https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/issue/feed Revista Insignare Scientia - RIS 2019-05-21T09:50:02-03:00 Roque Ismael da Costa Güllich roquegullich@uffs.edu.br Open Journal Systems <p style="text-indent: 1cm; line-height: 150%;" align="justify"><span style="font-family: Times\ New\ Roman, serif;"><span style="font-size: large;">A <strong>Revista Insignare Scientia – RIS</strong> surge, como um espaço de diálogos formativos na área de Ensino de Ciências, pela via da socialização das pesquisas e de práticas pedagógicas. Em especial, um diferencial do periódico em questão consiste nas seções: relatos de experiências, propostas didáticas, resenhas e biografias, em que se busca um diálogo diferenciado, entre pesquisadores e demais professores, sobre experiências inovadoras refletidas e sobre o desenvolvimento de estratégias metodológicas de ensino e aprendizagem tendo em vista a qualificação do ensino de Ciências, bem como espaço reservado a crítica de obras recentes e históricas como um processo que pode aguçar sempre a leitura crítica de obras do ensino. Quanto à seção “pesquisas no Ensino de Ciências” o objetivo consiste num efetivo diálogo referente ao estado da arte e em inovações referentes à área em questão, sempre com atenção também para a prática de sala de aula e os processos de ensinar e aprender Ciências. Acredita-se que as diferentes seções possibilitarão gêneros discursivos diferenciados ampliando o número de leitores e com isso qualificando também o compromisso assumido pela UFFS de uma educação pública de qualidade.</span></span></p> <p style="text-indent: 1cm; line-height: 150%;" align="justify"><span style="font-family: Times\ New\ Roman, serif;"><span style="font-size: large;">Pesquisar, sistematizar e comunicar saberes e fazer sobre o Ensino de Ciências é ampliar as perspectivas para um ensino de Ciências mais significativo na busca de espaços que promovam a necessária alfabetização científica e que reafirmam o posicionamento institucional frente à produção e disseminação do conhecimento.&nbsp; Com isso, referenda-se que a publicação científica, tanto nos seus aspectos quantitativos, quanto qualitativos, passou a ser uma dimensão estratégica nas políticas de desenvolvimento científico e tecnológico que os países e as instituições adotam para firmarem sua inserção na agenda nacional e internacional de pesquisa e pós-graduação, o que retrata a importância deste periódico junto ao PPGEC e ao GEPECIEM.</span></span></p> https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/10720 Problematização e reconhecimento de teorias e práticas de professores em formação para o ensino de Ciências com foco no educar pela pesquisa 2019-05-20T22:17:41-03:00 Janice Silvana Novakowski Kierepka janisilvana18@hotmail.com Lenir Basso Zanon bzanon@unijui.edu.br <p>Neste texto temos como objetivo identificar limites e possibilidades do Educar pela Pesquisa, particularmente, quanto à problematização de teorias e práticas, na visão de estudantes e professores participantes do Projeto inserido no PICMEL. Na pesquisa foram analisados encontros mensais gravados em áudio do Projeto inserido no PICMEL, realizados entre outubro de 2014 e 2015. Os encontros foram transcritos, seguindo-se de análise dos turnos de falas, os quais foram organizados em episódios que podem conter indícios da problematização e reconhecimento de teorias e práticas. A investigação segue uma abordagem qualitativa de pesquisa, a partir da análise temática dos conteúdos, conforme Lüdke &amp; André (2011). Utilizamos para análise a perspectiva histórico-cultural (VIGOTSKI, 2007; 2008). Identificamos nos turnos de fala indícios de problematização de teorias e práticas e de certa evolução de concepções sobre docência. Identificamos indícios que indicavam teorias de ensino que estavam em articulação com o Educar pela Pesquisa, indicando a internalização de concepções sobre o Educar pela Pesquisa. Propomos a necessidade de constituir coletivos colaborativos para a problematização conjunta, pois a reflexão é uma capacidade construída e se enriquece pelo diálogo.</p> <p><strong>Palavras-chave: </strong>reflexão; diálogo; problemas da prática; internalização.</p> 2019-05-20T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/10663 Docência em Gastronomia: uma revisão da literatura 2019-05-20T22:17:42-03:00 Tauane Carolina Parodi Be tauane.be@iffarroupilha.edu.br Vantoir Roberto Brancher vantoir.brancher@iffarroupilha.edu.br <p align="justify"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;">Este trabalho consiste na apresentação do Estado da Arte realizado no intuito de encontrar artigos, dissertações com enfoque na <span lang="pt-BR">especificidade da Docência em Gastronomia, a fim de perceber o que tem sido pesquisado com relação à atuação docente na área. As investigações aconteceram com o jogo de palavras “trajetos formativos em Gastronomia”, “saberes em Gastronomia”, “Gastronomia” e “docência em Gastronomia” em banco de dados como </span><span lang="pt-BR"><em>Anped </em></span><span lang="pt-BR">e </span><span lang="pt-BR"><em>Scielo</em></span><span lang="pt-BR">, sendo que em</span> <span lang="pt-BR">ambas plataformas não foram encontrados resultados. Diante de tal dificuldade uma terceira tentativa ocorre ao migrar para a plataforma da CAPES e lançar a busca “docência em Gastronomia” houve um retorno de 361 arquivos, após a leitura de resumos e a seleção de pesquisas que objetivassem discutir a docência na área emergiram seis dissertações, que serão abordadas nesse artigo.</span></span></span></p> 2019-05-20T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/10687 O que diz a literatura Brasileira em relação ao Currículo de Química 2019-05-20T22:17:42-03:00 Nycollas Stefanello Vianna nycollasv@hotmail.com Jaqueline Ritter jaquerp2@gmail.com <p class="ResumoRevista" style="margin-bottom: .0001pt; text-indent: 0cm;"><span style="font-size: 12.0pt; font-family: 'Times New Roman','serif';">Apresenta-se resultados de estudo da arte que intencionou reconhecer concepções e práticas de currículo no Ensino de Química. Trata-se de resultados Quantitativos e Qualitativos de informações da referida área, quais sejam, anais de eventos e Portal de Periódicos da CAPES. Fez-se uso da Análise Textual Discursiva (ATD) que permitiu a produção de quatro categorias emergentes: Organização Curricular; Metodologias de Ensino; Ciência, Tecnologia e Sociedade – CTS; e, História Curricular. Reconheceram-se entre os pesquisadores em ensino de Química, proposições alternativas às abordagens tradicionais de ensino, considerando que é imprescindível conhecer a história do currículo como uma construção cultural. Contudo, percebeu-se que os pressupostos teóricos sobre o currículo estão sendo mais debatidos que as práticas pautadas em tais pressupostos. </span></p> 2019-05-20T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/10724 Dificuldades dos alunos do 7º ano do Ensino Fundamental em Aprender Fração 2019-05-20T22:17:43-03:00 Simone Silva da Fonseca simonefonsecasilva@hotmail.com Renata dos Santos renatasantosw3@gmail.com <p>Neste artigo investiga-se as dificuldades dos alunos do 7º ano do Ensino Fundamental na aprendizagem de fração. São muitas as barreiras de entendimento do aluno no conteúdo de fração, e isto decorre de fatores como traumas, pensamentos de que a Matemática é algo complexo, “bicho de sete cabeças”, impossível de se entender até as questões metodológicas de ensino do próprio professor. As dificuldades na aprendizagem referem-se ao desenvolvimento cognitivo, construção e noções básicas da matemática básica, princípios numéricos, entraves na resolução e compreensão do problema, falta de conhecimento dos conceitos principais, prática metodológica não facilitadora à aprendizagem do conteúdo, aversão a disciplina de matemática, etc. Por se tratar de uma pesquisa de campo, os dados foram coletados por meio da aplicação de questionário e exercício precedido de uma análise qualitativa – quantitativa. Constatamos que as principais dificuldades dos alunos se referem à falta de conhecimentos de conteúdos que são pré-requisitos como as quatro operações básicas, conceitos fracionários como divisão parte-todo, simplificação, cálculo do MMC, aversão à aprendizagem na disciplina de Matemática e organização dos dados da questão-problema. Dessa maneira, se faz necessário que haja uma maior atenção quanto ao acompanhamento da compreensão e aprendizagem dos alunos no conteúdo de fração, visando sempre uma forma de contribuir significativamente à superação das dificuldades encontradas.</p> 2019-05-20T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/10664 Diversidade de Gênero e Sexualidade no processo formativo docente 2019-05-21T09:50:02-03:00 Clarines Hames clarines.hames@iffarroupilha.edu.br Adriana Toso Kemp adriana.kemp@iffarroupilha.edu.br <p>O foco deste texto é refletir sobre questões de sexualidade e diversidade de gênero a partir de interações realizadas na formação inicial de professores de Ciências/Biologia. Foi desenvolvida uma sequência didática nas aulas de Prática de Ensino de Biologia II, em três momentos: aulas, interações nas escolas e elaboração de artigo. Ao final, os acadêmicos responderam à questão: “no seu entendimento, a área de Biologia/Ciências tem responsabilidade na discussão das questões de gênero e sexualidade? Justifique.” Percebeu-se que as concepções dos acadêmicos ainda têm um enfoque na anatomia e fisiologia de sistemas, doenças e prevenção. A dimensão afetiva e prazerosa da sexualidade é negligenciada. As reflexões apontam para a ampliação do papel da Ciência/Biologia nessas discussões, bem como a importância de um diálogo qualificado com outras áreas do conhecimento.</p> 2019-05-20T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/10723 A Avaliação da Feira de Ciências de Roraima enquanto espaço de Divulgação Científica 2019-05-20T22:17:42-03:00 Aluizio Andrade de Castro Junior aluiziojunior1991@gmail.com <p>O objetivo desta pesquisa, foi de avaliar como os projetos foram elaborados para a Feira de Ciências Estadual de Roraima (FECIRR) enquanto espaço de divulgação científica. Esta pesquisa foi desenvolvida no Park Anauá, que se localiza no município de Boa Vista - Roraima, no mês de novembro de 2018. Para a realização deste trabalho, abordou-se a pesquisa de cunho qualitativo, quantitativo descritivo, já em relação aos procedimentos técnicos, utilizamos o estudo de campo. Este trabalho, envolveu a participação de 8 professores de 8 escolas privadas da capital que participaram da FECIRR. Constata-se que os professores apresentam concepções diferentes sobre Feira de Ciências, mas por terem pontos de vista heterogêneos a maioria já tem uma certa experiência como planejar, desenvolver e executar os projetos a serem apresentados. Na realização dos projetos os alunos são responsáveis pela escolha do tema a ser trabalhado na pesquisa e durante esse processo o professor fica responsável pelas orientações. Os alunos participam de forma plena no desenvolvimento do projeto e são bastante motivados e criativos, o tempo de realização dos projetos varia de 2 a mais de 4 meses de estudo e pesquisa o que vem a contribuir para uma aprendizagem científica e tecnológica dos alunos.</p> 2019-05-20T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/10741 Novas percepções conquistadas por alunos do ensino integral da escola Felipe dos Santos no Município de Inconfidentes-MG sobre alguns artrópodes por meio da educação ambiental 2019-05-20T22:17:43-03:00 Bruna Melo Silva bruh29cats@gmail.com Rosiane Rosiane Silva rosianesilvams@gmail.com Maria Aparecida Fróes mariaapfroes23@gmail.com <p class="Default" style="text-align: justify;">Com o avanço da tecnologia, a natureza vem se tornando esquecida, se encaminhando para uma crise ambiental. Assim, o estudo das relações ecológicas se torna essencial e uma forma bastante didática para ensiná-la é o uso de insetos. Neste sentido, o objetivo do presente trabalho foi de promover o entendimento das relações ecológicas através da observação do trabalho ecológico dos insetos frente à natureza, seja eles maléficos ou benéficos, a fim de conquistar a consciência ambiental dos jovens. A metodologia consistiu em duas etapas: Na primeira etapa, os alunos da Escola Estadual Felipe dos Santos, em Inconfidentes-MG foram convidados a assistir uma apresentação em slides com imagens representativas de insetos, com a proposta de instiga-los a questionamentos. Já na segunda etapa, os alunos foram convidados a visitar a horta sediada no IFSULDEMINAS- Campus Inconfidentes em que tinham que identificar insetos trabalhando. Como resultado, observou-se que os alunos apresentavam dúvidas em relação a conceituação do termo relações ecológicas, mas conheciam determinados assuntos relacionados ao tema. Como conclusão, pode-se constatar que os alunos conseguiram identificar os benefícios e os malefícios trazidos pelos insetos numa visita a horta, além de se obter uma consciência ambiental a respeito dos insetos coprófagos<strong>.</strong></p> 2019-05-20T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/10749 Construção de um biodigestor: uma proposta de ensino interdisciplinar para escolas do campo 2019-05-21T09:47:58-03:00 Fernanda Teresa Moro fernanda.moro@uffs.edu.br Eliseu Paulo Coppi coppieliseu@gmail.com Moises Marques Prsybyciem moises.prsybyciem@uffs.edu.br <p>Este trabalho apresenta uma pesquisa qualitativa desenvolvida por um professor da Educação Básica, com estudantes do 2º ano do Ensino Médio de uma escola estadual, em Itatiba do Sul – RS, integrante do TCC do autor principal. O objetivo do trabalho foi utilizar os resíduos da comunidade escolar na produção de energia a partir de um biodigestor. O trabalho destaca a construção do biodigestor, aproveitando materiais encontrados no ambiente, possibilitando à escola produção de biogás. Baseado no pressuposto de que a educação se constrói no meio em que se vive, com os desafios e possibilidades encontradas no mesmo, espera-se que os alunos sejam protagonistas de mudanças e que a escola seja um espaço aberto à construção de saberes, buscando uma formação integral, dando sentido aos conteúdos trabalhados. O plano de ação, vai além da temática de currículo específico, buscando a integração entre as disciplinas de Biologia, Física e Química, visando alternativas sustentáveis.</p> 2019-05-20T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/10776 Horta escolar, cultivar é educar 2019-05-21T09:46:41-03:00 João Siqueira de Melo joaosiqueira290@gmail.com <p>Este projeto se constitui como proposta ao Estágio Curricular Supervisionado III, do Curso de Licenciatura em Educação do Campo Ciências da Natureza, tendo como público alvo alunos do 9º ano de uma escola do campo.&nbsp; O objetivo deste projeto, foi enfatizar a importância da conservação do solo da horta escolar para otimizar a produção, utilizando a horta como um espaço pedagógico, onde o processo ensino aprendizagem, nas disciplinas da área das ciências da natureza, seja consolidado. Com a análise do solo da horta, identificou-se os elementos químicos presentes, sendo possível estudar, seus números atômicos, localização do elemento na tabela periódica, símbolo do elemento, configuração nos níveis energéticos, além de pesquisar como estes elementos são importantes para o corpo humano e as maneiras que as plantas disponibilizam esses elementos para o ser humano, além de orientar sobre bons hábitos alimentares para consumir hortaliças. Outro viés do projeto, foi incentivar os alunos à cultivar a horta da escola, para incrementar a merenda, com um alimento saudável, demonstrando que a correção do solo nos cultivos, de uma maneira sustentável, pode melhorar a produção e também incentivar o aluno a cultivar uma horta em suas residências ajudando na renda familiar.</p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> <p><strong>Palavras-chaves</strong>: Análise. Espaço. Pedagógico. Sustentável.</p> 2019-05-20T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/10802 A LEITURA DE TEXTO DE DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA NO ENSINO DE CINÉTICA QUÍMICA 2019-05-20T22:17:41-03:00 Jonatan Josias Zismann jonatanzismann@gmail.com Judite Scherer Wenzel juditeswenzel@gmail.com Sabrina Back sabrinabach10@yahoo.com.br <p class="Default" style="text-align: justify;">A presente proposta didática contempla uma prática de leitura vivenciada numa aula de Química do Ensino Médio. Para tanto fez-se uso de texto de divulgação científica devido a sua forma de linguagem ser mais acessível aos estudantes. Apresentamos a prática da leitura em uma turma que contemplou o conteúdo de cinética química. Os alunos foram divididos em grupos para a realização da leitura, posteriormente realizou-se uma escrita por meio de respostas à perguntas e, um diálogo acerca do TDC. Os resultados apresentados indiciam que a leitura oportunizou uma apropriação da linguagem química e otimizou as relações do conteúdo químico e o cotidiano, o que qualifica os sentidos atribuídos ao aprender cinética química.</p> 2019-05-20T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/10597 O Conceito Energia nas Interações entre Professores e Estudantes Mediadas pelos Livros Didáticos de Biologia 2019-05-20T22:17:40-03:00 Sandra Maria Wirzbicki sandra.wirzbicki@gmail.com José Claudio Del Pino delpinojc@yahoo.com.br Maria Cristina Pansera-de-Araújo pansera95@gmail.com <p>O Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) é uma política pública que avalia, seleciona e distribui livros didáticos (LDs) para estudantes da educação básica brasileira. Apesar disto, os livros apresentam limitações e abordagens conceituais ou estruturais inadequadas, que repercutem no ensino e aprendizagem em sala de aula. O entendimento de “energia” “não é algo simples nem consensual”; por isso foram observadas descrições relativas à “energia” do metabolismo celular em oito coleções de LDs de Biologia do Ensino Médio (LDBEM) do Guia do PNLD/2012 (BRASIL, 2011) para a 1ª série. Fundamentada em Moraes e Galiazzi (2007), procedeu-se a transcrição de excertos dos LDBEMs analisados ao conceituar “energia” e suas relações com o metabolismo. Após, entrevistas semiestruturadas foram realizadas com cinco professores de Biologia do Ensino Médio, acerca de suas concepções de “energia”. Outra etapa da pesquisa foi compreender as aprendizagens dos estudantes do EM sobre o conceito “energia”, por meio da análise das respostas de um questionário estruturado e de esquemas conceituais sobre o tema. A triangulação dos dados da pesquisa permite reflexões sobre a significação conceitual e a necessidade de inter-relações na área de Ciências, tanto na educação básica quanto na formação docente, relativas ao complexo conceito “energia”.</p> 2019-05-20T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement##