PRÁTICAS DE PESQUISA NA FORMAÇÃO MÉDICA: REFLEXOS NA ATUAÇÃO PROFISSIONAL

  • Cintia Krilow Universidade Federal da Fronteira Sul, Campus Chapecó
  • João Victor Garcia de Souza Universidade Federal da Fronteira Sul, Campus Chapecó
  • Margarete Dulce Bagatini Universidade Federal da Fronteira Sul, Campus Chapecó

Resumo

Resumo: A Educação Médica tem sofrido mudanças no sentido de se adequar às novas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN), buscando formar um profissional qualificado e capacitado para atender as necessidades em saúde da população brasileira. A adequação dos currículos, nessa conjuntura, tem contemplado diversas práticas, entre elas a pesquisa científica, o que possibilita maior integração ensino-serviço-comunidade de forma horizontal na formação do acadêmico. Na Universidade Federal da Fronteira Sul, cenário deste relato, o curso de Medicina teve início no segundo semestre de 2015, com a proposta de um Projeto Pedagógico de Curso (PPC) inovador e alinhado com as DCN de 2014. Sendo assim, além da inserção precoce, desde o primeiro semestre, nas unidades de serviço da Atenção Básica (AB) em Saúde, os acadêmicos têm a oportunidade de se aproximar e desenvolver projetos de pesquisa dentro do componente de Saúde Coletiva e, também, em momentos extracurriculares, ao se vincularem a grupos de pesquisa. O objetivo deste trabalho é socializar a experiência de acadêmicos do curso de Medicina da Universidade Federal da Fronteira Sul, campus Chapecó/SC, no desenvolvimento de um projeto de pesquisa extracurricular no ambiente da alta complexidade em saúde - Hospital Regional do Oeste. Desde setembro de 2017, vem sendo estruturado, por dois alunos da quinta fase do curso de medicina, sob supervisão de uma docente, um projeto que se propõe a analisar os casos de internação hospitalar por Meningite Bacteriana Aguda (MBA) e sua evolução. A proposta de tal pesquisa partiu das vivências desses acadêmicos no ambiente hospitalar, propiciada pelos componentes curriculares de Diagnóstico I e II, quando se depararam com evoluções atípicas da doença e distintos desfechos da própria. Assim, propuseram-se a analisar e a investigar os referidos casos, na tentativa de sistematizá-los e produzir relatos que pudessem contribuir para um adequado diagnóstico e para a instituição de um tratamento precoce nessas situações, com o intuito de obter o melhor prognóstico possível. De um modo geral, a MBA se manifesta com sintomas clássicos da tríade: cefaleia, febre e rigidez de nuca. Entretanto, variáveis dessa sintomatologia foram observadas, inclusive constituindo fator de confusão para o diagnóstico e tratamento adequados. A busca pelo desenvolvimento desse projeto é resultado da determinação em alcançar respostas e/ou alternativas para vencer as dificuldades da prática profissional, confluindo com o principal objetivo da pesquisa científica na formação acadêmica. Na percepção dos discentes envolvidos, a possibilidade de elaborar e realizar propostas como a tal durante a formação gera reflexos na futura prática profissional, uma vez que estimula habilidades de engajamento e protagonismo no enfrentamento das dificuldades do Sistema de Saúde. Portanto, a aproximação de atividades de pesquisa, promovida e estimulada precocemente pelo currículo inovador de formação médica, mostra-se fator importante no desenvolvimento de habilidades profissionais, alinhadas com as reais necessidades de saúde da população.   Palavras-chave: Formação Médica; Pesquisa em Saúde; Relatos de caso; Meningite Bacteriana.
Publicado
03-03-2018
Como Citar
KRILOW, Cintia; SOUZA, João Victor Garcia de; BAGATINI, Margarete Dulce. PRÁTICAS DE PESQUISA NA FORMAÇÃO MÉDICA: REFLEXOS NA ATUAÇÃO PROFISSIONAL. Congresso Internacional de Políticas Públicas de Saúde, [S.l.], v. 1, n. 1, mar. 2018. Disponível em: <https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/CIPPS/article/view/7031>. Acesso em: 20 jan. 2019.
Seção
Educação e Formação em Saúde