Formação continuada em neurociência: percepções de professores da educação básica

Palavras-chave: Aprendizagem, Ensino, Cérebro, Professor

Resumo

O conhecimento básico sobre a neurociência é importante em diversos aspectos da vida, já que permite o entendimento de processos neurais presentes em nosso dia a dia, como a cognição e a aprendizagem. Para o professor, principal mediador da construção do conhecimento na sala de aula, o conhecimento desta temática é importante para facilitar sua prática pedagógica, já que a neurociência contribui para a compreensão dos processos cognitivos e das individualidades de cada aluno. O objetivo deste estudo é relatar a percepção e o conhecimento de professores da Educação Básica do município de Uruguaiana/RS acerca da neurociência e sua importância para a educação, antes e após a realização da oitava edição do curso de formação continuada intitulado “Curso de Neurociência Aplicada à Educação”. No total, vinte e oito (28) professores participaram do curso, que abordou diferentes temas: neurociência e educação, neuroanatomia, neurofisiologia, neurobiologia da aprendizagem e memória, fatores que interferem na aprendizagem e inovação pedagógica. De acordo com a percepção dos professores, o curso ministrado foi de fundamental importância para a aquisição de novos conhecimentos sobre a neurociência, e todos concordaram que os conceitos abordados podem ser aplicados para melhorar sua prática pedagógica e seu ambiente de ensino.

Palavras-chave: Aprendizagem; Ensino; Cérebro; Professor

 

Continuing training in neuroscience: perceptions of basic education teachers  

Abstract: Basic neuroscience knowledge is important in all aspects of life, as it allows the understanding of neural processes present in our daily lives, such as cognition and learning. For the teacher, the central mediator of knowledge in the classroom, it is essential to understand this theme since it can facilitate his pedagogical practice since neuroscience teaches to understand the student through their individualities. This study aims to report the perception and knowledge of primary education teachers in Uruguaiana, Rio Grande do Sul state, Brazil, about neuroscience, before and after the eighth edition of the continuing education course entitled "Course of Neuroscience Applied to Education." In total, twenty-eight (28) teachers participated in the course, divided into two modules that addressed different themes: neuroscience and education, neuroanatomy, neurophysiology, the neurobiology of learning and memory, factors that interfere in learning, and pedagogical innovation. According to the teachers' perception, the course taught was of fundamental importance for acquiring new knowledge about neuroscience, and everyone agreed on the possible applicability of the concepts covered to improve their pedagogical practice and their teaching environment.

Keywords: Learning; Teaching; Brain; Teacher

Biografia do Autor

Karine Ramires Lima, Universidade Federal do Pampa

Farmacêutica. Mestranda PPG Bioquímica/Unipampa.

Luiza Freitas Lopes, Unipampa

Estudante do curso de Fisioterapia. Bolsista CNPq.

Náthaly Marks, Unipampa

Estudante de Enfermagem.

Ronan Moura Franco, Unipampa

Doutorando da Unipampa

Elena Maria Billig Mello, Unipampa

Professora associada da Unipampa. Doutora em Educação.

Pâmela B Mello-Carpes, Universidade Federal do Pampa

Professora associada da Unipampa. Neurocientista.

Referências

Barros, W. M., W., Alves, N., de Menezes, J. R., & Mello-Carpes, P. B. (2012). Seminários didáticos: Ferramenta de aproximação das disciplinas básicas com a prática profissional. Revista Ciência em Extensão, 8(3), 130.

Blakemore, S. J., & Frith, U. (2000). The implications of recent developments in neuroscience for research on teaching and learning. Journal of The Institute of Training & Occupational Learning, 2(2), 3-42.

Bulgraen, V. C. (2010). O papel do professor e sua mediação nos processos de elaboração do conhecimento. Revista Conteúdo, 1(4), 30-38.

Cardoso, M., & Queiroz, S. (2019). As contribuições da neurociência para a educação e a formação de professores: Um diálogo necessário. Cadernos da Pedagogia, 12(24), 30-47.

Carvalho, F. (2010). Neurociências e educação: Uma articulação necessária na formação docente. Trabalho, Educação e Saúde, 8(3), 537-550.

Cunha, P. A. F. (2015). Neurociência e educação: A estimulação cognitiva como possibilidade de intervenção na educação inclusiva [Monografia de Especialização]. Universidade de Brasília, UNB. Brasília.

Damásio, A. R. (1994). O erro de Descartes: Emoção, razão e o cérebro humano. São Paulo. Companhia das Letras.

Dorneles, C., Cardoso, A., & Carvalho, F. (2012). A educação de jovens e adultos na perspectiva das neurociências. Revista Psicopedagogia, 29(89), 244-255.

Escribano, C. L. (2007). Contribuciones de la neurociencia al diagnóstico y tratamento educativo de la dislexia deldesarrollo. Revista de Neurología, 44(3), 173-180.

Filipin, G., Casarotto, F., Mello-Carpes, P., & Vargas, L. (2017). Formação continuada em Neuroeducação: Percepção de professores sobre a neurociência e sua importância para a educação. Experiência: Revista Científica de Extensão, 3(1), 40-57.

Fonseca, V. (1988). Psicomotricidade. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes.

Gonçalves, R.; Mello, E. M. B., & Mello-Carpes, P. B. (2016). Oficina" Circuito Sensorial" como metodologia utilizada na formação continuada de professores de ciências. Revista Ciência em Extensão, 12(1), 6-13.

Grossi, M. G. R., Grossi, V. G. R., Souza, J. R. L. M., & Santos, E. D. (2014). Uma reflexão sobre a neurociência e os padrões de aprendizagem: A importância de perceber as diferenças. Debates em Educação, 6(12), 93.

Grossi, M. G. R., Leroy, F. S., & De Almeida, R. B. S. (2015). Neurociência: Contribuições e experiências nos diversos tipos de aprendizado. Abakós, 4(1), 34-50.

Lent. (2001). Cem bilhões de neurônios: Conceitos fundamentais de neurociência. São Paulo: Atheneu.

Lima, K. R., Garcia, A., Filipin, G., Vargas, L. S., & Mello-Carpes, P. B. (2017). Trabalhando conceitos da neurociência na escola: saúde do cérebro e plasticidade cerebral. Revista Ciência em Extensão, 13(2), 71-82.

Relvas, M. P. (2012). Neurociência na prática pedagógica. Rio de Janeiro: Wak Editora.

Ricoy, M. C., & Couto, M. J. V. S. (2011). As TIC no ensino secundário na matemática em Portugal: A perspectiva dos professores. Revista Latinoamericana de Investigación em Matemática Educativa - RELIME, 14, 95-119.

Sacchetto, K. K., Madaschi, V., Barbosa, G. H. L., Silva, P. L., Silva, R. C. T., Cruz, B. T., & Souza-Silva, F. J. R. (2011). O ambiente lúdico como fator motivacional na aprendizagem escolar. Cadernos de Pós-Graduação em Distúrbios do Desenvolvimento, 11(1), 28-36.

Silva, F., & Morino, C. (2012). A importância das neurociências na formação de professores. Momento Diálogos em Educação, 21(1), 29.

Sousa, A., & Alves, R. (2017). A neurociência na formação dos educadores e sua contribuição no processo de aprendizagem. Revista Psicopedagogia, 34(105), 320-331.

Souza, M. C., & Gomes, C. (2015). Neurociência e o déficit intelectual: Aportes para a ação pedagógica. Revista Psicopedagogia, 32(97), 104-114.

Vasconcellos, C. D. S. (1992). Metodologia dialética em sala de aula. Revista de Educação AEC, 21(83), 28-55.

Ventura, D. (2010). Um retrato da área de Neurociência e comportamento no Brasil. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 26(spe), 123-129.

Publicado
28-09-2020
Como Citar
LIMA, K.; LOPES, L.; MARKS, N.; FRANCO, R.; MELLO, E.; MELLO-CARPES, P. Formação continuada em neurociência: percepções de professores da educação básica. Revista Brasileira de Extensão Universitária, v. 11, n. 3, p. 361-376, 28 set. 2020.
Seção
Artigos