ABORDAGEM EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE NO COMPLEXO PRISIONAL DE CHAPECÓ/SC: RELATO DE EXPERIÊNCIA

  • Alessandra Paiz Universidade Federal da Fronteira Sul Campus Chapecó
  • Filomena Marafon
  • Aline Mânica
  • Beatriz da Silva Rosa Bonadiman
  • Celso Spada
  • Margarete Dulce Bagatini

Resumo

Introdução: Conforme dados da Departamento Prisional Brasileiro (DEPEN), o país apresentava uma população prisional de 607.731 de indivíduos privados de liberdade no ano de 2014, indicando uma taxa de ocupação de 161% (BRASIL, 2014). No que concerne à caracterização das condições carcerária desta população, pode-se destacar que majoritariamente são formadas por jovens negros, de baixa renda e escolaridade. Ademais, as situações de superlotação das celas, precariedade e insalubridade, se aliam às condições de alimentação restrita e sedentarismo. Outros fatores como a utilização de drogas injetáveis, perfurações corporais com instrumentos não esterilizados, ocorrência de atividades sexuais consensuais e não-consensuais, na maioria das vezes desprevenidas, o descuido com a higiene e asseio pessoal, fazem com que  esse público apresente uma  propensão maior à ocorrência de agravos, como as enfermidades de transmissão aérea, como a tuberculose, e também as infecções sexualmente transmissíveis, como o vírus da imunodeficiência humana (HIV) (MAERRAWI; CARVALHO, 2015), que representa 1,2% de ocorrência nessa população em comparação com 0,39% na população em geral (UNAIDS, 2017). Devido as características desse grupo populacional torna-se relevante a realização de abordagens preventivas em saúde para um maior esclarecimento e conscientização dessa população. Objetivos: O presente trabalho teve por objetivo a realização de ações educacionais em saúde para indivíduos privados de liberdade. Metodologia: Esse projeto foi desenvolvido na Penitenciária Agrícola do Complexo Prisional de Chapecó/SC, onde juntamente com profissionais do Serviço de Atenção Especializada ao indivíduo soropositivo para o HIV (antigo Hospital DIA) realizou-se palestra sobre a temática HIV e a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS) para a totalidade de indivíduos das duas galerias prisionais. Resultados e Discussão: As palestras abordaram de maneira clara e simples as principais informações sobre a infecção ocasionada pelo HIV, formas de contágio, testagem, profissionais de referência e medidas preventivas. No decorrer da explanação, os indivíduos apresentaram diversas perguntas e dúvidas relacionadas ao mecanismo de transmissão, prevenção e tratamento, as quais foram esclarecidas pelos profissionais da área. Conclusão: Verificou-se ao final da abordagem, através das dúvidas expostas pelos participantes, a importância da realização de estratégias preventivas em saúde para abordagem dessa e de outros temas, possibilitando aos indivíduos uma adequada compreensão sobre as infecções, e diferentes condições de saúde-doença.
 

##submission.authorBiography##

Alessandra Paiz, Universidade Federal da Fronteira Sul Campus Chapecó
Alessandra Paiz, acadêmica do curso de graduação em efermagem pela Universidade Federal da Fronteira Sul-Campus Chapecó/SC.
Publicado
21-08-2018
Como Citar
PAIZ, Alessandra et al. ABORDAGEM EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE NO COMPLEXO PRISIONAL DE CHAPECÓ/SC: RELATO DE EXPERIÊNCIA. Simpósio em Saúde e Alimentação, [S.l.], v. 1, n. 1, ago. 2018. ISSN 2526-9917. Disponível em: <https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/SSA/article/view/8548>. Acesso em: 17 jan. 2019.