Potencial de utilização de sistemas de microgeração de energia elétrica e de aproveitamento de água de chuva:

uma análise em escolas públicas de Ilhéus - Bahia

  • Maurício Dezidério Rocha Universidade Estadual de Santa Cruz
  • Ronaldo Lima Gomes Universidade Estadual de Santa Cruz
  • Raildo Mota de Jesus Universidade Estadual de Santa Cruz
  • Adriano Hoth Cerqueira Universidade Estadual de Santa Cruz
Palavras-chave: Desenvolvimento sustentável, Geração de energia solar fotovoltaica, Aproveitamento de água de chuva, Escolas públicas.

Resumo

Este trabalho possui o objetivo de analisar a viabilidade econômica e ambiental da instalação de unidade de microgeração de energia solar fotovoltaica e de aproveitamento de água de chuva em três escolas da rede pública de Ilhéus. O método adotado contempla a análise do enquadramento legal vigente no Brasil, o levantamento de dados de consumo de água e energia elétrica, o cálculo de irradiaçãoolar e de precipitação pluviométrica incidente na área e, o dimensionamento dos sistemas de microgeração de energia elétrica solar e de aproveitamento de água de chuva em cada unidade escolar estudada. Os resultados encontrados demonstram viabilidade econômica e ambiental, uma vez que a implantação desses sistemas promove economia mensal de aproximadamente 96% no consumo de energia elétrica e 40% no consumo mensal de água potável nas unidades escolares estudadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maurício Dezidério Rocha, Universidade Estadual de Santa Cruz

Geógrafo, Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente, Universidade estadual de Santa Cruz.

Ronaldo Lima Gomes, Universidade Estadual de Santa Cruz

Possui graduação em Geologia pela Universidade Federal da Bahia (1993) , mestrado em Geotecnia pela Universidade de São Paulo (1997), doutorado em Geotecnia pela Universidade de São Paulo (2001) e Pós-Doutorado em Geotecnia pela Universidade Federal de Viçosa-MG (2011). Atualmente é Professor Titular da Universidade Estadual de Santa Cruz. Tem experiência nas áreas de Geologia de Engenharia, Meio Ambiente e Geotécnica. Atualmente desenvolve projetos nas áreas de Meio Ambiente, Risco Geológico a Escorregamentos e Inundações, Caracterização Tecnológica de Materiais Rochosos e Caracterização geotécnica de Maciços Rochosos.

Raildo Mota de Jesus, Universidade Estadual de Santa Cruz

Professor Pleno, Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente, Universidade estadual de Santa Cruz

Adriano Hoth Cerqueira, Universidade Estadual de Santa Cruz

Professor Pleno, Departamento de Ciências Exatas e Tecnológicas, Universidade Estadual de Santa Cruz

Referências

ANA, Agência Nacional de Águas. Programa de conservação e uso racional da água: Seleção de projetos para desenvolvimento de ações de conservação e uso racional da água em edificações públicas. Brasília: ANA, 2012. Disponível em: <http://arquivos.ana.gov.br/imprensa/noticias/20120517_EDITAL%20CHAMADA%20PUBLICA%20-%20ANA%20N%C2%BA%20001-2012.pdf>. Acesso em: 02 de out. de 2018.

ANEEL, Agência Nacional de Energia Elétrica. Geração distribuída. Brasília, 2018. Disponível em: <http://www2.aneel.gov.br/scg/gd/GD_Estadual.asp>. Acesso em: 02 de out. de 2018.

ANEEL, Agência Nacional de Energia Elétrica. Resolução Normativa n. 482, de 17 de Abril de 2012. Brasília, 2012. Disponível em: <http://www.aneel.gov.br/cedoc-/bren2012482.pdf>. Acesso em: 11 de nov. de 2017.

ASSIS, Mônica Valéria Gondim. Impacto do despejo de esgotos domésticos e percepção ambiental. Estudo de caso: estuário do Rio Cachoeira, Ilhéus-Ba. Ilhéus, 2001. 80 f. Monografia (Especialização) - Universidade Estadual de Santa Cruz.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15527: água de chuva: aproveitamento em áreas urbanas para fins não potáveis: requisitos. Rio de Janeiro, 2007. Disponível em: <http://licenciadorambiental.com.br/wp-content/uploads/2015/01/NBR-15.527-Aproveitamento-%C3%A1gua-da-chuva.pdf>. Acesso em: 21 de set. de 2018.

BRASIL. LEI Nº 13.501, DE 30 DE OUTUBRO DE 2017: Altera o art. 2º da Lei nº 9.433, de 8 de janeiro de 1997, que institui a Política Nacional de Recursos Hídricos, para incluir o aproveitamento de águas pluviais como um de seus objetivos. Presidência da República, Brasília, 1997. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2017/Lei/L13501.htm> . Acesso em: 16 de Julho. de 2019.

BRASIL. LEI Nº 9.433, DE 8 DE JANEIRO DE 1997: Política Nacional de Recursos Hídricos. Presidência da República, Brasília, 1997. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9433.htm>. Acesso em: 05 de out. de 2018.

BRASIL. PROJETO DE LEI Nº 10.370, DE 06 DE JUNHO DE 2018: Política Nacional de Energia Solar Fotovoltaica-PRONASOLAR e dá outras providências. Câmara dos Deputados, Brasília, 2018. Disponível em: <http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=9819EE3FCE5DD36AEE2D81A03C6F4BAC.proposicoesWebExterno2?codteor=1666385&filename=PL+10370/2018>. Acesso em: 05 de out. de 2018.

CRUZ, Daniel Tavares. Micro e minigeração eólica e solar no Brasil: Propostas para desenvolvimento do setor. São Paulo, 2015. 155 p. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3143/tde-04082015-153708/pt-br.php>. Acesso em: 20 de out. de 2017.

ILHÉUS. LEI Nº 3.910, DE 05 DE MARÇO DE 2018: Implantação de sistema de captação e reaproveitamento de água da chuva. Ilhéus, Bahia, 2018. Disponível em: <http://www.ilheus.ba.gov.br/abrir_arquivo.aspx/Lei_Ordinaria_3910_2018?cdLocal=5&arquivo={BCCD438A-AEE0-C6BD-40CC-A7E0C20CBE7C}.pdf>. Acesso em: 05 de out. de 2018.

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE). Dados históricos. 2016. Disponível em: < http://sinda.crn.inpe.br/PCD/SITE/novo/site/historico/index.php>. Acesso em: 09 de nov. 2018.

MAIA, Adelena Gonçalves; SANTOS, Alison Luiz dos; OLIVEIRA FILHO, Paulo Costa de. Avaliação da economia de água potável com a implantação de um sistema de aproveitamento de água de chuva: estudo de caso no município de Irati, Paraná. Revista Ambiência, Paraná, 2011. v.7 n.1 p. 51 – 63. Disponível em: <https://revistas.unicentro.br/index.php/ambiencia/article/view/1031>. Acesso em: 13 de set. de 2018.

MARTINI, Felipe. Potencial de Economia de Água Potável por Meio do Uso de Água de Chuva em São Miguel do Oeste – SC. Florianópolis, 2009. 96 p. Disponível em: <http://www.labeee.ufsc.br/sites/default/files/publicacoes/tccs/TCC_Felipe_Martini.pdf>. Acesso em: 05 de out. de 2018.

PEREIRA, Enio Bueno et al. Atlas brasileiro de energia solar. 2.ed. São José dos Campos, São Paulo, INPE, 2017. Disponível em: <http://ftp.cptec.inpe.br/labren/publ/livros/Atlas_Brasileiro_Energia_Solar_2a_Edicao.pdf>. Acesso em: 12 de set. de 2018.

TORRES, Regina Célia. Energia solar fotovoltaica como fonte alternativa de geração de energia elétrica em edificações residenciais. Dissertação (Mestrado em Térmica e Fluidos) - Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, 2012. Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/18/18147/tde-18032013-091511/pt-br.php>. Acesso em: 12 de nov. de 2017.

Publicado
03-09-2019
Como Citar
ROCHA, M.; GOMES, R.; DE JESUS, R.; CERQUEIRA, A. Potencial de utilização de sistemas de microgeração de energia elétrica e de aproveitamento de água de chuva:. Revista Gestão & Sustentabilidade, v. 1, n. 1, p. 250 - 268, 3 set. 2019.
Seção
Trabalhos Empíricos e Ensaios