrerol, M., Rivas, I., López-Vicente, M., ... & Grellier, J. (2016). Traffic-related air pollution, noise at school, and behavioral problems in Barcelona schoolchildren: A cross-sectional study. Environmental Health Perspectives, 124(4), 529-535.

Freitas, G. R., Maranhão, T. L. G., & Félix, W. M. (2017). A Deficiência Auditiva e a possibilidade de inclusão no mercado de trabalho. ID online Revista Multidisciplinar e de Psicologia, 11(34), 184-218.

Lacerda, A. B. M. (2015). Audição no contexto da educação: Práticas voltadas à promoção e à prevenção. In E. M. Boéchat, P. L. Menezes, C. M. Couto, A. C. F. Frizzo, R. C. Scharlach, & A. R. T. Anastasio (Eds.) Tratado de Audiologia. (pp. 414-424). Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

Lacerda, A. B. M. D., Soares, V. M. N., Goncalves, C. G. D. O., Lopes, F. C., & Testoni, R. (2013). Oficinas educativas como estratégia de promoção da saúde auditiva do adolescente: Estudo exploratório. Audiology-Communication Research, 18(2), 85-92.

Libardi, A., Cláudia, G. D. O., Vieira, T. P., Silverio, K. C., Rossi, D., & Penteado, R. Z. (2006). O ruído em sala de aula e a percepção dos professores de uma escola de ensino fundamental de Piracicaba. Distúrbios da Comunicação, 18(2), 167-178.

Manchaiah, V. K., & Stephens, D. (2013). Perspectives on defining ‘hearing loss’ and its consequences. Hearing, Balance and Communication, 11(1), 6-16.

Marques, A. P. C., Miranda Filho, A. L., & Monteiro, G. T. R. (2015). Prevalência de perda auditiva em adolescentes e adultos jovens decorrentes de exposição a ruído social: Meta-análise. Revista CEFAC, 17(6), 2056-2064.

Martin, G.Y., Martin, W.H., Mink, D.M., & Finan, D. (S. d.) The Jolene Cookbook© - Instruction Guide, Version 3.1. Dangerous decibels. Recuperado de http://dangerousdecibels.org/jolene/cookbook/

Mendonça, J. E., & Lemos, S. M. A. (2011). Promoção da saúde e ações fonoaudiológicas em educação infantil. Revista CEFAC, 13(6), 1017-1030.

Ministério da Saúde, Ministério da Educação. (S. d.). Promoção da Saúde Auditiva. Recuperado de http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/documentos/pse/orientacao_geral_saude_auditiva.pdf

Nunes, A. D. S. (2018). Prevalência de perda auditiva e fatores associados em escolares da rede pública municipal de Natal/RN (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Brasil. Recuperado de https://repositorio.ufrn.br/handle/123456789/26006

Oliveira, D. D. S., Zamboni, M., da Silva Quevedo, L., & Daroit, L. (2018). A influência da música amplificada no perfil auditivo de estudantes de ensino médio. Distúrbios da Comunicação, 30(3), 522-533.

Organização Mundial da Saúde (OMS). (2020). World hearing day 2020: Hearing for life. Genebra: Organização Mundial da Saúde (WHO). Recuperado de https://www.who.int/news-room/events/detail/2020/03/03/default-calendar/world-hearing-day-2020-hearing-for-life

Organização Mundial de Saúde (OMS). (2016). Childhood Hearing Loss. Genebra: Organização Mundial da Saúde (WHO). Recuperado de https://www.who.int/pbd/deafness/world-hearing-day/WHD2016_Brochure_EN_2.pdf?ua=1

Organização Mundial de Saúde (OMS). (2018). WHO global estimates on prevalence of hearing loss. Genebra: Organização Mundial da Saúde (WHO). Recuperado de https://www.who.int/deafness/estimates/en/

Ramos, M. Y. (2017). Internacionalização da pós-graduação no Brasil: Lógica e mecanismos. Educação e Pesquisa, 44(0), 1-22.

Rodrigues, A. T., Bertin, V., Vitor, L. G. V., & Fujisawa, D. S. (2014). Crianças com e sem deficiência auditiva: O equilíbrio na fase escolar. Revista Brasileira de Educação Especial, 20(2), 169-178.

Santos, J. F., Seligman, L., & Tochetto, T. M. (2012). Conforto acústico na percepção de escolares alfabetizados. Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, 17(3), 254-259.

Santos, J. H. S., Rocha, B. F., & Passaglio, K. T. (2016). Extensão universitária e formação no ensino superior. Revista Brasileira de Extensão Universitária, 7(1), 23-28.

Silva, S. S. L. (2018). Principais patologias laríngeas em professores. Distúrbios da Comunicação, 30(4), 767-775.

Schwartz, S. R., Magit, A. E., Rosenfeld, R. M., Ballachanda, B. B., Hackell, J. M., Krouse, H. J., ... & Walsh, S. (2017). Clinical practice guideline (update): Earwax (cerumen impaction). Otolaryngology–Head and Neck Surgery, 156(1), 1-29.

Sobel, J., & Meikle, M. (2008). Applying health behavior theory to hearing-conservation interventions. Seminars in Hearing, 29(1), 81-89.

Tamanini, D., Ramos, N., Dutra, L. V., & Bassanesi, H. J. C. (2015). Triagem auditiva escolar: Identificação de alterações auditivas em crianças do primeiro ano do ensino fundamental. Revista CEFAC, 17(5), 1403-1414.

Publicado
30-04-2021
Como Citar
FARIAS, T.; NUNES, A.; BARROS, V.; XAVIER, A.; FREIRE, P.; ARRAIS, R.; BARBOSA, I.; CHUNG, K.; BALEN, S. Programa Saúde Auditiva do Escolar: Uma integração entre pesquisa e extensão. Revista Brasileira de Extensão Universitária, v. 12, n. 2, p. 135-146, 30 abr. 2021.
Seção
Artigos