O ENFOQUE CTS E A BUSCA DE UMA CULTURA DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL NO DIRECIONAMENTO DADO DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO-TECNOLÓGICO: AMPLIAÇÃO DA COMPREENSÃO SOBRE A NÃO NEUTRALIDADE DA CIÊNCIA-TECNOLOGIA

  • Débora Larissa Brum Universidade Federal da Fronteira Sul Cerro Largo
  • Taís Regina Hansen
  • Rosemar Ayres dos Santos

Resumo

Mediante a educação, particularmente a Educação em Ciências, busca-se a constituição de uma cultura de participação social em processos decisórios envolvendo questões marcadas pela componente científico-tecnológica. Para que isso se torne possível, entende-se como necessária e indispensável a problematização da suposta neutralidade atribuída a ciência-tecnologia (CT), considerando que essa compreensão sustenta e legitima modelos decisórios tecnocráticos. Porém, no campo ciência-tecnologia-sociedade (CTS), diversas vezes, postula-se uma participação social que se compreende como limitada (SANTOS, 2016). Nesse cenário, emergiu o problema de pesquisa, o qual buscou investigar: Como a não neutralidade da CT e a presença de valores no desenvolvimento científico-tecnológico tem sido discutida nas práticas educativas CTS e quais encaminhamentos têm sido dados a essas práticas? Os encaminhamentos metodológicos seguiram de acordo com a Análise Textual Discursiva (ATD), esta constituída de três etapas: unitarização, categorização e a comunicação. Como resultados desse processo, identificamos 4 categorias: 1) Discursos que endossam a suposta neutralidade atribuída a CT; 2) Pertinência de práticas educativas CTS: cultura de participação social; 3) Percepção da presença de valores e intencionalidades; 4) Abordagens limitadas a avaliação do impactos da   CT. 
 

##submission.authorBiography##

Débora Larissa Brum, Universidade Federal da Fronteira Sul Cerro Largo
Os termos Calor e Temperatura muitas vezes são usados como sinônimos no dia-a-dia, porém mesmo que estes estejam associados possuem definições diferentes. Tratam de conceitos importantes para o estudante do ensino fundamental, pois são conhecimentos estruturantes para a compreensão de fenômenos diários, bem como de outros conceitos científicos. Sendo assim, elaborou-se uma estratégia didática desenvolvida com estudantes de uma turma do 9° ano da Escola Estadual de Ensino Fundamental Sargento Sílvio Hollenbach, no município de Cerro Largo – RS. Tal estratégia trata de uma aula prática e experimental desenvolvida, através das ações do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência, subprojeto PIBID Interdisciplinar. Esta aula teve como objetivo possibilitar a compreensão dos estudantes sobre a diferença entre calor e temperatura, dando ênfase ao uso dos termos “frio e quente”, os quais não se caracterizam como conceitos científicos. Também buscou-se contribuir para que eles reconheçam conceitualmente calor e temperatura relacionando com as vivências cotidianas. No primeiro momento da aula os alunos foram questionados acerca de suas compreensões sobre o tema proposto, no momento em que a questão norteadora do trabalho foi: O que significa calor? O que significa Temperatura? Na sequencia, os alunos confeccionaram cartazes apresentando as teorias utilizadas para explicar a origem do calor e do calórico. Esta etapa é significativa para promover nos estudantes maior compreensão acerca do processo histórico, pois resgatando a história observa-se de que forma os cientistas desenvolveram as teorias. Num terceiro momento, buscou-se a realização de uma atividade prática, para a qual foram utilizados os seguintes materiais: três beckeres de 600ml, um contendo água em temperatura ambiente, um com a temperatura mais elevada e outro com a temperatura menor, e dois termômetros. Durante o experimento os estudantes colocavam um dedo no frasco contendo água fria ao mesmo tempo em que colocavam outro dedo em um recipiente contendo água aquecida, aguardavam um momento e explicavam suas sensações. Na sequencia colocavam ambos os dedos de forma concomitante no frasco contendo água na temperatura ambiente, as sensações explicitadas foram as mesmas na grande maioria, pois afirmavam que o dedo que estava na água fria ao ser colocado na água com temperatura ambiente passou-lhes uma sensação de calor, enquanto o outro que estava na água morna ao ser colocado na água em temperatura ambiente passou-lhes uma sensação de frio. No decorrer da aula apresentou-se o conceito de calor e temperatura com auxílio de slides e um vídeo para complementar o aprendizado, os estudantes explicitaram que calor é uma forma de energia em trânsito e temperatura é um grandeza que mede o estado de agitação das moléculas. Cabe destacar, que ao final do processo realizou-se um momento de sistematização e verificação de como os estudantes compreenderam os conceitos abordados em aula, buscou-se esclarecer equívocos conceituais nas colocações dos estudantes. Identificou-se que grande parte dos alunos foram capazes de compreender e diferenciar os conceitos, se desprendendo da ideia errônea que tinham acerca dos conceitos.
Publicado
14-09-2018
Como Citar
BRUM, Débora Larissa; HANSEN, Taís Regina; DOS SANTOS, Rosemar Ayres. O ENFOQUE CTS E A BUSCA DE UMA CULTURA DE PARTICIPAÇÃO SOCIAL NO DIRECIONAMENTO DADO DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO-TECNOLÓGICO: AMPLIAÇÃO DA COMPREENSÃO SOBRE A NÃO NEUTRALIDADE DA CIÊNCIA-TECNOLOGIA. JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA, [S.l.], v. 1, n. 8, set. 2018. ISSN 2526-205X. Disponível em: <https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/JORNADA/article/view/8478>. Acesso em: 16 jan. 2019.