https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/issue/feed Revista Insignare Scientia - RIS 2020-01-17T13:48:54-03:00 Roque Ismael da Costa Güllich roquegullich@uffs.edu.br Open Journal Systems <p style="text-indent: 1cm; line-height: 150%;" align="justify"><span style="font-family: Times\ New\ Roman, serif;"><span style="font-size: large;">A <strong>Revista Insignare Scientia – RIS</strong> surge, como um espaço de diálogos formativos na área de Ensino de Ciências, pela via da socialização das pesquisas e de práticas pedagógicas. Em especial, um diferencial do periódico em questão consiste nas seções: relatos de experiências, propostas didáticas, resenhas e biografias, em que se busca um diálogo diferenciado, entre pesquisadores e demais professores, sobre experiências inovadoras refletidas e sobre o desenvolvimento de estratégias metodológicas de ensino e aprendizagem tendo em vista a qualificação do ensino de Ciências, bem como espaço reservado a crítica de obras recentes e históricas como um processo que pode aguçar sempre a leitura crítica de obras do ensino. Quanto à seção “pesquisas no Ensino de Ciências” o objetivo consiste num efetivo diálogo referente ao estado da arte e em inovações referentes à área em questão, sempre com atenção também para a prática de sala de aula e os processos de ensinar e aprender Ciências. Acredita-se que as diferentes seções possibilitarão gêneros discursivos diferenciados ampliando o número de leitores e com isso qualificando também o compromisso assumido pela UFFS de uma educação pública de qualidade.</span></span></p> <p style="text-indent: 1cm; line-height: 150%;" align="justify"><span style="font-family: Times\ New\ Roman, serif;"><span style="font-size: large;">Pesquisar, sistematizar e comunicar saberes e fazer sobre o Ensino de Ciências é ampliar as perspectivas para um ensino de Ciências mais significativo na busca de espaços que promovam a necessária alfabetização científica e que reafirmam o posicionamento institucional frente à produção e disseminação do conhecimento.&nbsp; Com isso, referenda-se que a publicação científica, tanto nos seus aspectos quantitativos, quanto qualitativos, passou a ser uma dimensão estratégica nas políticas de desenvolvimento científico e tecnológico que os países e as instituições adotam para firmarem sua inserção na agenda nacional e internacional de pesquisa e pós-graduação, o que retrata a importância deste periódico junto ao PPGEC e ao GEPECIEM.</span></span></p> https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/11008 Os Livros Didáticos de Química: uma Análise das Atividades Investigativas 2020-01-17T13:48:43-03:00 Ana Carolina Araújo da Silva anacarolina.silva@ufjf.edu.br Gahelyka Aghta Pantano Souza gahelyka@outlook.com Jéssica Othoni Fernandes Moraes othonij@gmail.com <p class="Default" style="text-align: justify;">Nos últimos anos houve um aumento no número de publicações científicas, nacionais e internacionais, que respaldam a relevância das atividades experimentais no processo de ensino e aprendizagem. Nesse sentido, os livros didáticos (LDs) têm disponibilizado uma série de atividades experimentais que sejam economicamente acessíveis à realidade das escolas públicas brasileiras, e que levem em conta a participação dos estudantes no processo de ensino. O presente trabalho tem como objetivo apresentar uma análise que visa identificar os tipos de atividades experimentais presentes nos LDs de química do ensino médio e caracterizar suas possibilidades investigativas. por meio de uma pesquisa do tipo qualitativa e seguindo os pressupostos teóricos da análise de conteúdo. O corpus de análise são os livros didáticos de química para o ensino médio aprovados pelo programa nacional do livro e do material didático/2018. A pesquisa possui duas etapas principais que são: a exploração e quantificação das atividades experimentais nos LDs e a análise das unidades de registros. A nossa intenção, nesta pesquisa, é produzir uma compreensão crítica e reflexiva sobre as atividades experimentais investigativas presentes nos livros didáticos, além de possibilitar uma ampliação relativa às possibilidades e limitações deste material, especialmente para área de ciências da natureza.</p> 2019-12-19T16:59:40-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/10862 “Sabores e Dissabores” de uma horta escolar: percepções gustativas e vivências de alunos do Ensino Fundamental 2020-01-17T13:48:41-03:00 Luan Hugolino de Moraes luanhdm2@gmail.com Marcelo Guerra Santos marceloguerrasantos@gmail.com <p class="ResumoRevista" style="margin-bottom: .0001pt; text-indent: 0cm;"><span style="font-size: 12.0pt; font-family: 'Times New Roman','serif';">As hortas escolares são ambientes propícios para abordar o tema educação alimentar, sendo favoráveis para estimular uma alimentação mais saudável no cotidiano dos alunos. O comportamento alimentar pode ser determinado pela percepção individual do paladar, somado a estrutura socioeconômica e influência da mídia e hábitos alimentares dos cuidadores. Este trabalho teve como principal objetivo avaliar a percepção que os alunos do ensino fundamental II possuem sobre uma horta e a preferência alimentar deles pelas plantas cultivadas. Com a participação dos alunos, foi montada uma horta na escola. Por meio de um questionário, foram adquiridas informações sobre a vivência dos alunos com hortas, percepção gustativa e em relação à saúde e ao meio ambiente. Do total de alunos, 40% afirmaram possuir ou já ter tido uma horta em sua casa. A maioria dos alunos nunca havia experimentado os vegetais plantados na horta escolar. Eles indicaram o uso do agrotóxico utilizado nos vegetais comercializados como a principal diferença entre os vegetais cultivados em hortas caseiras. Foi possível observar neste trabalho a importância de se utilizar uma horta como ferramenta pedagógica para explorar a percepção dos alunos sobre saúde e meio ambiente e ampliar os seus conhecimentos. </span></p> <p class="ResumoRevista" style="margin-bottom: .0001pt; text-indent: 0cm;"><span style="font-size: 12.0pt; font-family: 'Times New Roman','serif';">&nbsp;</span></p> 2019-12-19T17:00:30-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/11016 Ensino Investigativo: análise de sequências didáticas produzidas por professores (as) de Ciências em um contexto de formação continuada 2020-01-17T13:48:11-03:00 Joici de Carvalho Leite joicicarvalho@hotmail.com Maria Aparecida Rodrigues aparecidar@gmail.com Carlos Alberto de Oliveira Magalhães Júnior juniormagalhaes@hotmail.com <p>O ensino investigativo baseia-se nas mais variadas práticas de ensino destinadas aos alunos (as), com supervisão e orientação do (a) professor (a). Por conta disso, este manuscrito averiguou se professores (as) de Ciências em processo de formação continuada concebem na construção de materiais didáticos, elementos relacionados ao referido ensino. Em virtude disso, a coleta de informações se deu no contexto de um grupo de estudos, onde ao seu término os (as) participantes deveriam elaborar sequências didáticas ancoradas no ensino investigativo. Através da análise do material produzido e posterior discussões e interlocuções mediadas pelos referenciais teóricos ligados ao ensino de Ciências, os resultados indicaram a presença de elementos pedagógicos importantes acerca da metodologia investigativa, tais como: valorização dos conhecimentos prévios dos alunos, problematização, experimentação e diversidade de estratégias didáticas, as quais possibilitam a participação dos (as) alunos (as) no processo de aprendizagem. Assim, pode-se dizer que a elaboração de sequências didáticas no contexto deste grupo, contribui, mesmo que de forma pontual, para ampliar a visão dos (das) professores (as) a respeito do ensino investigativo.&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> 2019-12-19T23:30:35-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/10927 O entendimento de professores experientes ao serem desafiados a desenvolver o ensino de Química a partir de temas do contexto social 2020-01-17T13:48:39-03:00 Ana Luiza de Quadros ana.quadros@uol.com.br Giovana França Carneiro Fernandes giovanafcf@hotmail.com Mariana Gonçalves Dias marianagoncalves1@live.com Laila Thayanne Gomes de Almeida lailatgalmeida@hotmail.com <p class="ResumoRevista" style="margin-bottom: .0001pt; text-indent: 0cm;"><span style="font-size: 12.0pt; font-family: 'Times New Roman','serif';">O ensino a partir de temas de interesse dos estudantes, que propiciem a inserção de conceitos científicos é um pressuposto importante para promover a participação ativa dos estudantes e o envolvimento deles com a Ciência. Foi produzido um material didático de Química baseado no contexto, abordando o tema “Água”. Esse material foi entregue a professores experientes para ser desenvolvido nas escolas. Com o objetivo de analisar a percepção dos professores sobre o ensino a partir de temas do contexto, desenvolvemos este trabalho. Ao final da experiência, realizamos uma entrevista semiestruturada com três professores. A análise dessas entrevistas mostrou que professores ressaltaram a participação e o interesse dos estudantes nas aulas temáticas e a dificuldade em implementar o ensino baseado no contexto se não houver um material didático adequado, tanto par ao professor quanto para os estudantes.</span></p> 2019-12-19T17:04:13-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/10981 A gamificação da Botânica: uma estratégia para a cura da “cegueira botânica" 2020-01-17T13:48:52-03:00 Emanuelle Almeida Costa profmanualmeida@hotmail.com Rafaela Andressa Fonseca Duarte rafaduarte.al89@gmail.com José Aparecido da Silva Gama aparecidogama1@gmail.com <p>O Ensino de Botânica tem sido motivo de diversas preocupações no Ensino Fundamental, uma delas é a falta de interesse por parte dos alunos e por parte de alguns professores que tem negligenciado o estudo das plantas. Essa falta de interesse é explicada pelo tipo de relação que temos com as plantas, uma vez que a maioria das pessoas não conseguem perceber as plantas cotidianamente o que chamamos de “cegueira botânica”. O presente trabalho tem a finalidade de promover a cura da “cegueira botânica” fazendo com que os alunos de fato compreenda e reconheça sua importância por meio uso do gamificação no qual foi criado um jogo didático de tabuleiro intitulado “Trilha Botânica”, aplicado para uma turma de 7° ano (6° série) do ensino fundamental. Com os resultados da atividade lúdica desenvolvida ficou demonstrada uma mudança significativa na aprendizagem dos alunos participantes e nós concluímos destacando que o uso da gamificação no ensino de Botânica constituem um recurso de grande potencial para a cura da “cegueira botânica”.</p> <p><strong>Palavras-chave</strong>: Jogos didáticos; Ensino de botânica; Jogo de tabuleiro.</p> 2019-12-19T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/11019 Conhecimentos e comportamentos relacionados à saúde de escolares 2020-01-17T13:48:37-03:00 Laura Mendes Rodrigues Fumagalli, Me. prof.laurafumagalli@gmail.com Thais de Lima dos Santos, Srª thais.limas2015@gmail.com Veronica de Carvalho Vargas, Srª veronicadecarvalhovargas@gmail.com Phillip Vilanova Ilha, Dr. phillip@unipampa.edu.br <p>O estudo objetivou analisar os conhecimentos e comportamentos relacionados à saúde de escolares do ensino fundamental. A amostra foi composta por 180 escolares do 6° ao 9°ano. Para verificar os comportamentos promotores e de riscos à saúde, empregou-se o questionário Global School-based Student Health Survey e para o estado nutricional foi calculado a adequação IMC/idade. Para análise das questões, utilizou-se, como principal aporte metodológico, a análise de conteúdo, fundamentada na análise categorial, e para os dados quantitativos usou-se a estatística descritiva (frequências, percentuais e médias) e a inferencial (correlação de spearman e qui-quadrado). Constatou-se que a maioria dos alunos associam vida saudável à alimentação saudável e a prática de atividades físicas, compreendem a alimentação saudável como a ingestão de nutrientes que trazem benefícios à saúde, estão expostos a fatores de risco à saúde, como inatividade física, baixo consumo de alimentos considerados marcadores de alimentação saudável e consumo de bebida alcoólicas. Infere-se que há prevalência de comportamentos de riscos entre os adolescentes e destaca-se a necessidade de trabalhar temas sobre promoção da saúde na escola com o objetivo de desenvolver a saúde de forma consciente, segura e efetiva.</p> 2019-12-19T17:13:48-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/11020 Etnopesquisa-Formação com professores de Ciências 2020-01-17T13:48:34-03:00 Charles dos Santos Guidotti charles.guidotti@gmail.com Valmir Heckler valmirheckler@gmail.com <p>Neste artigo apresentamos uma proposição metodológica com o objetivo de construir compreensões sobre a investigação desde a sala de aula na formação com professores de Ciências. O corpus da pesquisa foi constituído por 43 relatos de experiências produzidos por professores de Ciências da Natureza, nas edições de 2016 e 2017 do projeto de extensão <em>CIRANDAR</em>: Rodas de investigação desde a escola. Ao longo da constituição metodólogica do estudo assumimos a abordagem sociocultural com base na linguagem, como forma de construir significados ao longo da pesquisa. Um processo de construção de argumentos que abrange interlocuções com as informações do campo empírico, com a aposta na perspectiva da etnopesquisa-formação em uma abordagem fenomenológica hermenêutica como meio de construção epistemológica. O estudo descreve e exemplifica os processos de análise das informações, ancorados nos princípios da Análise Textual Discursiva (ATD), estruturando as categorias de sentido, categorias intermediárias e as finais emergentes no processo metodológico a partir do mergulho fenomenológico com o propósito de comunicar compreensões. &nbsp;&nbsp;</p> 2019-12-19T17:16:44-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/11036 O Professor formador e suas crenças didático-pedagógicas 2020-01-17T13:48:32-03:00 Letícia Ribeiro Lyra leticia.lyra@uffs.edu.br José Francisco Custódio, Custódio j.custodio@ufsc.br <p>As crenças didático-pedagógicas incluem ideias sobre o que é ensinar, ser professor, avaliar, entre outras. O professor atua de acordo essas crenças sem ter, muitas vezes, suficiente reflexão da sua influência na prática docente. Frente a isso, partimos do pressuposto que as crenças didático-pedagógicas dos professores formadores possam influenciar a formação dos licenciandos quanto ao entendimento de como se ensina e aprende o conhecimento científico. Diante do exposto, realizamos uma pesquisa qualitativa com o objetivo de identificar quais as crenças didático-pedagógicas de professores formadores que atuam em cursos de Licenciatura em Ciências da Natureza e Matemática em uma universidade federal <em>multicampi</em>. Entrevistamos 16 professores formadores. Utilizamos a análise de conteúdo com construção de categorias <em>a posteriori</em>. Em linhas gerais, os resultados apontaram que a maioria dos professores formadores, independente da área de formação, apresenta tendência a crenças didático-pedagógicas de caráter construtivista, porém, com traços de crenças tradicionais. Esperamos que esse estudo contribua com discussões acerca da formação inicial de futuros professores de Ciências da Natureza e Matemática.</p> 2019-12-19T17:19:35-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/11021 A formação e atuação docente na disciplina de ciências em escolas do campo na Amazônia Paraense 2020-01-17T13:48:30-03:00 Marcos Marques Formigosa marcosformigosa@gmail.com Walcinéia Duarte Tenório cyber.mmx2015@hotmail.com Carla Giovana Souza Rocha crocha@ufpa.br Ronaldo Henrique Santana ronaldobio2@gmail.com <p>Uma boa formação docente implica no processo de ensino e aprendizagem que qualifique e direcione o profissional para atuar em sua área de formação, mas não é raro encontrarmos professores em exercícios sem a formação na área, sobretudo nas escolas do Campo. Esse trabalho tem como objetivo geral analisar os reflexos da ausência de formação específica na atuação de docentes na disciplina de Ciências em escolas do campo, no município de Porto de Moz, Pará. Os interlocutores da pesquisa foram três professores que atuam nos anos finais do ensino fundamental com a disciplina de Ciências em escolas do campo. Além da observação e diário de campo, realizou-se entrevistas, a partir de um roteiro com perguntas semiestruturadas, que, a posteriori, foram gravadas e transcritas. Esses dados foram analisados numa perspectiva qualitativa, onde identificou-se que a predominância de professores sem formação na área de Ciências, falta de formação pedagógica e de apoio oferecido pela Secretaria Municipal de Educação, além de um quadro que revela a precarização do trabalho dos educadores que atuam no campo.</p> 2019-12-19T17:27:21-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/11000 Feiras de Ciências: uma possibilidade à divulgação e comunicação científica no contexto da educação básica 2020-01-17T13:48:50-03:00 Mônica da Silva Gallon monica.gallon@gmail.com Jonathan Zotti da Silva jonzsilva@gmail.com Silvania Sousa do Nascimento silnascimento@ufmg.br João Bernardes da Rocha Filho jbrfilho@pucrs.br <p>As feiras são importantes movimentos, pois unem estudantes da educação básica à produção de novos conhecimentos por meio de projetos envolvendo temas dos seus interesses e cada vez mais buscando um viés social. O ambiente proporcionado pela feira permite que sejam realizadas a socialização do conhecimento gerado por meio dos projetos entre os próprios estudantes, entre os estudantes e os visitantes (público geral, pesquisadores e outros professores), entre os estudantes e seus orientadores. Este trabalho de natureza teórica tem como objetivo analisar as feiras de ciências como um possível dispositivo para a comunicação e a divulgação científica e discutir suas possibilidades no favorecimento da propagação e construção do conhecimento científico. O texto apresenta como estratégia para a estruturação dos projetos o uso da Pesquisa em Sala de Aula, a qual apresenta como etapas centrais o questionamento, a argumentação e a comunicação. As feiras também se tornam um momento para que os estudantes validem seus resultados de pesquisa e exercitem suas habilidades comunicativas a fim de compreender as informações advindas dos diferentes públicos a que são expostos, contribuindo para a produção de saberes e para a participação em práticas de letramento acadêmico. Aponta-se para a ocorrência de momentos onde são possíveis situações de comunicação científica entre estudantes com pesquisas em comum e/ou pesquisadores que visitam o evento e a divulgação científica, em que os estudantes-pesquisadores exercitam suas habilidades de socializarem seus achados com diferentes públicos.</p> 2019-12-19T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/10971 A Transposição Didática do conteúdo Termodinâmica Química 2020-01-17T13:48:54-03:00 Priscila do Nascimento Silva priscilnascimento@yahoo.com.br Larissa Oliveira de Souza loliveiradesouza3@gmail.com Flávia Cristiane Vieira da Silva flavia.cristianevs@gmail.com José Euzebio Simões Neto euzebiosimoes@gmail.com <p class="ResumoRevista" style="margin-bottom: .0001pt; text-indent: 0cm;"><span style="font-size: 12.0pt; font-family: 'Times New Roman',serif;">O processo de modificação de determinado saber, quando é didatizado, ou seja, formatado para situações de ensino, ao deixar a esfera científica e adentar a esfera escolar é denominado de transposição didática, e ocorre em duas etapas complementares: externa, que transforma o saber científico em saber a ser ensinado, e interna, que transforma o saber a ser ensinado em saber ensinado. Nesse artigo, buscamos apresentar uma análise do processo de transposição didática para o conteúdo Termodinâmica Química. Para observar a transposição didática externa, trabalhamos com a comparação entre um livro didático do Ensino Superior, tomado com referência, e obras significativas do Ensino Médio. Em seguida, procuramos identificar a relação de três professores do Ensino Médio com tal conteúdo, por meio de entrevistas, buscando indícios do trabalho intramuros da sala de aula. Observamos a ocorrência de deformações, supressões e criações didáticas na construção do texto do saber, além de verificarmos a importância da programabilidade, recontextualização e gestão do tempo no processo de construção do novo texto do saber. Ainda, observamos a inclusão de elementos teóricos por um dos professores entrevistados, fenômeno que chamamos nesse texto de acréscimo individual. </span></p> 2019-12-19T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/10998 O Pibid como espaço de construção de saberes docentes em um curso de Licenciatura em Física 2020-01-17T13:48:29-03:00 Alana Pereira Gimenez alanagimenez@hotmail.com.br Taniamara Vizzotto Chaves taniamara.chaves@iffarroupilha.edu.br <p>Este trabalho relata uma pesquisa que teve como objetivo investigar os reflexos do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) na formação de professores de Física de um Instituto Federal de Educação do Estado do Rio Grande do Sul. O Pibid é um programa de incentivo e valorização do magistério e de aprimoramento do processo de formação de docentes para a Educação Básica. A pesquisa foi realizada com um grupo de acadêmicos e egressos do Curso de Licenciatura em Física. O instrumento de coleta de informações foi um questionário composto por perguntas abertas e contemplou questões relativas às principais contribuições e aprendizagens do Pibid para a formação inicial e o desenvolvimento profissional dos sujeitos envolvidos na pesquisa. A análise dos questionários foi realizada a luz da teoria dos saberes docentes de Tardif (2002, 2007, 2012, 2014) e de outros teóricos do campo educacional. Constatou-se que o Pibid tem se constituído como um elemento fundamental para formação docente, na área de física, pois possibilita o exercício da profissão e a inserção no contexto educacional antes mesmo do efetivo ingresso na carreira docente, permitindo assim, ampliar a concepção dos acadêmicos sobre a identidade profissional do professor.</p> <p>&nbsp;</p> 2019-12-19T17:45:19-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/11068 Articulação e coordenação das representações algébrica e gráfica da função quadrática: 2020-01-17T13:48:27-03:00 Edrei Henrique Lourenço henrique.edrei@gmail.com Paulo Cesar Oliveira paulodfqm@gmail.com <p class="ResumoRevista" style="margin-bottom: .0001pt; text-indent: 0cm;"><span style="font-size: 12.0pt; font-family: 'Times New Roman','serif';">Este texto caracteriza-se em um ensaio teórico, embora subsidiado pelas contribuições dos registros de representação semiótica de Raymond Duval e pesquisas brasileiras decorrentes desse referencial teórico-metodológico. Inicialmente apresentamos estudos realizados que apontam o grau de difusão dessa teoria no cenário nacional. Posteriormente com foco na análise das variáveis visuais e unidades significativas das representações gráfica e algébrica da função quadrática, elaboramos uma discussão sobre essa forma alternativa de ensino-aprendizagem; contrapondo o procedimento de atribuir valores particulares e pontos referenciais do plano cartesiano para a representação gráfica. A transição entre a representação gráfica e algébrica, própria do estudo de função quadrática, envolveu também a discussão do fenômeno de congruência presente na operação de conversão dos registros de representação semiótica. </span></p> 2019-12-19T22:24:36-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/10978 Investigação Matemática como recurso metodológico para o ensino de geometria nos anos iniciais 2020-01-17T13:48:25-03:00 Andressa Franco Vargas andressavargas1@yahoo.com.br Débora da Silva de Lara dd.lara@hotmail.com José Carlos Pinto Leivas leivasjc@yahoo.com.br <p>O presente trabalho busca discutir o ensino de Geometria nos Anos Iniciais tendo como parâmetro, para tal, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). O estudo elenca possibilidades para melhorar a aprendizagem de Matemática, auxiliando professores e estimulando a participação dos alunos durante a realização de uma tarefa em sala de aula. Para isso, baseou-se na metodologia da Investigação Matemática, por meio da qual foram desenvolvidas atividades que contemplassem os conteúdos de “direção”, “sentido”, “paralelismo” e “perpendicularismo”, os quais constam na BNCC para o 4° ano do Ensino Fundamental. Desse modo, a pesquisa foi desenvolvida em dois momentos, a saber: o primeiro, com o mapa de uma cidade e com algumas questões norteadoras para que os alunos discutissem e se localizassem como parte do espaço apresentado; o segundo, com a aplicação do jogo “Na direção Certa”, abordando questões topológicas, a fim de contribuir com o desenvolvimento das noções de “localização e movimento”. Conclui-se a partir disso que, as atividades desenvolvidas contemplaram as habilidades descritas na BNCC, pois os resultados obtidos permitiram a visualização das diversas estratégias e métodos para solucionar os problemas abordados, de modo que os alunos conseguiram explorar trajetos, considerando os conceitos iniciais de direção, sentido e paralelismo.</p> <p>&nbsp;</p> 2019-12-19T22:28:20-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/10925 Percepção de professores sobre a disciplina Botânica geral no ensino superior alagoano 2020-01-17T13:48:23-03:00 Emanuelle Almeida da Costa profmanualmeida@hotmail.com Isabel Vitória Gonzaga de Oliveira isabelvitoria.ivg@gmail.com Ana Carolina Gonçalves dos Santos carolana22@outlook.com.br Andréa Vasconcelos Freitas Pinto andrea.pinto@ceca.ufal.br Elaine Cristine do Amarante Matos matoelaine@gmail.com Ana Paula do Nascimento Prata ana.prata@ceca.ufal.br Marlécio Maknamara da Silva Cunha maknamaravilhas@gmail.com <p>A presente pesquisa objetivou identificar os principais desafios que docentes enfrentam ao ensinar Botânica, segundo suas condições de trabalho em uma instituição de ensino superior. Quanto aos aspectos metodológicos trata-se de investigação de natureza qualitativa, sendo uma pesquisa do tipo exploratória de um caso. A coleta de material empírico se deu por meio de aplicação de questionários abrangendo diferentes dimensões de suas práticas pedagógicas na disciplina de Botânica. &nbsp;A pesquisa ocorreu no período de julho de 2016 a junho de 2017 e contemplou seis docentes. Constatamos que a falta de recursos didáticos e auxílio de técnicos e monitores, são um dos principais fatores que prejudicam a qualidade do ensino. Isso tem ocasionado insatisfação dos docentes, no que se refere à atual forma de se ensinar Botânica na universidade. Mesmo diante de tais dificuldades, os professores afirmam que seus alunos estão motivados pelo ensino da disciplina. Mas que aspectos estariam garantindo ensinar Botânica diante das dificuldades, e ainda assim garantir interesse da parte dos alunos? Concluímos que há necessidade de estudos tanto acerca da relação dos alunos com a Botânica quanto acerca da diversidade de recursos didáticos e de novas metodologias que estejam sendo utilizadas por esses e por outros docentes.</p> 2019-12-19T22:31:40-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/11077 A trilha do Parque Ecológico Bosque dos Papagaios como espaço não formal de aprendizagem da organografia vegetal 2020-01-17T13:48:21-03:00 Esterline Felix dos Reis felix.ester@hotmail.com Ivanise Rizzatti niserizzatti@gmail.com Rodrigo Leonardo Costa de Oliveira rodrigo@uerr.edu.br <p>Este artigo resulta de uma visita guiada realizada durante a disciplina de Organografia Vegetal do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas da Universidade Estadual de Roraima, e teve como objetivo investigar a contribuição da trilha ecológica do Parque Ecológico Bosque dos Papagaios, enquanto espaço não formal de ensino, para o estudo de Organografia Vegetal. &nbsp;A metodologia consistiu de uma pesquisa de campo do tipo qualitativa e a coleta de dados, baseou-se na observação direta durante a visita guiada realizada no mês de março de 2019 com 26 alunos do terceiro período do curso de Ciências Biológicas, e aplicação de um questionário contendo 7 questões subjetivas, com intuito de compreender as percepções dos alunos sobre a contribuição do espaço visitado para o estudo de Organografia Vegetal. O Bosque dos Papagaios, enquanto espaço não formal de ensino, e pelo fato de ser um ambiente natural repleto de plantas nativas e exóticas com localização urbana na cidade de Boa Vista e aberto à visitação, possibilitou a interação dos alunos com o conteúdo a ser aprendido, permitindo que conhecessem exemplares de espécies pelo nome científico e entender a relação de certas características com as espécies vegetais.&nbsp;</p> 2019-12-19T22:34:51-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/11012 Desenvolvimento Humano e o “Ser Docente”: concepções a partir da experiência de educador com uma turma de sexto ano 2020-01-17T13:48:48-03:00 Gustavo Pedroso de Moraes gustavo.botanica@gmail.com Fabiana Lasta Beck Pires fabiana.pires@iffarroupilha.edu.br Graciele Dotto Castro graciele.castro@iffarroupilha.edu.br <p>Para o exercício da docência é necessário voltar-se às metodologias, ferramentas e avaliações de ensino, como também conhecer o aluno e entendê-lo como um sujeito biopsicossocial. Isso porque o desenvolvimento humano interfere diretamente no processo de aprendizagem dos discentes, uma vez que esses sofrem influências biológicas, psicológicas e sociais durante toda a sua formação. Este trabalho tem o objetivo de pensar o contexto escolar por meio de ferramentas teóricas da psicanálise e da educação sobre o desenvolvimento humano e o âmbito escolar. O trabalho trata-se de um Estudo de Caso com abordagem qualitativa, realizado em uma turma de 21 alunos de sexto ano do Ensino Fundamental durante o período de regência de estágio curricular supervisionado obrigatório. Dentre os 21 discentes foram escolhidos 12 alunos. O critério foi a observação dos tipos de comportamento, interação entre colegas, alunos e o professor, bem como aspectos do desenvolvimento humano presentes nos sujeitos. As observações realizadas foram registradas no Diário de Campo e interpretadas pelo método de Análise de Conteúdo. Os resultados observados apontam que as mudanças biológicas e psíquicas interferem no processo de aprendizagem, principalmente quando há grande variação de idade em uma turma. Constatou-se, conforme aponta a literatura sobre adolescência, que a maior parcela dos alunos preocupava-se em estabelecer vínculos sociais, dispersando-se da aula com conversa exagerada, além de desobedecer às normas escolares, assim como desrespeitar a comunidade escolar, gerando conflitos interpessoais. Para finalizar, no contexto apresentado, foram destacadas as estratégias utilizadas frente aos desafios que surgiram durante as aulas, situações que colocaram os alunos em posição de reconhecimento, possibilitaram autonomia e lugar ativo no processo de aprendizagem. Em resposta, a maioria dos alunos passaram de comportamentos rebeldes a posturas colaborativas e de maior interesse em relação ao conteúdo do componente curricular.</p> 2019-12-19T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/11115 Doenças Negligenciadas: proposta de uma sequência didática pautada no enfoque CTS 2020-01-17T13:48:44-03:00 Maíra Caroline Defendi Oliveira maira_defendi@hotmail.com Alice Assis alice.assis@unesp.br Silmar Antonio Travain silmar.travain@unesp.br <p>Ressaltar a importância da Ciência e da Tecnologia para a formação de cidadãos críticos e responsáveis, capazes de resolver problemas cotidianos, é uma necessidade urgente nos dias atuais. Nesse contexto, propõe-se o uso de uma sequência didática para abordar o tema Doenças Negligenciadas, pautada no enfoque CTS (Ciência-Tecnologia-Sociedade), a ser aplicada em aulas de ciências ou de biologia. Para a sua aplicação são sugeridas diversas estratégias metodológicas de ensino. O desenvolvimento de cada etapa dessa sequência didática foi apresentado de forma detalhada, indicando-se como cada atividade se articula ao enforque CTS. Além disso, destaca-se a importância de que tal sequência seja utilizada segundo a teoria de Vygotsky, ressaltando-se que a interação social pode favorecer o desenvolvimento do senso crítico e a reflexão, bem como a construção da autonomia e da formação cidadã para que o aluno possa tomar decisões responsáveis sobre questões de cunho científico-tecnológico-social, premissas essas do enfoque CTS.</p> 2019-12-19T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/10959 Desenvolvimento de jogos didáticos auxiliares em práticas transdiciplinares e da alfabetização científica no ensino das Ciências da Natureza 2020-01-17T13:48:19-03:00 Isabela Vieira Vieira da Silva belavieiras@yahoo.com.br Layla Fonseca laylamayer.fonseca@gmail.com Cristiana Tavares cristiana.tavares@gmail.com Cristina Tavares cristinadasilvatavares@gmail.com Ana Maria do Carmo anadcarmo@yahoo.com.br Antônio Carlos Sant'Ana antonio.sant@ufjf.edu.br <p>Neste estudo estão relatadas as atividades desenvolvidas em escolas públicas de Juiz de Fora, MG, pelo grupo de trabalho formado por licenciandos bolsistas do subprojeto de Ciências, Ciclo II, do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID), da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Os projetos pedagógicos desenvolvidos tiveram por base as propostas da Carta da Transdisciplinaridade que envolvem diálogos entre os conteúdos disciplinares e as realidades social, econômica e cultural dos alunos. Outro objetivo presente nos projetos foi a construção de ações que permitissem o desenvolvimento da alfabetização científica dos estudantes, compreendida como a capacidade de dar significado aos conceitos científicos. A produção de jogos didáticos, privilegiando sempre cartas com textos e regras pelas quais a leitura das cartas devesse ser realizada pelos próprios jogadores, foi a principal ferramenta para eficientemente conciliar a proposta transdisciplinar com a busca da alfabetização científica.</p> 2019-12-19T22:59:47-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/10953 Zoo arthropoda: um recurso didático construído para a sensibilização de inclusão no processo de ensino e aprendizagem em Ciências 2020-01-17T13:48:17-03:00 Ricardo Ferreira Vale falecomric@hotmail.com Ronaldo Adriano Silva ronaldobiologiaufpa@gmail.com <p>O século XX caracterizou-se por um anseio de inclusão para alunos com algum tipo de necessidade física. A utilização de modelos táteis é um recurso didático que proporciona aos educandos, deficientes visuais, a formação de imagens mentais (não visuais e/ou visuais) facilitando e possibilitando o ensino e a aprendizagem em Ciências. O objetivo desse trabalho foi a confecção de recursos didáticos (modelos táteis), por alunos sem deficiência visual, com a temática Zoologia, que possam ser utilizados pelos alunos, com deficiência visual, auxiliando-os em suas práticas de ensino. A metodologia desenvolvida ocorreu em cinco momentos: <em>brainstorming</em>, observação, identificação de novidades evolutivas, confecção e socialização. Na avaliação da atividade foi aplicado um questionário aos alunos. As confecções de modelos táteis contribuíram para um ensino mais efetivo e dinâmico aos alunos, propiciando o conhecimento científico por meio das habilidades artísticas, sensibilizando-os acerca da importância de inclusão e respeito às diferenças, uma vez que o conhecimento é um direito de todos.</p> 2019-12-19T23:08:21-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/11072 Situação de Estudo (SE) Relações bióticas e abióticas em uma mata: da sua elaboração a implementação no ensino fundamental 2020-01-17T13:48:46-03:00 Lílian Corrêa Costa-Beber liliantutty@hotmail.com Vidica Bianchi vidica.bianchi@unijui.edu.br <p>Necessitamos de mudanças curriculares, como a Situação de Estudo (SE), que forme os alunos enquanto sujeitos críticos e ativos no seu aprendizado, vinculado a um contexto real. Esse artigo contempla a elaboração e implementação da SE “Relações bióticas e abióticas em uma mata” em uma turma de ensino fundamental, análise do feedback dos alunos e posterior reformulação na tríade de professores. A SE foi problematizada com a visita ao bosque. Assim como as demais atividades, foi acompanhada de interações, que possibilitaram a percepção de conhecimentos prévios, e a necessidade de dosar os conteúdos conforme o tempo disponível. Foi preciso estar atento as discussões geradas em sala de aula para adaptar a SE de acordo com as necessidades da turma, em termos de conteúdo e atividades, pois ela não é estática. Concluímos que a implementação da SE auxiliou na constituição dos alunos enquanto sujeitos ativos no seu aprendizado.</p> 2019-12-19T00:00:00-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/11028 Formação complementar de professores: análise de um curso de atividades por investigação 2020-01-17T13:48:15-03:00 Eglaia Carvalho eglaia@hotmail.com Mariana Aparecida Bologna Soares de Andrade mariana.bologna@gmail.com <p>Este artigo contém a análise de um curso de formação complementar para professores com o tema “Atividades Práticas de Genética, Evolução e Biotecnologia”, que aconteceu em três encontros de oito horas cada. O grupo de participantes constituiu-se de onze professores, dos quais sete eram de formação continuada, e quatro de formação inicial. Os envolvidos participaram da elaboração e execução de atividades práticas com a temática acima, e estas proporcionaram espaços para reflexão e discussão da prática docente sob o enfoque da teoria da resolução de problemas.</p> 2019-12-19T23:21:33-03:00 ##submission.copyrightStatement## https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/RIS/article/view/10999 A Inserção da perspectiva Ciência- Tecnologia-Sociedade na formação inicial de professores de Química 2020-01-17T13:48:13-03:00 SINARA MÜNCHEN sinara.munchen@uffs.edu.br <p class="ResumoRevista" style="margin-bottom: .0001pt; text-indent: 0cm;"><span style="font-size: 12.0pt; font-family: 'Times New Roman',serif;">Neste trabalho investigou-se a inserção da perspectiva Ciência-Tecnologia-Sociedade (CTS) na formação inicial de professores em um componente curricular de Prática de Ensino, com estudantes de Licenciatura em Química de uma Instituição da região Centro-Oeste do país. Os instrumentos usados para coleta de dados foram dois questionários e sequências didáticas (SD) elaboradas pelos participantes da pesquisa. A partir dos dados dos questionários indica-se que os licenciandos apresentaram um conhecimento incipiente sobre a abordagem CTS no ensino, pois alguns aspectos ainda reforçam visões simplistas da ciência e tecnologia. As SD construídas destacam aspectos como o uso de temas, a tentativa de retomada da questão social ao final da SD, a discussão de assuntos controversos e de problemáticas ambientais, e as fragilidades evidenciadas são a exemplificação, a abordagem marcadamente conceitual e disciplinar e a ausência da discussão de questões tecnológicas. A partir das análises das SD pode-se observar que essa experiência desafiou os licenciandos a pensarem uma organização de ensino a partir de outra perspectiva. Embora, com diversas limitações, entende-se que é necessário que os professores em formação tenham espaços de discussão e reflexão acerca de abordagens de caráter mais amplo, apoiadas em temas/problemas relacionados ao contexto, e que possam discutir os modelos de desenvolvimento científico e tecnológico.</span></p> 2019-12-19T23:25:41-03:00 ##submission.copyrightStatement##