PERFIL DOS CONSUMIDORES DE LEITE EM REALEZA E REGIÃO - PARANÁ

  • Alcione Santa Catarina
  • Angélica Link
  • Marla Schneider Universidade Federal Fronteira Sul
  • Bruna Rizzo
  • Cristiano Zanella
  • Karina Ramirez Starikoff
  • Maiara Garcia Blagitz Azevedo

Resumo

Introdução: O leite pode ser considerado um alimento completo, uma vez que possui alto valor nutritivo, sendo fonte de proteínas, lipídios, açúcares, sais minerais e vitaminas (VEISSEYRE, 1998). Porém, quando não seguidas as boas práticas de manejo e armazenamento, o leite pode se tornar um meio ideal para o desenvolvimento de microorganismos patogênicos, e possui potencial risco à saúde quando consumido cru. O hábito de consumir leite cru, ou informal, pela população, está diretamente relacionado a conceitos previamente formados de que este produto possui boa qualidade, além do desconhecimento dos riscos que esse produto pode oferecer. Objetivos: O objetivo do presente trabalho foi avaliar o perfil do consumidor de leite da cidade de Realeza e região por meio de questionário, fazendo uma pesquisa das pessoas que tomam leite cru e nível de conhecimento frente às enfermidades que o esse alimento in natura pode transmitir. Metodologia: Aplicou-se um questionário fechado, contendo 20 questões, referentes ao consumo de leite cru e industrializado, hábitos de fervura, conhecimento de enfermidades transmitidas, entre outras. No total 55 pessoas foram entrevistadas aleatoriamente de diferentes idades e escolaridade. Dos dados obtidos foi realizada porcentagem e comparados entre si. Resultados e Discussão: A maior parte das pessoas entrevistadas tinha entre 20 e 30 anos de idade (35,19%) e entre 10 e 19 anos (29,63%). 57,41% afirmaram consumir leite diariamente e quanto a preferência pelo tipo, UHT (53,7%), pasteurizado (24,7%), sem processamento térmico (12,96%) e os demais não tiveram preferência. Apenas, 11,11% das pessoas entrevistadas afirmaram consumir leite cru, e destas, 50% tem escolaridade nível ensino médio completo, o que condiz com Ornellas, et al., (2017), que não encontraram correlação entre o nível de escolaridade e informação sobre os riscos do consumo do leite cru. Os motivos do consumo de leite cru somaram 50% por costume, 33,33% por acreditar ser nutritivo e mais saboroso, e 16,67% por costume e mais saboroso. As pessoas que consomem leite cru afirmam ferver antes do uso, e segundo Morais & Sigulem (2000), essa é uma prática efetiva para diminuir a carga bacteriana. 59,26% não tinham conhecimento das doenças transmitidas pelo consumo de leite cru e 33,33% do total de pessoas entrevistadas sabiam que o leite cru pode transmitir brucelose e/ou tuberculose. Conclusão: Podemos concluir que com a facilidade de encontrar leite processado, o consumo de leite cru está diminuindo, e a maioria das pessoas o fazem por costume. A fervura do leite é um hábito, e a maior parte das pessoas entrevistadas não possuem o conhecimento das possíveis doenças transmitidas pelo leite cru, o que enfatiza a importância dos trabalhos de conscientização e divulgação das informações a população.
Publicado
07-08-2018
Como Citar
SANTA CATARINA, Alcione et al. PERFIL DOS CONSUMIDORES DE LEITE EM REALEZA E REGIÃO - PARANÁ. Simpósio em Saúde e Alimentação, [S.l.], v. 1, n. 1, ago. 2018. ISSN 2526-9917. Disponível em: <https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/SSA/article/view/8352>. Acesso em: 17 jan. 2019.