Dança circular em maternidade: Vivência extensionista

  • Ellen Reiner Da Silva Santos Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)
  • Geisiane De Almeida Mendonça UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA-BA
  • Zannety Conceição Silva Nascimento Souza Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) https://orcid.org/0000-0002-4573-525X
  • Ariane Cedraz Morais Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) https://orcid.org/0000-0001-9445-4596
  • Amanda Leite Novaes Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) https://orcid.org/0000-0002-2427-8248
Palavras-chave: Terapias Complementares, Enfermagem Obstétrica, Relações Comunidade-Instituição

Resumo

A Dança Circular é uma prática corporal na qual as pessoas compõem um círculo e dançam juntas, buscando a integração humana na roda através do seu canto, ritmo e execução, a fim de promover o equilíbrio, bem estar físico, mental e social, integrando hoje uma das propostas de implementação das Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS) no Sistema Único de Saúde (SUS). O objetivo geral desse artigo é descrever a experiência de promoção da saúde de gestantes, parturientes e puérperas internadas em maternidade através da Dança Circular, por meio das ações extensionistas. Trata-se de um relato de experiência em uma maternidade pública no interior da Bahia, que aborda o desenvolvimento de quatro sessões de Dança Circular, com duração média de 15 minutos cada uma, com a participação de 6 gestantes, 8 puérperas, 6 acompanhantes, 1 profissional de saúde e 1 graduanda em Psicologia; os momentos foram conduzidos por 2 professoras (Enfermeiras Obstetras) e 5 discentes do curso de graduação em Enfermagem, com treinamento prévio na técnica da Dança. Durante a realização das sessões, os participantes mostraram-se sorridentes, alegres e receptivos, sentimentos esses que foram comprovados nos relatos escritos nas fichas de avaliação. As sessões de Dança Circular foram realizadas em mais de um local dentro da maternidade, com a participação de diferentes públicos em cada sessão. Foi possível perceber que a Dança Circular impactou positivamente no bem-estar das participantes.

Palavras-chave: Terapias Complementares; Enfermagem Obstétrica; Relações Comunidade-Instituição

Pharmaceutical care in social institutions: extension as a strategy for learning and health promotion

Abstract: Circular Dance is a corporal practice in which people form a circle and dance together, seeking human integration in the circle through their singing, rhythm, and execution, in order to promote balance, physical, mental and social well-being, integrating today one of the proposals for the implementation of Integrative and Complementary Practices in Health (PICS) in the Unified Health System (SUS). The general objective of this article was to describe the health promotion experience of pregnant women, parturients, and puerperal women admitted to maternity through Circular Dance, through extension actions. It is an experience report in a public maternity hospital in the countryside of Bahia State, which addresses the development of four Circular Dance sessions. The sessions had an average duration of 15 minutes each, with the participation of 6 pregnant women, 8 puerperal women, 6 companions, 1 health professional, and 1 undergraduate student in Psychology; the moments were conducted by 2 instructors (Obstetric Nurses) and 5 students of the undergraduate nursing course, with previous training in the dance technique. During the sessions, the participants were smiling, happy and receptive, feelings that were confirmed in the reports written in the evaluation forms. The Circular Dance sessions were held in more than one place within the maternity ward, with the participation of different audiences in each session. It was possible to notice that the Circular Dance had a positive impact on the well-being of the participants.

Keywords: Complementary Therapies; Obstetric Nursing; Community-Institutional Relations

Biografia do Autor

Ellen Reiner Da Silva Santos, Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)

Graduanda em Enfermagem (UEFS), Bolsista de Extensão do Núcleo de Extensão e Pesquisa em Saúde da Mulher - NEPEM.

Geisiane De Almeida Mendonça, UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA-BA

Graduanda em Enfermagem, Bolsista de Extensão do Núcleo de Extensão e Pesquisa em Saúde da Mulher - NEPEM.

Zannety Conceição Silva Nascimento Souza, Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)

Enfermeira Obstetra, Doutoranda em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS, Mestre em Enfermagem (UFBA), Professora Assistente do Departamento de Saúde da UEFS, Pesquisadora do Núcleo de Extensão e Pesquisa em Saúde da Mulher - NEPEM.

Ariane Cedraz Morais, Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)

Professora Assistente da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Mestre em Enfermagem (Saúde da Mulher) pela EE/UFBA, Enfermeira Obstétrica especializada pela Universidade de Guarulhos, Pesquisadora do Núcleo de Pesquisa e Extensão em Saúde da Mulher (NEPEM) da UEFS.

Amanda Leite Novaes, Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)

Mestre em Educação pela Universidade Federal da Bahia, Especialista em Atividade Física e Saúde pela FTC, Graduada em Licenciatura Plena em Educação Física pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Docente do Departamento de Saúde na Universidade Estadual de Feira de Santana, Líder do NIEPEXES (Núcleo Inter/transdisciplinar de Ensino, Pesquisa e Extensão de Educação em Saúde). Estuda e pesquisa sobre Dança Circular, Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS)

Referências

Andrada, P. C. de, & Souza, V. L. T. de. (2015). Corpo e docência: A dança circular como promotora do desenvolvimento da consciência. Psicologia Escolar e Educacional, 19(2), 359–368.

Barros, A. R. de, & Rodrigues, L. M. (2016). O exercício profissional de enfermagem e as principais causas de adoecimento laboral: Uma revisão integrativa. Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem, 6(18), 12–25.

Barton, A. (2012). Danças circulares: Dançando o Caminho Sagrado. (Vol. 1, 2. ed.). São Paulo: Triom.

Boaviagem, A., Coutinho, T. A., Oliveira, L. G. A. de, & Moretti, E. (2019). Comportamento biomecânico da pelve nas diferentes posturas adotadas durante o segundo período do trabalho de parto. Revista Eletrônica da Estácio Recife, 5(1), Article 1.

Daltro, M. R., & Faria, A. A. de. (2019). Relato de experiência: Uma narrativa científica na pós-modernidade. Estudos e Pesquisas em Psicologia, 19(1), 223–237.

Mazzo, M. H. S. da N., & Brito, R. S. (2016). Instrumento para consulta de enfermagem à puérpera na atenção básica. Revista Brasileira de Enfermagem, 69(2), 294-303.

Ministério da Saúde. (2015). Política nacional de práticas integrativas e complementares no SUS: Atitude de ampliação de acesso. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Recuperado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_praticas_integrativas_ complementares_2ed.pdf

Ministério da Saúde. (2017). Diretrizes nacionais de assistência ao parto normal: Versão resumida. Brasília: Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde. Recuperado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/ diretrizes_nacionais_assistencia_parto_normal.pdf

Ministério da Saúde. (2018). Política nacional de práticas integrativas e complementares no SUS: Atitude de ampliação de acesso. 2. ed., 1. reimp. Brasília: Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. Recuperado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_praticas_integrativas_ complementares_sus_2ed_1_reimp.pdf

Oliveira, D. do C., & Mandú, E. N. T. (2015). Women with high-risk pregnancy: Experiences and perceptions of needs and care. Escola Anna Nery - Revista de Enfermagem, 19(1), 93-101.

Pereira, S. B., Diaz, C. M. G., Backes, M. T. S., Ferreira, C. L. de L., & Backes, D. S. (2018). Good practices of labor and birth care from the perspective of health professionals. Revista Brasileira de Enfermagem, 71(Suppl. 3), 1313–1319.

Queirós, P. J. P., Fonseca, E. P. A. M., Mariz, M. A. D., Chaves, M. C. R. F., & Gómez Cantarino, S. (2016). Significados atribuídos ao conceito de cuidar. Revista de Enfermagem Referência, sér. IV(10), 85–94.

Wosien, B. (2000). Dança: Um caminho para totalidade. São Paulo: Triom.

Publicado
31-01-2021
Como Citar
DA SILVA SANTOS, E.; MENDONÇA, G.; NASCIMENTO SOUZA, Z.; MORAIS, A.; NOVAES, A. Dança circular em maternidade: Vivência extensionista. Revista Brasileira de Extensão Universitária, v. 12, n. 01, p. 23-32, 31 jan. 2021.
Seção
Artigos