Capacitação de agentes comunitários de saúde: integração entre universidade e atenção básica

  • Amanda Brait Zerbeto UNICENTRO
  • Leonardo de Carvalho
  • Thaís Amanda Rossa
  • Daniel de Paula Departamento de Farmácia, Setor de Ciências da Saúde, Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná - UNICENTRO-PR
Palavras-chave: Sistema Único de Saúde, Atenção Primária à Saúde, Educação Continuada, Relações Comunidade-Instituição

Resumo

O Projeto Rondon tem criado oportunidades, especialmente na saúde, para que universitários interajam com comunidades vulneráveis, socializando saberes e discutindo soluções coletivamente. O Agente Comunitário de Saúde (ACS) é um personagem fundamental na implementação do Sistema Único de Saúde (SUS), fortalecendo a integração entre os serviços de saúde e a comunidade. Mesmo com muitos avanços, a formação dos ACS permanece um desafio. Este estudo relata a experiência de um projeto de extensão na elaboração, desenvolvimento e realização de uma capacitação para ACS no município de Lindoeste, Paraná. As oficinas foram elaboradas multidisciplinarmente por acadêmicos de enfermagem, nutrição, psicologia e engenharia ambiental. Adotou-se o conceito ampliado de saúde, abordando conceitos do SUS, promoção e prevenção, educação ambiental, nutrição, humanização, além de demandas locais. A utilização de metodologias ativas e de temas relacionados à comunidade permitiram a troca de saberes, criando um espaço em que todos puderam expor suas opiniões e assim buscar soluções para os problemas locais. O desconhecimento dos ACS sobre os conceitos do SUS foi um desafio para o aprofundamento da discussão, moldando o debate muitas vezes num modelo pedagógico clássico. Um ponto positivo foi a integração e colaboração entre os ACS a partir do entendimento dos impactos que o processo de trabalho pode trazer ao município. A partir da capacitação dos ACS, ficou evidente a importância de os projetos de extensão estarem em consonância com as necessidades do território que, no presente trabalho, revelou a necessidade de elaboração e realização da educação continuada dos ACS.

Palavras-chave: Sistema Único de Saúde; Atenção Primária à Saúde; Educação Continuada; Relações Comunidade-Instituição

Training community health workers: integration between university and primary healthcare  

Abstract: The Rondon Project has provided opportunities, especially in the health area, for university students to interact with vulnerable communities, share knowledge, and discuss solutions collectively. The Community Health Worker (CHW) plays a key role in implementing the Brazilian Unified Health System (Sistema Único de Saúde - SUS), strengthening the integration between health services and the community. Even with many advances, the education of CHWs remains a challenge. This study reports an extension project's experience in elaborating, developing, and accomplishing training for CHW in Lindoeste, Paraná state, Brazil. The workshops were developed in a multidisciplinary manner by nursing, nutrition, psychology, and environmental engineering students. The expanded health concept was adopted, addressing SUS concepts, health promotion, prevention, environmental education, nutrition, humanization, and local demands. The use of active learning methods and community-related themes allowed for knowledge sharing, creating an environment where everyone could express their opinions and seek solutions to local problems. CHW's lack of knowledge about SUS concepts was a challenge to deepen the discussion, often shaping the debate in a traditional way. A positive point was the integration and collaboration among CHW, which were carried out in understanding the value of the collaborative workflow for their community. This experience highlighted the importance of the extension project being in tune with the demand of the territory, which in the present work revealed the need to elaborate and carry out continuing education of the CHW.

Keywords: : Unified Health System; Primary Health Care; Continuing Education; Community Institutional Relations

Referências

Alonso, C. M. C., Béguin, P. D., & Duarte, F. J. C. M. (2018). Work of community health agents in the Family Health Strategy: Meta-synthesis. Revista de Saúde Pública, 52(14), 1-13.

Barbosa, E. F. & Moura, D. G. (2014). Metodologias ativas de aprendizagem no ensino de engenharia. Proceedings of International Conference on Engineering and Technology Education, Cairo, 13. [S. l.: s. n.].

Borges, T. S. & Alencar, G. (2014). Metodologias ativas na promoção da formação crítica do estudante: O uso das metodologias ativas como recurso didático na formação crítica do estudante do ensino superior. Cairu em Revista, 3(4), 119-143.

Carabetta Jr, V. (2016). Metodologia ativa na educação médica. Revista de Medicina, 95(3), 113-121.

Coelho, F. L., & Savassi, L. C. M. (2004). Aplicação de escala de risco familiar como instrumento de priorização das visitas domiciliares. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, 1(2), 19-26.

Dahlgren, G., & Whitehead, M. (1991). Policies and strategies to promote social equity in health. Stockholm: Institute for Future Studies.

Domingos, R., Silva, L. R. B., Rodrigues, L. A., Laporte, F. H., Rigoni, A., & Beltrame, R. T. (2016). Sistema JRONDON: registro e organização de atividades extensionistas em operações do Projeto Rondon. Extensio: Revista Eletrônica de Extensão, 13(21), 105-115.

Gerhardt, T. E., & Silveira, D. T. (2009). Métodos de pesquisa. Porto Alegre: UFRGS.

Gill, R. (2002). Análise de Discurso. In M. W. Bauer, & G. Gaskell (Eds.), Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: Um manual prático. (pp. 244-270). Petrópolis: Vozes.

Grossman-Kahn, R., Schoen, J., Mallett, J.W., Brentani, A., Kaselitz, E., & Heisler, M. (2019). Challenges facing community health workers in Brazil’s family health strategy: A qualitative study. International Journal of Health Planning and Management, 33(2), 309–320.

Horntvedt, M. T., Nordsteien, A., Fermann, T., & Severinsson, E. (2018). Strategies for teaching evidence-based practice in nursing education: A thematic literature review. BMC Medical Education, 18(1): 172.

Instituto Paranaense de Desenvolvimento Social. (2020) Caderno Estatístico Município de Lindoeste. Curitiba: IPARDES 49p. Recuperado de http://www.ipardes.pr.gov.br/Pagina/Cadernos-municipais

Lobato, P. L. M., Abranches, M., & Rodrigues, T. V. A. (2012). Indissociabilidade ensino, pesquisa e extensão no projeto Rondon® Minas Resíduos Sólidos. Anais do Seminário de Extensão Universitária, Belo Horizonte, 7, Belo Horizonte: PUC Minas. Recuperado de: http://www1.pucminas.br/documentos/forext_02.pdf

Maciazeki-Gomes, R.C., Souza, C.D., Baggio, L., & Wachs, F. (2016). The work of the community health worker from the perspective of popular health education: Possibilities and challenges. Ciência & Saúde Coletiva, 21(5), 1637-1646.

Malta, D. C., Bernal, R. T. I., Lima, M. G., Araújo S. S. C., Silva, M. M. A., Freitas, M. I. F., & Barros, M. B. A. (2017). Doenças crônicas não transmissíveis e a utilização de serviços de saúde: análise da Pesquisa Nacional de Saúde no Brasil. Revista de Saúde Pública, 51(Supl. 1): 4s.

Marzari, C. K., Junges, J. R. & Selli, L. (2011) Agentes comunitários de saúde: Perfil e formação. Ciência & Saúde Coletiva, 16(1), 873-880.

Ministério da Saúde (2009a). O trabalho do agente comunitário de saúde. Brasília: Ministério da Saúde.

Ministério da Saúde (2009b). Política Nacional de Educação Permanente em Saúde. Brasília: Ministério da Saúde.

Ministério da Saúde (2016a). Diretrizes para capacitação de agentes comunitários de saúde em linhas de cuidado. Brasília: Ministério da Saúde,

Ministério da Saúde (2016b). Curso introdutório para agente comunitário de saúde (ACS). Brasília: Ministério da Saúde.

Ministério da Saúde (2018). Política Nacional de Educação Permanente em Saúde: o que se tem produzido para o seu fortalecimento? Brasília: Ministério da Saúde.

Oliveira, A. P. C., Gabriel, M., Dal Poz, M. R., & Dussault, G. (2017). Challenges for ensuring availability and accessibility to health care services under Brazil’s Unified Health System (SUS). Ciência & Saúde Coletiva, 22(4), 1165-1180.

Ramos, E. A., Kattah, J. A. R., Miranda, L. M., Randow, R., & Guerra, V. A. (2018). Humanização na Atenção Primária à Saúde. Revista de Medicina de Minas Gerais, 28(Supl. 5): e-S280522.

Saffer, D. A., & Barone, L. R. (2017). Em busca do comum: O cuidado do agente comunitário de saúde em saúde mental. Physis Revista de Saúde Coletiva, 27(3), 813-833.

Venturini, S. F. (2018). Uso e benefícios das metodologias ativas em uma disciplina de engenharia de produção. Revista de Iniciação Científica, 6(1), 59-74.

United Nations (2015). Transforming our world: The 2030 Agenda for sustainable development. [S. l.]: UN. Recuperado de https://sustainabledevelopment.un.org/post2015/transformingourworld

Publicado
28-09-2020
Como Citar
BRAIT ZERBETO, A.; DE CARVALHO, L.; ROSSA, T.; DE PAULA, D. Capacitação de agentes comunitários de saúde: integração entre universidade e atenção básica. Revista Brasileira de Extensão Universitária, v. 11, n. 3, p. 349-359, 28 set. 2020.
Seção
Artigos