A microbiologia e a extensão universitária

  • Belize Rodrigues Leite Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Patricia Valente Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Ensino de microbiologia, Educação, Saúde, Ambiente

Resumo

Conhecimentos sobre Microbiologia promovem o cuidado pessoal, para com a saúde e o meio ambiente. Isso contribui, em uma perspectiva mais ampla, para a formação de seres mais conscientes de sua realidade. A extensão configura-se como uma das finalidades da Universidade, por meio da qual institui práticas cidadãs de pesquisa e ensino direcionadas à comunidade em geral. O presente estudo teve como objetivo analisar o perfil das ações de extensão universitária que abordam temas da Microbiologia, baseando-se na produção científica nacional das últimas duas décadas. Tais ações de extensão foram encontradas em 109 publicações deste período. Predominaram ações na área da Microbiologia Clínica (40/109), destacando-se temas como Educação e Promoção da saúde (32/109 e 22/109, respectivamente). Entre as doenças abordadas nestas ações, as Viroses (13/109) foram preponderantes frente às Parasitoses (3/109) e as Micoses (2/109). O ensino também tem sido o foco das ações de extensão em Microbiologia, uma vez que a maior parte delas desenvolveu ou aprimorou Práticas educativas (29/109), atendendo majoritariamente ao público escolar (42%). As universidades públicas participam massivamente destas ações, representando 91% das iniciativas. As informações geradas retornaram aos participantes em 74% das ações analisadas, demonstrando a importância da extensão para veicular conhecimentos científicos em diferentes públicos. Este estudo pode contribuir para que as ações voltadas à Microbiologia cresçam, se fortaleçam e aumentem ainda mais a sua significância social.

Palavras-chave: Ensino de microbiologia; Educação; Saúde; Ambiente

The microbiology and the university extension

Abstract: Knowledge about Microbiology promotes personal and health care, in addition to the care for the environment. This knowledge contributes, in a broader perspective, to the formation of beings more aware of their reality. One of the purposes of the University, the extension is the set of research and teaching practices directed to the community in general. This study aimed to analyze the profile of university extension actions involving Microbiology themes, based on the national scientific production of the last two decades. These extension actions were found in 109 publications of this period. Actions in the ​​Clinical Microbiology area predominated (40/109), highlighting topics such as Education and Health Promotion (32/109 and 22/109, respectively). Among the diseases addressed in these actions, Viruses (13/109) were preponderant against Parasitic infections (3/109) and Mycoses (2/109). Teaching has also been the focus of extension actions in Microbiology, since most of them have developed or improved educational practices (29/109), supporting mainly the students (42%). Public universities participate massively in these actions, representing 91% of initiatives. The information generated returned to the participants in 74% of the actions analyzed, demonstrating the importance of extension to convey scientific knowledge in different audiences. This study may contribute to the actions aimed at Microbiology to grow, strengthen, and further increase their social significance.

Keywords: Microbiology teaching; Education; Health; Environment

Referências

Anthony, S. J., Epstein, J. H., Murray, K. A., Navarrete-Macias, I., Zambrana-Torrelio, C. M., Solovyov, A., & Hosseini, P. (2013). A strategy to estimate unknown viral diversity in mammals. MBio, 4(5), e00598-13.

Barbosa, F. H., & Barbosa, L. P. J. L. (2010). Alternativas metodológicas em microbiologia: Viabilizando atividades práticas. Revista de Biologia e Ciências da Terra, 10(2): 134-143.

Secretaria de Educação Fundamental. Brasil. (1997). Parâmetros Curriculares Nacionais: Primeiro e segundo ciclos: Meio ambiente, saúde. Brasília: MEC/SEF.

Buss, P. M. (2003). Uma introdução ao conceito de promoção da saúde. In D. Czeresnia, & C. M. de Freitas (Eds.), Promoção da saúde: Conceitos, reflexões, tendências. (pp. 15-38). Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ.

Candeias, N. M. F. (1997). Conceitos de educação e de promoção em saúde: Mudanças individuais e mudanças organizacionais. Revista de Saúde Pública, 31, 209-213.

Carvalho, A. M. P. (2005). Introduzindo os alunos no universo das ciências. In J. Werthein, & C. Da Cunha (Eds.), Educação científica e desenvolvimento: O que pensam os cientistas. (pp. 61-67). Brasília: UNESCO, Instituto Sangari.

Chauí. M. (2001). Escritos sobre a universidade. São Paulo: UNESP.

Da Fonseca, A. G., Bessa, A. B., & De Souza Brito, T. N. (2011). Ações educativas para técnicos e auxiliares de laboratório de análises clínicas. Revista Extensão & Sociedade, 5(3).

Da Silva, F. S., Batista Filho, R. C., & De Sá Júnior, L. A. (2011). Oficinas de saúde preventiva nas escolas abertas de Natal/RN. Revista Extensão & Sociedade, 5(3).

Da Silva, L. M., Da Rosa, M. C., Andersen, L. D. U., & Vieira-Da-Motta, O. (2017). Vulnerabilidade sanitária e resistência microbiana: Sua implicação na qualidade de vida dos assentados rurais no Norte e Noroeste Fluminense. Revista de Extensão da UENF, 3(1), 79-92.

De Carvalho, I. T. (2010). Microbiologia Básica. Recife: EDUFRPE. Recuperado de http://pronatec.ifpr.edu.br/wp-content/uploads/2013/06/Microbiologia_Basica.pdf

De Magalhães Bastos, J. R., Camargo, L. M. A., De Castro, R. F. M., & Da Silva, R. H. A. (2010). Projeto de melhoria de saúde bucal realizado em região amazônica (Monte Negro, RO). Revista de Cultura e Extensão USP, 3, 43-48.

Dos Santos, D. C. M., Da Silva, A. P. L., Da Costa, I. A. S., & De Andrade Souza, G. P. V. (2017). Interação universidade-escola: Uso de jogos didáticos para conhecer e prevenir o Aedes aegypti. Revista Extensão & Sociedade, 8(1), 57-68.

Fagundes, J. (1986). Universidade e compromisso social: Extensão, limites e perspectivas. Campinas: UNICAMP.

Farias, A. L. N., Schirmer De Mattos, J. L., & Tiago, P. V. Diálogo entre os saberes popular e acadêmico no processo de transição agroecológica no Assentamento Chico Mendes III-PE. Extramuros - Revista de Extensão da UNIVASF, 5(2), 64-79.

Ferreira, M. D. C. (2016). A formação emancipada e a Extensão Universitária: Uma experiência na orientação em saúde e prevenção de parasitoses. (Tese de Doutorado). Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Fonseca, S. A., & Lorenzo, H. C. de. (2004). Breve perfil das atividades de extensão nas unidades da UNESP, campus de Araraquara: Um enfoque na transferência de tecnologia e conhecimento. Revista Ciência em Extensão, 1(2), 112-119.

Granato, T. M., Berriel, O. P., & Intorne, A. C. (2015). Compostagem na Escola: Um estudo de caso na área rural do município de São Fidélis/RJ. Revista de Extensão da UENF, 2(1), 139-152.

Junior, P. P., Da Silva, M. D. C. S., Melo, R. D. C. C., De Lima, L. A., Araújo, K. S., De Oliveira Prado, I. G., & Martin, J. G. P. A. (2018). Microbiologia no contexto da Agroecologia. Revista Brasileira de Extensão Universitária, 9(2), 75-82.

Korb, A., Teixeira, D. C., & Mendonça Rodrigues, R. (2011). Os conhecimentos em biologia na educação em saúde. Revista de Biologia e Ciências da Terra, 11(1), 108-115.

Mesquita, M. O., Jantzen, M. M., Schons, M. Da S., & Trevilaton, G. (2013). Atuação discente em ações de educação em saúde ambiental e vigilância sanitária em comunidade urbana reassentada. Revista da Extensão, 6, 59-64.

Moresco, T., Castro, T., Santos, E., & Barbosa, N. B. (2015). Higiene pessoal: Contextualizando o ensino de microbiologia por meio da experimentação. In Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, 2015, Uruguaiana, 7. Uruguaiana: UNIPAMPA.

Oda, W. Y. (2012). A docência universitária em biologia e suas relações com a realidade das metrópoles amazônicas. (Tese de Doutorado). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

Oliveira, F. M., Dos Santos Alves, A., Santos, L. A., Santana, T. L. S., & Silva, G. M. (2014). Projeto de Extensão “Faça as mãos, faça os pés: embeleze com segurança”. Revista Brasileira de Extensão Universitária, 5(2), 61-68.

Oliveira, F. M., Santana, T. L. S., Dos Santos, D. C. D. J., & De Farias, L. H. S. (2016). Sistematização de práticas educativas relacionadas à higienização das mãos e microbiota para o ensino médio regular no contexto da extensão universitária. Interfaces-Revista de Extensão da UFMG, 4(1), 226-245.

Organização Mundial das Nações Unidas. ONU. (2015). Transformando Nosso Mundo: a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. Recuperado de https://nacoesunidas.org/pos2015/agenda2030

Orlandini, L. C., Casella, T., Batista, M. N., Machado, R. R. G., Akinaga, M. M., Chierotti M. C. M., De Moraes E. M., Scarpassa J. A., & Rahal, P. (2015). Articulação ensino-pesquisa-extensão em Microbiologia: Difusão e popularização. In Congresso de extensão universitária da UNESP. (pp. 1-6). [ S. l.]: Universidade Estadual Paulista (UNESP).

Palheta, R. A., & Sampaio, A. P. L. (2016). Atividades práticas sobre microrganismos no aprendizado do ensino médio. Revista Igapó - Revista de Educação Ciência e Tecnologia do IFAM, 10(1), 72-87.

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. PNUD. (2014). Atlas do Desenvolvimento Humano nas Regiões Metropolitanas Brasileiras. [S. l.]: PNUD. Recuperado de http://atlasbrasil.org.br/2013/pt/download/

Prado, I. C., Rodrigues, T. G., & Khouri, S. (2004). Metodologia do ensino de microbiologia para ensino Fundamental e Médio. In Anais do Encontro Latino Americano de Iniciação Científica, 7, e Encontro Latino Americano de Pós-Graduação, 4. (pp. p.127-129). [S. l.]: Universidade do Vale do Paraíba.

Rede Nacional de Extensão. RENEX. (2017). Lista de revistas acadêmicas em extensão no Brasil. Santo André: FORPROEX. Recuperado de http://www.ufmg.br/proex/renex/index.php/revistas

Sachet, E. U., & De Arruda, M. P. (2018). Mãos limpinhas: Educação ambiental das famílias de catadores de resíduos sólidos urbanos. Revista de Extensão, 1(3), 32-42.

Sousa, R. A., Vilarinho N. M., Santiago, M. R., Lemos, J. F., Dos Santos, C. B., Medeiros, F. D. S., Júnior, S. C. D. S., & Dos Santos, K. R. (2015). Utilização de peças teatrais como auxílio na prevenção de parasitoses. Revista Ciência em Extensão, 11(1), 139-147.

Strohschoen, A. A. G., Spezia, A. P., Zuffo, S., Salvatori, R. U., & Marchi, M. I. (2016). Atividades experimentais na educação infantil e ensinos fundamental e médio: Uma viagem ao mundo invisível. CCNExt-Revista de Extensão, 3(1), 643-648.

Teixeira, A. P. A., & De Araújo, A. B. (2018). Ciência com micróbios: Uma proposta de mediação entre a universidade e a escola. Práticas em Gestão Pública Universitária, 2(2), 48-58.

Teixeira, P., & Valle, S. (2010). Biossegurança: Uma abordagem multidisciplinar. Rio de Janeiro: SciELO -Editora FIOCRUZ.

Vieira, A. C. P. E., & Oliveira, S. S. (2011). Educação ambiental e saúde pública: Uma análise crítica da literatura. Ambiente & Educação, 16(1), 37-44.

Publicado
20-03-2020
Como Citar
LEITE, B.; VALENTE, P. A microbiologia e a extensão universitária. Revista Brasileira de Extensão Universitária, v. 11, n. 1, p. 61-71, 20 mar. 2020.
Seção
Artigos