POTENCIAL DE USO DO FÓSFORO REMANESCENTE EM SUBSTITUIÇÃO À ANÁLISE DE TEXTURA EM SOLOS DA REGIÃO DAS MISSÕES

  • Rodrigo Gustavo Kulzer UFFS
  • Gustavo Luiz Garcia
  • Leandro Sebastiany Marshall
  • Renan Costa Beber Vieira
  • Hyago Dalavia Peixoto

Resumo

Os extratores de fósforo (P) atualmente utilizados para avaliar a disponibilidade de P do solo nos estados do Rio Grande do Sul (RS) e Santa Catarina (SC) são o Mehlich-1 e o Mehlich-3. Ambos os métodos são sensíveis ao poder tampão de P do solo, reduzindo a extração de P à medida que aumenta o tamponamento. Em virtude desta limitação, utiliza-se a separação dos solos pelo teor de argila. Porém, a análise de textura como indicador da capacidade tamponamento de P apresenta limitações por ser demorada, onerosa e sujeita à muitas variações, principalmente em solos argilosos com altos teores de óxidos e de matéria orgânica, subestimando o real conteúdo de argila e incorrendo em interpretações equivocadas da disponibilidade de P no solo. O P remanescente (P-rem) é um método alternativo que avalia diretamente a imobilização de P, sendo mais rápido e preciso que o teor de argila. Porém, a aplicação prática do P-rem enfrenta dificuldades em razão da grande diversidade mineralógica, manejo, adubação e fertilidade dos solos, demandando pesquisa sobre as características que afetam o P-rem e seu uso em substituição à argila.
Publicado
21-08-2018
Como Citar
KULZER, Rodrigo Gustavo et al. POTENCIAL DE USO DO FÓSFORO REMANESCENTE EM SUBSTITUIÇÃO À ANÁLISE DE TEXTURA EM SOLOS DA REGIÃO DAS MISSÕES. JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA, [S.l.], v. 1, n. 8, ago. 2018. ISSN 2526-205X. Disponível em: <https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/JORNADA/article/view/8731>. Acesso em: 20 jan. 2019.