CARACTERIZAÇÃO DOS NÚCLEOS UNIVERSITÁRIOS DE APOIO PSICOSSOCIAL AOS ESTUDANTES DE MEDICINA DA REGIÃO SUL DO BRASIL

  • Gabriella Medlo Barrozo UFFS/Chapecó
  • Amanda Boff
  • Leonardo Félix Corezzolla
  • Maicon Madureira
  • Jane Kelly Oliveira Friestino
  • Felipe José Nascimento Barreto

Resumo

Introdução: O curso de medicina demanda grande responsabilidade e alta carga horária desde o primeiro semestre, além de promover o contato dos estudantes com situações como a morte. Isso, somado à privação do descanso e do lazer, insegurança e inquietação quanto ao futuro, bem como a pressão social acerca dos estudantes, os torna vulneráveis a desenvolverem transtornos mentais ou sofrimento mental. Por isso, faz-se necessário mapear a existência ou não de grupos que amparem os estudantes. Objetivos: Caracterizar e mapear núcleos de apoio psicossocial especializados aos estudantes de Medicina na região Sul do Brasil. Metodologia: Trata-se de estudo exploratório quantitativo sobre a existência de núcleos de apoio psicossocial aos estudantes de Medicina da região Sul do Brasil. Inicialmente foi realizado um levantamento de todas as escolas médicas em funcionamento no ano de 2018, nos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, por meio dos registros presentes no site Escolas Médicas do Brasil. Após essa identificação, foi realizada uma busca em todas as páginas referentes aos cursos disponíveis pela internet. As informações encontradas foram sistematizadas por meio de uma planilha eletrônica no Microsoft Excel 2010, contendo as variáveis: nome da instituição de ensino superior, existência de núcleo de apoio psicossocial, categoria profissional disponível aos estudantes, cursos que atendem e fonte dos dados coletados. A análise foi realizada por meio de estatística descritiva. Resultados e Discussão: Foram identificadas 54 escolas médicas em funcionamento na região Sul, sendo 21 do Paraná, 14 de Santa Catarina e 19 no Rio Grande do Sul. Dentre as 54 escolas médicas avaliadas,  36 são privadas (66,7%) e 18 são públicas (33,3%). De acordo com a disponibilidade de informações via internet em plataformas das instituições, observa-se que as públicas têm o maior número de núcleos de apoio psicossocial (77,7% delas, contra 55,2% das instituições privadas), embora esses não sejam especializados aos estudantes de Medicina. Em relação às categorias profissionais encontradas nos núcleos de apoio foram identificados: psicólogos, médicos generalistas, psiquiatras, pedagogos, assistentes sociais e acadêmicos de psicologia. Conclusão: No mapeamento foi encontrada uma deficiência de oferta de atendimento especializado, específicos aos estudantes de medicina, visto que apenas 63% das instituições contam com grupos de apoio, tornando evidente a necessidade de promover maior suporte psicossocial neste período, o que poderia ser ofertado de maneira mais direcionada pelas próprias instituições.
Publicado
13-06-2018
Como Citar
MEDLO BARROZO, Gabriella et al. CARACTERIZAÇÃO DOS NÚCLEOS UNIVERSITÁRIOS DE APOIO PSICOSSOCIAL AOS ESTUDANTES DE MEDICINA DA REGIÃO SUL DO BRASIL. I Simpósio de Urgências e Emergências e II Semana Acadêmica do Curso de Medicina da Universidade Federal da Fronteira Sul, [S.l.], v. 1, n. 1, jun. 2018. Disponível em: <https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/SUE/article/view/7895>. Acesso em: 19 jan. 2019.