ATIVIDADE NÃO-FORMAL NO DESPERTAR DE INTERESSE NAS ÁREAS DAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS

  • Larissa Garcia Fernandes Universidade Federal de Uberlândia
  • Luciana Karen Calábria Universidade Federal de Uberlândia
Palavras-chave: Orientação profissional, Educação Não-convencional, Ação Universitária

Resumo

A escolha de uma carreira profissional depende de diversos aspectos multifatoriais, dos quais a educação tem um papel primordial. Essa educação não possui mais somente cunho tradicional, mas frente ao desenvolvimento global, ampliou-se seu conceito, estruturando a educação não-formal, que inclui qualquer tentativa educacional organizada, envolvendo ações coletivas do terceiro setor da sociedade. Sua ação conjunta se faz necessária na promoção de alfabetização científica efetiva na sociedade. Este estudo fez um levantamento do conhecimento prévio sobre neurociências de visitantes em um evento de extensão universitária, com o objetivo de identificar a efetivação dessa atividade não-formal na promoção de cultura científica.  Durante a atividade houve a apresentação de diferentes modelos de cérebros e explicação sobre sistema nervoso. Os dados coletados durante o evento foram analisados por estatística descritiva considerando frequências absoluta e relativa. Observou-se satisfação de 100% quanto ao material exposto durante o evento, 66,7% relataram já ter aprendido algo sobre o tema, dos quais 50% afirmaram ter aprendido na escola, 60% não conheciam as curiosidades apresentadas, 40% já sabiam, e 100% gostariam de aprender mais. Aliada à educação formal, a educação não-formal possui importante papel no impulso para o ingresso na universidade, e quanto maior o acesso à informações de uma área específica maior será a influência no momento da decisão de sua carreira profissional, uma vez que essas atividades estimulam a curiosidade e o interesse. Diante de sua importância, a educação não-formal deve andar de mãos dadas com a educação formal, pois ambas ocupam uma parcela notável dentre todas as influências multifatoriais que levam o indivíduo a escolher sua carreira profissional.

Palavras-chave: Educação não-convencional; Ação universitária; Orientação profissional

 

Non-formal activity in the awakening interest of biological sciences areas

Abstract: The choice of a professional career depends on multifactorial aspects, of which education has a leading role. This education also has a non-formal perspective, besides the traditional one and its joint action is necessary for promoting effective scientific literacy in society. This study aimed to raise the prior knowledge about neurosciences of the visiting population at an event of university extension, to identify the effectiveness of the non-formal activity in the promotion of scientific culture. During the activity, there was a presentation of different models of brains and an explanation about the nervous system. The data collected through a self-responsive questionnaire during the event were analyzed by descriptive and reflective statistics about the theme. It was observed that 100% of the visitors were satisfied, 66.7% reported having already learned something about the subject, of which 50% stated that they have learned at school, 60% did not know the curiosities presented, 40% already knew, and 100% would like to learn more. Thus, it was possible to evaluate that allied with formal education, non-formal education has a vital role in promoting the university entrance. Besides, the higher the access to the information of a specific area, the higher will be the influence at the time of the decision of their professional career, since these activities stimulate the curiosity and instigate the interest. Given its importance, nonformal education must go hand in hand with formal education, since both have a remarkable part of all the multifactorial influences in the choice of Biological Sciences as a professional career.

Keywords: Unconventional education; University action; Professional orientation

 

Actividad no formal en el despertar de interés en las áreas de las ciencias biológicas

Resumen: Escoger una carrera profesional depende de aspectos multifactoriales, de los cuales la educación tiene un papel primordial. Esa educación también posee un carácter no-formal, además del tradicional y su acción conjunta es necesaria en la promoción efectiva de alfabetización científica en la sociedad. Este estudio tuvo como objetivo elevar el conocimiento previo sobre neurociencias de la comunidad visitante en un evento de extensión universitaria, para identificar la efectividad de la actividad no-formal en la promoción de la cultura científica. Durante la actividad se realizaron presentaciones de diferentes modelos de cerebros y una explicación sobre el sistema nervioso. Los datos recolectados por medio de un cuestionario auto evaluativo realizado durante el evento, fueron analizados por estadística descriptiva y reflexiva. Se observó que la satisfacción de los visitantes fue de 100%, el 66.7% mencionó haber aprendido algo sobre el tema, de los cuales 50% afirmaron haberlo aprendido en la escuela, 60% no conocían las curiosidades presentadas, 40% ya lo sabían y al 100% le gustaría aprender más. De esta manera, fue posible evaluar que junto con la educación formal, la educación no-formal posee un papel importante en la motivación para el ingreso a la Universidad. Además, mientras mayor sea el acceso a la información sobre un área específica, mayor será la influencia al momento de elegir una carrera profesional, una vez que esas actividades estimulen la curiosidad y aumenten el interés. Ante su importancia, la educación no-formal debe de ir en conjunto con la educación formal, ya que ambas tienen una participación notable dentro de las influencias multifactoriales, al momento de elegir Ciencias Biológicas como carrera profesional.

Palabras-clave: Educación no-convencional; Acción universitaria; Orientación profesional

Referências

BIANCONI, M. L.; CARUSO, F. Educação não formal. Ciência e Cultura, v. 57, n. 4, p. 20-20, 2005.

GOHN, M. G. Educação não-formal e cultura política: Impactos sobre o associativismo do terceiro setor. 4. ed., São Paulo: Cortez, 2008.

KRASILCHIK, M.; MARANDINNO, M. Ensino de Ciências e Cidadania. São Paulo: Moderna, 2004.

SANTOS, R. S.; PEREIRA, L. M. S.; MARQUES, F. M.; COSTA, N. C. F.; OLIVEIRA, P. S. Perfil socioeconômico e expectativa docente de ingressantes no Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas. Revista Eletrônica de Educação, v. 8, n. 2, p. 293-303, 2014.

VERONA, M. F.; MORI, H.; ARRUDA, S. M. Raízes formais e informais da opção pelo curso de ciências biológicas. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, v. 10, n. 2, p. 1-20, 2008.

VIEIRA, V.; BIANCONI, M. L.; DIAS, M. Espaços não-formais de ensino e o currículo de ciências. Ciência e Cultura, v. 57, n. 4, p. 21-23, 2005.

Publicado
01-05-2019
Como Citar
FERNANDES, L.; CALÁBRIA, L. ATIVIDADE NÃO-FORMAL NO DESPERTAR DE INTERESSE NAS ÁREAS DAS CIÊNCIAS BIOLÓGICAS. REVISTA BRASILEIRA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA, v. 10, n. 1, p. 43-47, 1 maio 2019.
Seção
Artigos