INTERVENÇÃO MUSICALIZANDO : EXPERIMENTAÇÃO MUSICAL EM UMA AÇÃO EXTENSIONISTA

  • Maria Beatriz Rocha Unesp
  • Ohana Turcato Macacare
  • Roberta Carvalho Cesário
  • Mariana Benassi-Werke
  • Roberta Ekuni
Palavras-chave: Extensão Universitária, Música, Educação, Neurociências

Resumo

A música expressa ideias individuais ou da sociedade, presentes em determinadas épocas da História, servindo como um importante instrumento pedagógico de entendimento interdisciplinar dos conteúdos, em todas as etapas da educação. Além disso, a música exerce um importante papel na plasticidade cerebral, que é a capacidade do cérebro de modificar sua organização estrutural e funcionamento. O objetivo do presente trabalho é relatar a exposição do estande Musicalizando, no evento Conhecendo o Cérebro, realizado pelo Grupo de Estudos em Neurociência da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), uma ação extensionista que utiliza a divulgação científica para tradução e comunicação do conhecimento científico para a sociedade. Tal estande foi dividido em dois momentos: um primeiro teórico, no qual havia uma explicação sobre os efeitos da música no cérebro e também relatava-se a importância da música como veículo de expressão cultural e protesto. Posteriormente, as monitoras mostravam aos visitantes os instrumentos musicais construídos por elas mesmas, ressaltando a ideia de que para fazer música não é necessário possuir instrumentos caros. Mais de 570 pessoas foram alcançadas durante os dois dias de evento. Os visitantes marcaram em um papel qual emoji representava a sua opinião (detestei; não gostei; indiferente; gostei; gostei muito) sobre o estande; 95,4% dos visitantes assinalaram a opção “gostei muito” e 4,6% assinalaram “gostei”. Eventos que proporcionam a divulgação científica de forma mais interativa podem incentivar os visitantes a conhecerem mais sobre o tema proposto. Ademais, ações que envolvem música têm a possibilidade de estimular a integração social, a cooperação e o trabalho em grupo.

Palavras-chave: Extensão Universitária; Música; Educação; Neurociências

 

"Musicalizing" Intervention: Musical Experimentation in an Extension Action

Abstract: Music expresses individual or societal ideals at a particular moment of History, serving as an essential pedagogical instrument it offers an interdisciplinary understanding of contents in all stages of education. Also, music plays an important role in brain plasticity, which is the brain's ability to modify its structural organization and functioning. The objective of the present work is to report the stand "Making music" at the "Knowing the Brain" event held by the Neuroscience Studies Group of Universidade Estadual do Norte do Paraná, an extensionist action that uses scientific dissemination for translation and communication of scientific knowledge to society. This stand was divided into two moments. First, a theoretical moment, in which there was an explanation of the effects of music in the brain, and the importance of music as a vehicle of cultural expression and protest. Subsequently, the monitors showed the visitors the musical instruments they built, emphasizing the idea that to make music, it is not necessary to have expensive instruments. More than 570 visitors were reached during the two-day event. The visitors marked in a paper in which emoji represented their opinion on the booth (hated, disliked, indifferent, liked, and loved). 95.4% of the visitants indicated the option "loved" and 4.6% indicated "liked". Events that provide scientific dissemination, interactively, can encourage the visitors to know more about the proposed theme. In addition, actions involving music have the possibility of stimulating social integration, cooperation, and group work.

Keywords: University Extension; Music; Education; Neuroscience

 

Intervención "Musicalización": Experimentación Musical en una acción de extensión

Resumen: La música expresa ideas individuales o de la sociedad, presentes en ciertos momentos de la Historia, sirviendo como un importante instrumento pedagógico para la comprensión interdisciplinaria de los contenidos en todas las etapas de la educación. Además, la música juega un papel importante en la plasticidad del cerebro, que es la capacidad del cerebro para modificar su organización y funcionamiento estructural. El objetivo de este trabajo es informar sobre la exposición del stand “Musicalizando” en el evento “Conociendo el cerebro” realizado por el Grupo de Estudos em Neurociência da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), una acción de extensión que utiliza la difusión científica para la traducción y comunicación del conocimiento científico a la sociedad. Esta cabina se dividió en dos momentos: un teórico, en el que hubo una explicación de los efectos de la música en el cerebro, que también informó sobre la importancia de la música como vehículo para la expresión cultural y la protesta. Posteriormente, los monitores mostraron a los visitantes los instrumentos musicales construidos por ellos, enfatizando la idea de que hacer música no requiere instrumentos caros. Más de 570 visitantes fueron alcanzados durante los dos días del evento. Los visitantes marcaron en un papel que los emoji representaban la opinión (odiados, disgustados, indiferentes, les gustaba, les gustaba mucho) sobre el stand. El 95,4% de los visitantes marcaron "me gusta mucho" y el 4,6% marcaron "me gusta". Los eventos que brindan difusión científica de una manera más interactiva pueden alentar a los visitantes a conocer más sobre el tema propuesto. Además, las acciones relacionadas con la música tienen la posibilidad de estimular la integración social, la cooperación y el trabajo grupal.

Palabras-clave: Extensión universitaria; Música; Educación; Neurociencias

Referências

ALTENMULLER, E.; SCHLAUG, G. Apollo’s gift: new aspects of neurologic music therapy. Progress in Brain Research, v. 217, p. 237-251, 2015.

ARAÚJO, C. S.; SEQUEIRA, B. J. A relação da música com a neurociência e o seu efeito no cérebro sobre as emoções. Caderno de Ciências Biológicas e da Saúde, n. 1, 2013. Disponível em: <https://docplayer.com.br/ 47012351-A-relacao-da-musica-com-a-neurociencia-e-o-seu-efeito-no-cerebro-sobre-as-emocoes-resumo.html>.

AROUCA, A. J. F. Musicalização e Sustentabilidade: orquestra de instrumentos reciclados de Cateura. Trabalho de Conclusão de Curso de Especialista em Gestão de Projetos Culturais e Organização de Eventos, Universidade de São Paulo-USP, 2017. Disponível em: <https://paineira.usp.br/celacc/sites/default/files/media/tcc/tcc_celacc_alzira_arouca_2017.pdf>.

BAALBAKI, A. C. F. A divulgação científica e o discurso da necessidade. Letras (Santa Maria), v. 24, n. 48, p. 379-396, 2014.

BARROS, R. M. R.; MARQUES, L. C.; TAVARES, L. S. P. A importância da música para o ensino-aprendizagem na Educação Infantil: reflexões à luz da psicologia histórico-cultural. In: COLBEDUCA, IV e CIEE, II, 2018, Portugal. Anais eletrônicos... Portugal, 2002. Disponível em: <http://www.revistas.udesc.br /index.php/colbeduca/article/view/11348/8232>.

BETTI, L. C. N.; SILVA, D. F.; ALMEIDA, F. F. A importância da música para o desenvolvimento cognitivo da criança. Revista Interação, n. 2, p. 47-63, 2013.

COELHO, G.C. O papel pedagógico da extensão universitária. Em Extensão, v. 13, n. 2, p. 11-24, 2014.

DEMOLY, K. R. A.; SANTOS, J. S. B. Aprendizagem, educação ambiental e escola: modos de agir na experiência de estudantes e professores. Ambiente & Sociedade, v. 21, p. 1-20, 2018.

EKUNI, R.; SOUZA, B.; COSTA, C.; OTOMURA, F. Projeto de Extensão “Grupo de estudos em neurociência”: divulgando neurociência e despertando vocações. Revista Brasileira de Extensão Universitária, v. 5, n. 2, p. 55-59, 2014.

FERNANDES, A. C. F.; MARTINS, R.; DE OLIVEIRA, R. P. Rap nacional: a juventude negra e a experiência poético-musical em sala de aula. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n. 64, p. 183-200, 2016.

FERREIRA, C. M.; SILVA, R. O cérebro musical: relato comparativo entre músicos e não músicos. In: Encontro Regional Sul da ABEM - Diversidade humana, responsabilidade social e currículos: interações na educação musical, XVII, 2016, Curitiba. Anais eletrônicos... ABEM, Curitiba, 2016. Disponível em: <http://abemeducacaomusical.com.br/conferencias/index.php/xviiregsul/regs2016/paper/viewFile/1812/794>.

GASER, C.; SCHLAUG, G. Gray matter diferences between musicians and nonmusicians. Annals of the New York Academy of Science, v. 999, n. 1, p. 514-517, 2003.

JOLY, I. Z. L. Música e Educação Especial: uma possibilidade concreta para promover o desenvolvimento de indivíduos. Educação (UFSM), v. 28, n. 2, p. 79-86, 2003.

LEAL, C. D. A.; CARDOSO, H. S. A. A luta por democracia através da música de protesto. In: Congresso de História da UESPI Campus Possidônio Queiroz – Democracia, conflitos políticos e autoritarismo, III, 2018, Piauí. Anais eletrônicos... Piauí, 2018. Disponível em: <https://even3.blob.core.windows.net/anais/116917.pdf>.

LOUREIRO, B. R. C. Arte, Cultura e Política na história do rap nacional. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, n. 63, p. 235-241, 2016.

MACEDO, I. A linguagem musical rap: expressão local de um fenômeno mundial. Tempos Históricos, v. 15, p. 261-288, 2011.

MEIRELLES, A.; STOLTZ, T.; LURDES, V. Da psicologia cognitiva à cognição musical: um olhar necessário para a educação musical. Música em Perspectiva, v. 7, n. 1, p. 110-128, 2014.

MOREIRA, A.C.; SANTOS, H.; COELHO, I. S. A música na sala de aula - A música como recurso didático. Unisanta Humanitas, v. 3, n. 1, p. 41-61, 2014.

DE CASTRO MOREIRA, I.; MASSARANI, L. (En)canto científico: temas de ciência em letras da música popular brasileira. História, Ciência, Saúde-Manguinhos, n. 13, p. 291-307, 2006.

PAIXÃO, L. A. Valente em lugar tenente: o movimento da música de protesto. Revista Urutágua, n. 27, p. 112-124, 2013.

ROCHA, V. C.; BOGGIO, P. S. A música por uma óptica neurocientífica. Revista Acadêmica de Música, n. 27, p. 132-140, 2013.

SIHVONEN, A.; SAERKAEMOE, T.; LEO, V.; TERVANIEMI, M.; ALTENMÜLLER, E.; SOINILA, S. Music-based interventions in neurological rehabilitation. The Lancet Neurology, v. 16, p. 648-660, 2017.

SILVA, M. A.; DE GRANDI, A. L.; EKUNI, R.; DE CASTRO, B. J. Práticas artísticas para divulgar neurociência: relato do evento “Conhecendo o cérebro”. Revista Educação, Artes e Inclusão, v. 13, n. 3, p. 224-244, 2017.

SCHNEIDER, P.; SCHERG, M.; DOSCH, H. G.; SPECHT, H. J.; GUTSCHALK, A.; RUPP, A. Morphology of Herschl’s gyrus reflects enhanced activation in the auditory córtex of musicians. Nature Neuroscience, v. 5, n. 7, p. 688-694, 2002.

TOSTES, R. A. A importância da divulgação científica. Revista Acadêmica, v. 4, n. 4, p. 73-74, 2006.

VIEIRA, M. N. F.; MACACARE, O. T.; CRUZ, E. M. S.; MARIQUITO, M. T.; DA ROCHA, L. R. M.; EKUNI, R. Relato de experiência: visita de alunos da APAE no evento “Conhecendo o cérebro 2015”. Revista Eletrônica Pesquiseduca, v. 10, n. 21, p. 484-495, 2018.

Publicado
21-10-2019
Como Citar
ROCHA, M. B.; MACACARE, O.; CESÁRIO, R.; BENASSI-WERKE, M.; EKUNI, R. INTERVENÇÃO MUSICALIZANDO : EXPERIMENTAÇÃO MUSICAL EM UMA AÇÃO EXTENSIONISTA. REVISTA BRASILEIRA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA, v. 10, n. 3, p. 115-121, 21 out. 2019.
Seção
Artigos