ATUAÇÃO DO PET-SAÚDE/GRADUASUS NA INTEGRAÇÃO ENSINO-SERVIÇO: A EXPERIÊNCIA DO SETEMBRO AMARELO E OUTUBRO ROSA NO MUNICÍPIO DE CHAPECÓ

  • Lara Ribeiro Cruz Universidade Federal da Fronteira Sul, Campus Chapecó
  • Bruna Vale Leal Universidade Federal da Fronteira Sul, Campus Chapecó
  • Carolina Magalhães Universidade Federal da Fronteira Sul, Campus Chapecó
  • Jéssica Schroder Universidade Federal da Fronteira Sul, Campus Chapecó
  • Rubens Dahlke Universidade Federal da Fronteira Sul, Campus Chapecó
  • Sarah Franco Vieira de Oliveira Maciel Universidade Federal da Fronteira Sul, Campus Chapecó

Resumo

OBJETIVO Apresentar como o grupo da medicina do PET-Saúde/GraduaSUS vem promovendo a integração do ensino - serviço - comunidade em datas relevantes no calendário da saúde pública de Chapecó. MÉTODOS O PET atuou pela temática da saúde mental e saúde da mulher no meio acadêmico e com a comunidade externa nos Centros de Saúde da Família (CSF). O PET buscou trabalhar a prevenção da saúde mental ao conversar com os usuários do serviço sobre o tema. No Outubro Rosa, trabalhou a saúde da mulher através da explicação do auto-exame e, em ambos os momentos, auxiliou a Estratégia de Saúde da Família nas atividades programadas, como realização de testes rápidos, coletas de e cadastros de preventivos e mamografias no SISCAN. No meio acadêmico, os petianos promoveram eventos de educação em saúde: simpósio sobre suicídio, uma palestra sobre sífilis na gravidez e também um simpósio denominado “Outubro Mulher, Saúde Rosa”, com um médico oncologista, uma enfermeira e uma paciente que relatou sua experiência com o câncer de mama. Os petianos também receberam instrumentalização de profissionais da Rede que atuam sobre a temática do câncer de mama na Secretaria de Saúde do município. RESULTADOS O simpósio sobre saúde mental, a palestra sobre sífilis na gravidez e o evento “Outubro Rosa, Saúde Mulher”, tiveram adesão da comunidade acadêmica da UFFS e de outras instituições, além de diversificados cursos:  medicina, enfermagem, psicologia, educação física. Tais momentos suscitaram questões importantes sobre os temas e serviram como instrumentalização dos petianos para as ações com os usuários nos CSF. Na interação com o público externo, na ação do Setembro Amarelo nos CSF, nota-se que ainda é uma temática que precisa ser mais divulgada e cada vez mais trabalhada nas escolas médicas, pois é um tabu para a população. Na ação do Outubro Rosa nos CSF, o público feminino se mostra bastante familiarizado com o tema, sendo que a maioria das usuárias relatou estar em dia com seus exames de rotina. CONCLUSÃO O PET alcançou o seu objetivo principal, que é a integração do ensino-serviço nestes dois meses de atividade. Além disso, foi ao encontro das Diretrizes Curriculares Nacionais, que visam a priorização do autocuidado e da prevenção, através da educação em saúde, nos diferentes âmbitos. E para os Petianos é uma oportunidade de ampliar o leque de conhecimentos, estar mais integrado ao serviço independente da fase do curso em que se encontrem e também de desenvolver sua autonomia e protagonismo ao organizar e participar as ações.Palavras-chave: Autocuidado; Atenção Primária à Saúde; Educação em saúde. 

##submission.authorBiography##

Lara Ribeiro Cruz, Universidade Federal da Fronteira Sul, Campus Chapecó
Acadêmica de medicina na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) , campus Chapeco, e técnica em química pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina (IFSC), Campus Florianópolis.
Publicado
06-04-2018
Como Citar
CRUZ, Lara Ribeiro et al. ATUAÇÃO DO PET-SAÚDE/GRADUASUS NA INTEGRAÇÃO ENSINO-SERVIÇO: A EXPERIÊNCIA DO SETEMBRO AMARELO E OUTUBRO ROSA NO MUNICÍPIO DE CHAPECÓ. Congresso Internacional de Políticas Públicas de Saúde, [S.l.], v. 1, n. 1, abr. 2018. Disponível em: <https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/CIPPS/article/view/7224>. Acesso em: 20 jan. 2019.
Seção
Educação e Formação em Saúde