Extensão universitária: Hanseníase na escola, em busca de um diagnóstico precoce

  • Maria Ambrosina Cardoso Maia Universidade do Estado de Minas Gerais
  • Bruna Adriane Andrade Silva Universidade do Estado de Minas Gerais
  • Rafael Chagas Silva Universidade do Estado de Minas Gerais
Palavras-chave: Hanseníase, Doença Infectocontagiosa, Relações Comunidade-Instituição

Resumo

O projeto de extensão teve como objetivo desenvolver atividades educativas sobre hanseníase, visando o esclarecimento sobre sinais da doença e possível detecção de casos novos, de forma a avaliar a situação da hanseníase na população do ensino fundamental do município de Passos-MG. Foram selecionadas intencionalmente 10 escolas públicas com ensino fundamental da área urbana do município de Passos-MG no ano de 2018. Inicialmente realizou-se palestras aos discentes e docentes para inteirá-los a respeito da hanseníase e de seu tratamento. Em um segundo momento, por meio de uma triagem, selecionou-se os alunos que possuíam lesões de pele pigmentadas pelo corpo. Esses alunos, após autorização dos pais, foram convidados a realizar o exame dermatoneurológico e, aqueles com análise sugestiva para hanseníase, encaminhados à Estratégia de Saúde da Família. Participaram das palestras 329 docentes e 2.962 discentes, sendo que 305 discentes foram submetidos ao exame dermatoneurológico. Desses, seis casos foram sugestivos para hanseníase e encaminhados para a Estratégia de Saúde da Família. Notou-se grande desconhecimento por parte da população a respeito da doença, principalmente em relação à cura. A busca ativa de casos é um método importante para o controle da hanseníase.

Palavras-chave: Hanseníase; Doença Infectocontagiosa; Relações Comunidade-Instituição

 

Health students' perceptions on interdisciplinary work: experience at the outreach project smile on duty

Abstract: The objective of the extension project was to develop educational activities about leprosy, aiming at the clarification of the disease symptoms and possible detection of new cases, to assess the leprosy scenario among elementary school students in the city of Passos, Minas Gerais state. Ten public elementary schools in the urban area of Passos were selected intentionally in 2018. Initially, lectures were held to students and teachers in order to brief them about leprosy and its treatment. At a second stage, students who had pigmented skin lesions on their bodies were selected through a screening. These students, after parental consent, were invited to undergo an exam dermato-neurological, and those with a suggestive analysis for leprosy were referred to the Family Health Strategy program. A total of 329 teachers and 2,962 students attended the lectures, and of these students, 305 underwent the exam dermato-neurological. Six cases were indicative of leprosy and committed to the Strategy of Family Health program. There was a significant lack of knowledge on the part of the population about the disease, mainly concerning the cure. Thus, active searching for cases is an essential method for leprosy control. demands, promoting their potential to work collectively and answer to the current demands of interdisciplinary healthcare.

Keywords: Leprosy; Communicable Diseases; Community-Institutional Relations

Referências

Cunha, A. Z. S. (2002). Hanseníase: Aspectos da evolução do diagnóstico, tratamento e controle. Ciência e Saúde Coletiva, 7(2), 235-242.

Feitosa, M. C. R., Stelko-Pereira, A. C., & De Matos, K. J. N. (2019). Validação da tecnologia educacional brasileira para disseminação de conhecimento sobre a hanseníase para adolescentes. Revista Brasileira de Enfermagem, 72(5), 1401-1408.

Ferreira, I. N. (2014). A hanseníase no contexto das doenças negligenciadas. In Alves, E. D., Ferreira, T. L., & Ferreira, I. N. (eds.) Hanseníase: Avanços e Desafios. Brasília: NESPROM, p. 41-44.

Freitas, B. H. B. M., Xavier, D. R., Cortela, D. C. B., & Ferreira, S. M. B. (2018). Hanseníase em menores de quinze anos em municípios prioritários, Mato Grosso, Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia 21: e180016.

Lastória, J. C., & Abreu, M. A. M. M. (2012). Hanseníase: Diagnóstico e tratamento. Diagnóstico & Tratamento, 17(4), p. 173-179.

Monteiro, L. D., Mello, F. R. M., Miranda, T. P. M., & Heukelbach, J. (2019). Hanseníase em menores de 15 anos no estado do Tocantins, Brasil, 2001-2012: Padrão epidemiológico e tendência temporal. Revista Brasileira de Epidemiologia, 22: e190047.

Ministério da Saúde. Brasil. Secretaria de Políticas de Saúde (2002). Guia para o controle da hanseníase. Brasília: Ministério da Saúde. Recuperado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_de_hanseniase.pdf

Ministério da Saúde. Brasil. Secretaria de Vigilância em Saúde (2017). Informe Técnico e Operacional: “V Campanha Nacional de Hanseníase, Verminoses, Tracomas e Esquistossomose”. Brasília: Ministério da Saúde. Recuperado de http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2018/abril/23/Informe-T--cnico-e-Operacional---V-Campanha-Nacional-de-Hansen--ase-Verminoses-Tracoma-e-Esquistossomose.pdf

Ministério da Saúde. Brasil. Secretaria de Vigilância em Saúde (2018). Boletim epidemiológico: Hanseníase. Brasília: Ministério da Saúde, 49(4). Recuperado de http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2018/janeiro/31/2018-004-Hanseniase-publicacao.pdf

Neta, O. A. G., Arruda, G. M. M. S., Carvalho, M. M. B., & Gadelha, R. R. M. (2017). Percepção dos profissionais de saúde e gestores sobre a atenção em hanseníase na Estratégia Saúde da Família. Revista Brasileira em Promoção da Saúde, 30(2), 239-248.

Nunes, J. M., Oliveira, E. N., & Vieira, N. F. C. (2011) Hanseníase: Conhecimentos e mudanças na vida das pessoas acometidas. Ciência e Saúde Coletiva, 16(1), 1311-1318.

Pinheiro, M. G. C., Miranda, F. A. N., Carvalho, F. P. B., Ataide, C. A. V., & Lira, A. L. B. C. (2017). Compreendendo a “alta em hanseníase”: Uma análise de conceito. Revista Gaúcha de Enfermagem, 38(4), e63290.

Ribeiro, M. D. A., Silva, J. C. A., & Oliveira, S. B. (2018). Estudo epidemiológico da hanseníase no Brasil: Reflexão sobre as metas de eliminação. Revista Panamericana de Salud Publica, 42, e42.

Patrício, A. C. F. A., da Silva, D. F., Santos, G. C. V., & Brasil, M. H. F. (2019). Causas e estratégias de soluções para hanseníase em crianças: Diagrama de Ishikawa. Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental, 11(3), 739-747.

Silva, J. S. R., Palmeira, I. P. P., Sá, A. M. M., Nogueira, L. M. V., & Ferreira, A. M. R. (2018). Fatores sociodemográficos associados ao grau de incapacidade física na hanseníase. Revista Cuidarte, 9(3), 1-11.

Silva, L. C.; & Almeida, L. Q. (2018). Os casos de hanseníase e a vulnerabilidade social no município de Natal, RN, Brasil: Análise das ocorrências e das áreas de risco à saúde pública. Hygeia, 14(28), 13-31.

Souza, C. D. F., Santos, F. G. B., Marques, C. S., Leal, T. C., Paiva, J. P., & Araújo, E. M. C. F. (2018). Estudo espacial da hanseníase na Bahia, 2001-2012: Abordagem a partir do modelo bayesiano empírico local. Revista Epidemiologia e Serviços de Saúde, 27(4): e2017479.

Velôso, D. S., Melo, C. B., Sá, T. L. B., Santos, J. P., Nascimento, E. F., & Costa, F. A. C. (2018) Perfil clínico epidemiológico da hanseníase: Uma revisão integrativa. Revista Eletrônica Acervo Saúde, 10(1), 1429-1437.

Xavier, M. B., Souza, H. S. L., Costa, S. M. R., Silva, M. J. F., Miranda, N. I. F., Queiroz, M. F. De A., & Gonçalves, C. G. da C. (2019). Diagnóstico precoce de hanseníase em crianças da vila Santo Antônio do Prata, região hiperendêmica no estado do Pará. Revista Conexão UEPG, 15(1), 37-42.

Publicado
08-03-2020
Como Citar
MAIA, M. A.; SILVA, B. A.; SILVA, R. Extensão universitária: Hanseníase na escola, em busca de um diagnóstico precoce. Revista Brasileira de Extensão Universitária, v. 11, n. 1, p. 25-32, 8 mar. 2020.
Seção
Artigos