A percepção de estudantes da área da saúde sobre o trabalho interdisciplinar: Experiência no projeto de extensão Sorriso de Plantão

  • Débora de Cerqueira Santana Universidade de Ciências da Saúde de Alagoas
  • Maria Rosa da Silva Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas
Palavras-chave: Ensino Superior, Formação em Saúde, Saúde Pública

Resumo

O objetivo deste estudo foi descrever a percepção dos estudantes da área da saúde sobre o trabalho interdisciplinar, no decorrer da formação e experiência no Projeto de Extensão Universitária Sorriso de Plantão. O projeto, criado em 2002, na Universidade Federal de Alagoas, atualmente em parceria com a Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, permite aos estudantes de diversos cursos da área da saúde atuarem em equipe interdisciplinar desde o início da formação profissional. O estudo exploratório, de abordagem qualitativa, entrevistou doze estudantes com mais de um ano de experiência no projeto para a produção dos dados. Os dados foram analisados com a técnica de Análise de Conteúdo de Bardin na modalidade temática. As categorias temáticas delineadas foram: entendimento sobre interdisciplinaridade durante a formação profissional em saúde; potencialidades e desafios do trabalho interdisciplinar: tarefa (im)possível? Com base nestas categorias, consideramos que as atividades extensionistas durante a formação podem superar visões mecanicistas e fragmentadoras do cuidado em saúde, dando lugar a uma formação holística, capaz de gerar novas respostas às demandas contemporâneas, ampliando o potencial de cada futuro profissional e as possibilidades dos coletivos trabalharem interdisciplinarmente.

Palavras-chave: Ensino Superior; Formação em Saúde; Saúde Pública

Health students' perceptions on interdisciplinary work: experience at the outreach project smile on duty

Abstract: The purpose of this study is to report on health students' perceptions on interdisciplinary work throughout education and experience at the University Outreach Project Smile on Duty. This project, created in 2002 at the Universidade Federal de Alagoas, now in partnership with Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, allows health students from multiple subfields to act in multidisciplinary teams from the beginning of their academic education. For this study, 12 students with more than 1 year of experience in the project were interviewed from an exploratory, qualitative approach. Bardin's techniques for content was used to study the data. The thematic categories proposed were: understanding on interdisciplinarity during academic education in health sciences; potential and challenges of interdisciplinary work: (im)possible task? Based on these categories, we believe that outreach activities during academic education may help students to overcome fragmented and overly technical views about health work, capable of generating new responses to contemporary demands, promoting their potential to work collectively and answer to the current demands of interdisciplinary healthcare.

Keywords: Higher Education; Health Training; Public Health

Biografia do Autor

Maria Rosa da Silva, Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas

Enfermeira, Mestra em Ensino na Saúde, Professora Auxiliar do Núcleo de Saúde Materno Infantil e do Adolescente da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas. Maceió, Alagoas, Brasil.

Referências

Bardin, L. (2011). Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Bazzo, R. P. (2012). Interdisciplinaridade no ensino de graduação na área da saúde: Percepção de estudantes. (Trabalho de Conclusão do Curso). Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, Brasil. Recuperado de: https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/103651

Costa, M. V. (2016). A educação interprofissional no contexto brasileiro: Algumas reflexões. Revista Interface, Comunicação, Saúde e Educação, 20(5), 197-198.

Del-Masso, M. C. S., Roveda, J. A. F., Zuanon, A. C. C., & Galhardo, E. (2017). Interdisciplinaridade em Extensão Universitária. Revista Ciência em Extensão, 13(3), 2-12.

Esmeraldo, G. R. D. O. V., de Oliveira, L. C., de Souza, K. M. M., Araújo, M. Â. M. M., Esmeraldo Filho, C. E., & de Noronha Viana, É. M. (2009). Análise do acolhimento na estratégia de saúde da família sob a perspectiva do usuário. Revista de APS – Atenção Primária à Saúde, 12(2), 119-130.

Farias, D. N. D., Ribeiro, K. S. Q. S., Anjos, U. U. D., & Brito, G. E. G. D. (2018). Interdisciplinaridade e interprofissionalidade na Estratégia Saúde da Família. Trabalho, Educação e Saúde, 16(1), 141-162.

Fazenda, I. C. A. (2008). Interdisciplinaridade: História, teoria e pesquisa. 15ª ed. São Paulo: Papirus.

Fazenda, I. C. A. (2011). Integração e interdisciplinaridade no ensino brasileiro: Efetividade ou ideologia. 6ª ed. São Paulo: Loyola.

Fazenda, I. C. A. (2014). Interdisciplinaridade: Pensar, pesquisar e intervir. São Paulo: Cortez.

Gattás, M. L. B. (2005). Interdisciplinaridade em cursos de graduação na área da saúde da Universidade de Uberaba- UNUIBE. (Tese de Doutorado). Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, Brasil. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/22/22131/tde-20062005-083314/pt-br.php

González, A. D., & Almeida, M. J. (2010). Integralidade da saúde: Norteando mudanças na graduação dos novos profissionais. Revista Ciência & Saúde Coletiva, 15(3), 757- 760.

Gonze, G. G., & Silva, G. A. D. (2011). A integralidade na formação dos profissionais de saúde: Tecendo valores. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 21(1), 129-146.

Japiassu, H. (1976). Interdisciplinaridade e patologia do saber. Rio de Janeiro: Imago.

Meneses, A. D. F. P., Campos, P. P. T. V. Z., Gemma, S. F. B., & Fuentes-Rojas, M. (2019). Seminários interdisciplinares como instrumento de articulação de saberes: um relato de experiência. Revista Eletrônica de Educação, 13(1), 336-349.

Minayo, M. C. S. (2010a). Disciplinaridade, interdisciplinaridade e complexidade. Revista Emancipação, 10(2), 435-442.

Minayo, M. C. S. (2010b). Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. 29ª ed. Petrópolis: Vozes.

Moraes, J. T., & Lopes, E. M. T. (2010). A formação de profissionais de saúde em instituições de ensino superior de Divinópolis, Minas Gerais. Revista Trabalho, Educação e Saúde, 7(3), 435-444.

Oelke, N. D., Suter, E., da Silva Lima, M. A. D., & Van Vliet-Brown, C. (2015). Indicators and measurement tools for health system integration: a knowledge synthesis protocol. Systematic Reviews, 4(1), 99.

Oliveira, F., & Goulart, P. M. (2015). Fases e faces da extensão universitária: Rotas e concepções. Revista Ciência e Extensão, 11(3), 8-27.

Peleias, I. R., Mendonça, J. D. F., Slomski, V. G., & Fazenda, I. C. A. (2011). Interdisciplinaridade no ensino superior: análise da percepção de professores de controladoria em cursos de ciências contábeis na cidade de São Paulo. Avaliação: Revista da Avaliação da Educação Superior (Campinas), 16(3), 499-532.

Poder, T. G., Carrier, N., & Bédard, S. K. (2018). Measuring interdisciplinarity in clinical practice with IPC59, a modified and improved version of IPC65. Plos One, 13(7), e0197484.

Raimundo, J. S., & Cadete, M. M. M. (2012). Escuta qualificada e gestão social entre os profissionais de saúde. Acta Paulista de Enfermagem, 25(2), 61-67.

Rosa, M. G. O. (2007). A interdisciplinaridade e as novas formas de organização do conhecimento. Revista Aprender – Caderno de Filosofia e Psicologia da Educação, 8, 101-112.

Scherer, M. D. A., Pires, D. E. P., & Jean, R. A. (2013). Construção da interdisciplinaridade no trabalho da Equipe de Saúde da Família. Revista Ciência & Saúde Coletiva, 18(11), 3203-3212.

Publicado
05-03-2020
Como Citar
SANTANA, D.; DA SILVA, M. A percepção de estudantes da área da saúde sobre o trabalho interdisciplinar: Experiência no projeto de extensão Sorriso de Plantão. Revista Brasileira de Extensão Universitária, v. 11, n. 1, p. 13-24, 5 mar. 2020.
Seção
Artigos