AVALIAÇÃO DO POTENCIAL ANTIOXIDANTE DE PSEUDOFRUTOS DA UVA DO JAPÃO (Hovenia dulcis T.) A PARTIR DA QUANTIFICAÇÃO DE COMPOSTOS FENÓLICOS

  • Gisiéli Carla Morandin Universidade do Estado de Santa Catarina-UDESC
  • Darlene Cavalheiro
  • Georgia Ane Raquel Sehn

Resumo

Introdução: A demanda pelos consumidores e pela indústria de alimentos por produtos livres de compostos sintéticos tem impulsionado pesquisas por fontes naturais de compostos bioativos para aplicação em alimentos. Aqueles que apresentam atividade antioxidante são de grande interesse, pois a presença de radicais livres está associada a deterioração dos alimentos por oxidação de proteínas e lipídios. Nesse contexto, vários estudos vêm sendo desenvolvidos com o objetivo de utilizar os pseudofrutos de Hovenia dulcis T. para obtenção de compostos bioativos. Estes são ricos em compostos fenólicos , capazes de agir sobre os radicais ABTS e DPPH, sendo caracterizados como antioxidantes naturais de grande potencial para as indústrias farmacêuticas e alimentícias. Objetivos: Verificar a presença de compostos fenólicos em pseudofrutos de Hovenia dulcis. Metodologia: Amostras de pseudofrutos de Hovenia dulcis foram coletadas no período inicial de desenvolvimento dos pedúnculos na região de Chapecó-SC. Foram realizadas extrações conforme método descrito por Larrauri; Rupérez; Saura-Calixto (1997), com adaptações. Os pseudofrutos foram triturados, 7,5 gramas foram misturados com 50 mL de água destilada, agitado por 60 minutos em agitador Shaker LUCA-223, na velocidade de agitação de 100 rpm e temperatura de 25 ºC. Os extratos obtidos foram filtrados em papel quantitativo Wantmann nº 40. Os compostos fenólicos dos filtrados foram determinados através do método colorimétrico Folin-Ciocalteau adaptado por Swain; Hillis (1959). Resultados e Discussão O teor total de compostos fenólicos encontrado no extrato obtido foi de 3571,58 mg GA.100 g-1. Em estudo realizado por Rydlewski et al. (2017) utilizando diversos frutos, dentre eles a uva Japão com objetivo de verificar a presença de compostos bioativos encontraram resultados similares de teor de compostos fenólicos, porém inferiores, utilizando metanol como solvente extrator. Cabe ressaltar que o conteúdo de compostos fenólicos tende ser maior em frutos imaturos, pois são utilizados como metabólitos secundários para os mecanismos de defesa das plantas, e assim proteger os frutos jovens e permitir a sua maturação e reprodução, justificando os resultados encontrados neste estudo, visto que foi realizado utilizando os pseudofrutos em fase inicial de desenvolvimento. Conclusão: Os resultados demonstram que os pseudofrutos de Hovenia dulcis possuem alto potencial como agente antioxidante, podendo futuramente ser utilizado na indústria alimentícia como possível substituto de ingredientes sintéticos.
Publicado
08-08-2018
Como Citar
MORANDIN, Gisiéli Carla; CAVALHEIRO, Darlene; SEHN, Georgia Ane Raquel. AVALIAÇÃO DO POTENCIAL ANTIOXIDANTE DE PSEUDOFRUTOS DA UVA DO JAPÃO (Hovenia dulcis T.) A PARTIR DA QUANTIFICAÇÃO DE COMPOSTOS FENÓLICOS. Simpósio em Saúde e Alimentação, [S.l.], v. 1, n. 1, ago. 2018. ISSN 2526-9917. Disponível em: <https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/SSA/article/view/8376>. Acesso em: 17 jan. 2019.