ESPAÇOS E TEMPOS VIVIDOS NA ESCOLA: implicações para os processos de subjetivação e ensino-aprendizagem na perspectiva de jovens estudantes e seus professores

  • Ivone Maria Mendes Silva Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)
  • Nauíra Zanardo Zanin Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)

Resumo


Partindo de uma discussão existente na literatura acadêmica acerca das transformações em curso na vivência dos tempos/espaços pelos sujeitos sociais e suas repercussões no contexto escolar, buscamos problematizar a forma como essas questões têm sido percebidas por profissionais da educação e estudantes com quem tivemos a oportunidade de dialogar em pesquisas realizadas ao longo dos últimos anos (SILVA, CRISTOFOLI & ZANIN, 2012; ZANIN et al, 2013). Tais pesquisas revelam a falta de sentido do trabalho escolar, sobretudo na perspectiva dos/as estudantes, e a crise de legitimidade que atinge a escola atualmente, colocando em evidência o descompasso existente entre a realidade escolar tal como se apresenta e as novas significações que as categorias de espaço e de tempo alcançaram na contemporaneidade, com implicações para os modos de subjetivação de crianças e jovens, sua escolarização, bem como para a vida em sociedade. As pesquisas nos permitiram acessar, também, as percepções dos sujeitos escolares sobre a forma como a educação integral, concretizada em iniciativas como o Programa Mais Educação, tem impactado suas vivências de tempo/espaço no interior das escolas. No presente artigo, buscamos aproximar esses achados de pesquisa do debate que vem sendo alimentado por outros pesquisadores (CAVALIERE, 2007; GADOTTI, 2009; ARROYO, 2012), os quais apontam tanto a fecundidade das práticas desenvolvidas com base na ideia de educação integral – e, mais amplamente, no questionamento do modelo escolar vigente – quanto as contradições e desafios que acompanham as tentativas de implementá-las no ensino público brasileiro.
 

Biografia do Autor

Ivone Maria Mendes Silva, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)
Psicóloga e Mestre em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Mestre em Educação pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG) e Doutora em Psicologia pela Universidade de São Paulo (USP). Professora adjunta na área de Psicologia da Educação na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Campus Erechim/RS.  
Nauíra Zanardo Zanin, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)
Arquiteta e Urbanista, Mestre em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) na linha de Edificações e Comunidades Sustentáveis. Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professora do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Campus Erechim/RS.  
Publicado
10-12-2017
Como Citar
SILVA, Ivone Maria Mendes; ZANIN, Nauíra Zanardo. ESPAÇOS E TEMPOS VIVIDOS NA ESCOLA: implicações para os processos de subjetivação e ensino-aprendizagem na perspectiva de jovens estudantes e seus professores. Gavagai - Revista Interdisciplinar de Humanidades, [S.l.], v. 4, n. 2, p. 121-143, dez. 2017. ISSN 2358-0666. Disponível em: <https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/GAVAGAI/article/view/9085>. Acesso em: 17 jan. 2019.
Seção
Artigos