Intervenção educativa para prevenção e controle de arboviroses

relato de experiência

  • Manuela Christianetti UFFS
  • Gabriella Garcia da Silva
  • Erickson Fernando Carvalho de Azevedo
  • Ana Beatriz Mesquita Mafra
  • Agnes de Fátima Pereira Cruvinel
  • Marcia Aparecida Frydricheski de Campos
  • Gabriel Milan Ebers
  • Carolina Martins Magalhães

Resumo

Nos últimos anos, o município de Chapecó-SC tem evidenciado uma rápida expansão do número de focos de Aedes aegypti, tornando-se assim, uma área de risco para o aparecimento de novos casos de doenças como Dengue, Zika e Chikungunya. Com o intuito de prevenir e controlar essas doenças, ações baseadas na participação comunitária e educação em saúde, em conjunto com ações de vigilância ambiental e epidemiológica têm sido valorizadas e realizadas na região para eliminação dos focos do mosquito. Objetivo: Relatar uma experiência vivenciada por acadêmicos de medicina quanto às práticas de educação em saúde e de vigilância ambiental realizadas com pré-escolares para prevenção e controle das arboviroses. Metodologia: O trabalho de educação em saúde foi realizado no Centro de Educação Infantil Municipal Juninho, no bairro Universitário, município de Chapecó-SC. A atividade foi pactuada previamente com o serviço de vigilância ambiental, com o Centro de Saúde da Família Santo Antônio e com a escola, envolvendo a participação de seis acadêmicos da 2a Fase do Curso de Medicina, um docente da área de saúde coletiva, ambos da Universidade Federal da Fronteira Sul, Campus Chapecó, dois agentes de combate às endemias e crianças com idade entre 03 e 05 anos. Para o desenvolvimento das ações educativas abordando os mecanismos de eliminação do Aedes aegypti foram utilizados mosquitos capturados e armazenados em tubos de vidro, um jogo de tabuleiro sobre o ciclo de vida do mosquito, música, desenhos e pinturas. As atividades foram executadas na própria sala de aula dos pré-escolares, juntamente com a participação das professoras. As crianças foram divididas em pequenos grupos para facilitar a condução das atividades, sendo supervisionadas pelos acadêmicos do curso de medicina e pelas agentes de combate às endemias. As informações educativas sobre a erradicação do Aedes aegypti foram transmitidas às crianças de forma lúdica, clara e objetiva. Resultados e Discussão: As crianças e professores participaram ativamente das atividades. No término das ações, as crianças foram instigadas a responderem questionamentos que revelaram o aprendizado referente às formas de combate do mosquito. Professores, acadêmicos de medicina e agentes de combate às endemias encerraram a atividade refletindo sobre a importância do trabalho de educação em saúde para proporcionar modificações efetivas na realidade daqueles indivíduos, impactando nas prevenções de doenças. Conclusão: A experiência vivenciada pelos acadêmicos do curso de medicina pode demonstrar a importância da educação em saúde nas práticas da vigilância ambiental, apresentando ser uma estratégia efetiva para a prevenção em saúde, pois dissemina informações importantes para evitar a propagação de doenças. Trabalhar com as crianças intensifica essa percepção, já que são multiplicadoras de conhecimento na comunidade e para o futuro, impactando diretamente na forma em que pensam e agem.         
Publicado
13-06-2018
Como Citar
CHRISTIANETTI, Manuela et al. Intervenção educativa para prevenção e controle de arboviroses. I Simpósio de Urgências e Emergências e II Semana Acadêmica do Curso de Medicina da Universidade Federal da Fronteira Sul, [S.l.], v. 1, n. 1, jun. 2018. Disponível em: <https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/SUE/article/view/7880>. Acesso em: 19 jan. 2019.