PERCEPÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS EM LABORATÓRIOS DIDÁTICOS DA ÁREA DA SAÚDE: UMA PERSPECTIVA MULTIDISCIPLINAR

  • Francieli Brusco da Silva Universidade Federal da Fronteira Sul Campus Chapecó
  • Thiago Gallina Delatorre Água Santa Ambiental
  • Filomena Marafon Universidade Federal da Fronteira Sul
  • Marta Kolhs Universidade Estadual de Santa Catarina
  • Arnildo Korb Universidade Estadual de Santa Catarina

Resumo

As estruturas laboratoriais universitárias atendem as necessidades pedagógicas de ensino, pesquisa e extensão nas mais diversas áreas. Embora o conceito de laboratório possa ser amplo, em alguns deles, em decorrência das atividades realizadas, seus usuários podem estar expostos a riscos. O termo risco, adotado neste contexto, relaciona-se com as chances, maiores ou menores, de indivíduos adoecerem ou até morrerem devido a algum agravo de saúde. Por necessidade de realização de uma intervenção proposta pela Disciplina de Promoção da Saúde ao Indivíduo e Coletividades do Programa de Mestrado Profissional em Enfermagem na Atenção Primária a Saúde, da Universidade Estadual de Santa Catarina-UDESC, foi realizada uma ação de gestão e mitigação de riscos ambientais nos laboratórios da área da saúde da Universidade Federal da Fronteira Sul-UFFS. A intervenção identificou os riscos ambientais dos espaços laboratoriais conforme a percepção de seus usuários, que são alunos, professores e técnicos administrativos de diversas áreas de conhecimento. Mapas de riscos ambientais foram confeccionados baseados nos riscos apontados e foram propostas ações que visam a melhoria dos ambientes e da segurança dos usuários. As principais proposições foram a aquisição de equipamentos; alerta sobre a importância do uso de equipamentos de proteção coletiva e individual e a mudança de hábitos. Um profissional enfermeiro desempenhou o papel de articulador da intervenção, estimulando discussões e reflexões a cerca dos riscos ambientais e possíveis mudanças nos espaços e nas atitudes dos usuários. Observou-se que, conforme as atividades que cada usuário desempenha no laboratório, a percepção dos riscos ambientais desses sujeitos é diferente. As discussões multidisciplinares proporcionaram a racionalização de riscos ambientais antes subestimados ou até mesmo desconhecidos. A troca de experiências e opiniões foi enriquecedora para os usuários participantes, pois aumentou o ângulo de visão sobre os riscos ambientais existentes em cada espaço. Os mapas de riscos ambientais foram utilizados como ferramenta para promoção da saúde individual e coletiva dos usuários dos laboratórios. Os mapas acompanhados das medidas preventivas necessárias para reduzir os riscos, foram expostos nos laboratórios, contribuindo com a visualização imediata dos riscos ambientais existentes naquele espaço. Assim, o usuário identifica os locais que demandam sua maior atenção, cuidado e vigilância. A implementação da ação objetivou alertar para a segurança no ambiente de trabalho e contribuir com a qualidade de vida dos que ali desempenham funções. Pela maneira participativa com que a atividade foi desenvolvida abrem-se possibilidade em implementar a metodologia nos demais laboratórios da universidade, tanto no campus de Chapecó, como nos demais campus da instituição.

Referências

BRASIL. PORTARIA N°25, de 29 de dezembro de 1994. Aprova o texto da Norma Regulamentadora n.º 9 - Riscos Ambientais e Inclui na Norma Regulamentadora nº 5, item 5.16. alínea “o”. Secretaria de Segurança e Saúde no Trabalho, 1994.

SANTOS, J.L.G. at al. Risco e vulnerabilidade nas práticas dos profissionais de saúde. Rev Gaúcha Enferm. v.33, n.2, p.205-212, Porto Alegre, 2012.
Publicado
15-02-2018
Como Citar
DA SILVA, Francieli Brusco et al. PERCEPÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS EM LABORATÓRIOS DIDÁTICOS DA ÁREA DA SAÚDE: UMA PERSPECTIVA MULTIDISCIPLINAR. Congresso Internacional de Políticas Públicas de Saúde, [S.l.], v. 1, n. 1, fev. 2018. Disponível em: <https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/CIPPS/article/view/7007>. Acesso em: 20 jan. 2019.
Seção
Educação e Formação em Saúde