RELAÇÃO ENTRE HÁBITOS ALIMENTARES E MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS DO DIABETES MELLITUS TIPO II: UM ESTUDO DE CASO

  • Calinca Skonieski Universidade Federal da Fronteira Sul
  • Gabriela Sandri
  • Daiane Manica
  • Dalila Moter Benvegnú

Resumo

RELAÇÃO ENTRE HÁBITOS ALIMENTARES E MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS DO DIABETES MELLITUS TIPO II: UM ESTUDO DE CASO
 
Calinca Skonieski [1]
Gabriela Sandri [2]
Daiane Manica [3]
Dalila Moter Benvegnú [4]
 
Introdução: Atualmente o Diabetes Mellitus (DM) está sendo considerado uma epidemia mundial em curso, sendo que, o DM tipo II é a forma presente na maioria dos casos e caracteriza-se por defeitos na ação e/ou secreção da insulina (SBD, 2014). Estudos estimam que em 2030 haverá 300 milhões de adultos com DM e isso pode estar associado à maior urbanização, a dietas com alto teor de gordura, a falta de atividade física e a crescente prevalência de obesidade. Dessa forma, se houver adesão ao tratamento da doença, principalmente no que diz a respeito à mudança na dieta, às manifestações clínicas podem ser diminuídas (GONG et al., 2013). Objetivo: Assim, o objetivo deste trabalho foi realizar um estudo de caso com um paciente diagnosticado com DM tipo II, a fim de investigar as principais manifestações clínicas apresentadas pelo mesmo e a relação com os seus hábitos alimentares. Metodologia: Após a aprovação do projeto pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal da Fronteira Sul (CEP-UFFS), pelo número 60912016.4.0000.5564 ocorreu à seleção do indivíduo participante, tendo em vista as principais manifestações clínicas e hábitos alimentares, além de apresentar diagnóstico confirmado de DM tipo II. Após, foi aplicado uma anamnese englobando questões como dados pessoais e história clínica e alimentar, a fim de investigar a relação entre os hábitos alimentares e as manifestações clínicas da doença apresentados pelo paciente. Ao final, ocorreu o tratamento dos dados. Resultados e Discussão: O participante da pesquisa era um indivíduo do sexo masculino, com idade de 48 anos, obeso e com diagnóstico de DM tipo II. As principais manifestações clínicas apresentadas pelo paciente são sede e vontade de urinar frequente. Segundo o autor Gross et al., (2002) no que se refere a idade a mesma é um fator de risco, já em relação às manifestações clínicas o autor também apresenta resultados semelhantes. Além disso, quando questionado sobre os hábitos alimentares o indivíduo relatou preferência por alimentos com elevado índice glicêmico, como as massas e pouca preferência para alimentos integrais, que são ricos em fibras, como arroz integral, pão integral, macarrão integral e aveia. Ainda sobre as preferências alimentares o indivíduo relatou consumir elevadas quantidades de alimentos embutidos e ultraprocessados, durante a semana, tais como, bacon, calabresa, presunto e linguiça. Em relação ao consumo de verduras e legumes o indivíduo relatou indiferença e quando questionado sobre o consumo de frutas o mesmo relatou preferência e alto consumo, principalmente banana e maçã. Segundo o autor Gross et al., (2002) os hábitos alimentares inadequados tem grande influência no controle glicêmico e dessa forma promovem aumento das complicações clínicas relacionadas ao DM, sendo elas a curto, médio e longo prazo. Conclusão: Portanto, ao final deste estudo pôde-se observar que o controle adequado do DM tipo II só irá ser atingido com planejamento alimentar juntamente com a prática de atividade física, já que a obesidade é considerada um fator de resistência periférica à insulina, favorecendo o surgimento de tal enfermidade e suas manifestações clínicas.
 
Palavras-chave: Manifestações Clínicas; Dieta; Diabetes Mellitus.
 
Referências
 
GONG, Li et al. Comparison of the Clinical Manifestations of Type 2 Diabetes Mellitus Between Rhesus Monkey (Macaca mulatta lasiotis) and Human Being. Pancreas, [s.l.], v. 42, n. 3, p.537-542,
abr. 2013.
 
GROSS, Jorge L. et al. Diabetes Melito: Diagnóstico, Classificação e Avaliação do Controle Glicêmico. Arq Bras Endocrinol Metab, Porto Alegre, v. 46, n. 1, p.16-26, fev. 2002.
 
Sociedade Brasileira de Diabetes. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes. Barueri, SP: A. Araújo Silva Farmacêutica, 2014.
 
[1] Acadêmica de Nutrição da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Campus Realeza-PR, calincasko@gmaill.com
2 Acadêmica de Nutrição da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Campus Realeza-PR, gabi-sandri03@hotmail.com.
3  Acadêmica de Nutrição da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Campus Realeza-PR, daianemanica2011@hotmail.com
4 Docente na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), Campus Realeza-PR, dalilabenvegnu@yahoo.com.br.
 
 
Publicado
08-08-2018
Como Citar
SKONIESKI, Calinca et al. RELAÇÃO ENTRE HÁBITOS ALIMENTARES E MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS DO DIABETES MELLITUS TIPO II: UM ESTUDO DE CASO. Simpósio em Saúde e Alimentação, [S.l.], v. 1, n. 1, ago. 2018. ISSN 2526-9917. Disponível em: <https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/SSA/article/view/8382>. Acesso em: 17 jan. 2019.