CARACTERÍSTICAS SOCIODEMOGRÁFICAS NA ATENÇÃO BÁSICA

Contribuições das Informações em Saúde no Observatório Geográfico da Fronteira Sul

  • Venir Guilherme Baldissera Acadêmico de Medicina, Universidade Federal da Fronteira Sul – Campus Chapecó
  • Amauri de Oliveira Acadêmico de Medicina, Universidade Federal da Fronteira Sul – Campus Chapecó
  • Lucas Rosa Nakalski Acadêmico de Medicina, Universidade Federal da Fronteira Sul – Campus Chapecó
  • Jane Kelly Oliveira Friestino Doutora em Saúde Coletiva, Universidade Federal da Fronteira Sul - Campus Chapecó

Resumo

Introdução: A falta de dados e informações em saúde constitui em um dos grandes entraves para o avanço de estudos e pesquisas regionais. A uniformização das informações relacionados a um determinado espaço é uma tarefa importante para o planejamento da pesquisa a médio e longo prazo. Objetivo: Descrever as características sociodemográficas dos CSFs que constituem-se como locais de estudo da pesquisa “Sofrimento Mental na Atenção Básica: Profissionais, Diagnóstico e Tratamento em um Município da Região Oeste de Santa Catarina”, que aborda a prescrição de psicotrópicos na Atenção Básica. Método: Trata-se de uma pesquisa quantitativa pertencente ao Observatório Geográfico da Fronteira Sul, sendo pautada na coleta, sistematização, análise e síntese de dados, informações geográficas e sociodemográficas, tendo por base os territórios de atuação dos quatro CSF pertencentes ao referido estudo: CSF Colônia Cela, CSF Sul, CSF Goio-en/Cachoeira e CSF São Pedro. Em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Chapecó foram utilizados os relatórios dos sistemas de informação: WinSaúde e eSUS, referente a população cadastrada nos CSF do município, no mês de abril de 2018. Os dados foram tabulados e analisados de forma comparativa, sendo excluídos casos que estavam assinalados como não informado. Foram analisados de forma absoluta e/ou proporcional o número de residências rurais e urbanas, sexo, faixa etária, escolaridade (analfabetismo) e saneamento básico (destino de fezes e urina).  Resultados e Discussão: Na distribuição de residências entre rural e urbano temos uma grande variação, o CSF São Pedro é a unidade mais urbana (n = 2845; 99,0%) seguido pelo CSF Sul (n = 1929; 73,5%) e CSF Colônia Cella (n = 397; 59,8%), já o CSF Goio-ên/Cachoeira é predominantemente rural (n = 596; 97,9%), quanto ao sexo as duas primeiras unidades possuem mais mulheres (n = 6448; 51,9%) e (n = 6944; 53,4%), respectivamente, e as duas últimas possuem mais homens, (n = 1335; 50,4%) e (n = 1124; 51,6%), respectivamente. No saneamento básico, a fossa rudimentar é a mais utilizada em todos os CSF (variação entre 74,4% e 92,4%), destaca-se negativamente o CSF São Pedro que possui várias residências despejando dejetos diretamente em rios/lagos (n = 296; 10,4%) e a céu aberto (n = 15; 0,5%). Quanto a taxa de analfabetismo, ela é menor nos CSF com maior população urbana: CSF São Pedro (n = 253; 2,0%) e CSF Sul (n = 255; 2,0%), e maior nos com população mais rural: CSF Goio-en/Cachoeira (n = 176; 8,1%) e CSF Colônia Cella (n = 196; 7,4%). A população dos CSF Sul, Colônia Cella e São Pedro é maior na faixa de 20 a 29 anos (variação entre 17,5% e 18,9%), já o CSF Goi-en/Cachoeira possui maior frequência na faixa etária de 30 a 39 anos (16,7%). Uma das limitações do estudo refere-se a falta de uniformização dos dados, pois notou-se que os sistemas ainda não possuem registros semelhantes. Conclusão: O conhecimento dos indicadores sociodemográficos constitui-se como importante instrumento para a caracterização das particularidades de cada território, e nesse sentido, podem ser utilizados como base para tomada de decisões.
Publicado
13-06-2018
Como Citar
BALDISSERA, Venir Guilherme et al. CARACTERÍSTICAS SOCIODEMOGRÁFICAS NA ATENÇÃO BÁSICA. I Simpósio de Urgências e Emergências e II Semana Acadêmica do Curso de Medicina da Universidade Federal da Fronteira Sul, [S.l.], v. 1, n. 1, jun. 2018. Disponível em: <https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/SUE/article/view/7872>. Acesso em: 19 jan. 2019.