PRÁTICAS DE CARTOGRAFIA PARA FUNDAMENTAR UMA EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA E QUILOMBOLA

  • Matheus Eilers Penha UFRGS
  • Claudia Luisa Zeferino Pires

Resumo

Este trabalho busca entender como práticas de cartografia podem visibilizar a identidade quilombola e o pertencimento dos jovens quilombolas para fundamentar uma educação quilombola. A pesquisa acontece no Quilombo dos Alpes/Porto Alegre/RS em parceria com a Associação Quilombo dos Alpes Dona Edwirges e não trata de questões escolares, mas insere-se numa agenda de ações da comunidade, fruto de uma parceria com a universidade. A partir de duas oficinas, analisa-se o entrelaçamento entre território, lugar e identidade cultural, considerando que o pertencimento acontece a partir do cotidiano e de sua relação com essas questões trabalhadas nas cartografias. Foram produzidos mapas mentais individuais e um mapa colaborativo de marcadores territoriais das jovens quilombolas.
Publicado
22-10-2018
Como Citar
PENHA, Matheus Eilers; PIRES, Claudia Luisa Zeferino. PRÁTICAS DE CARTOGRAFIA PARA FUNDAMENTAR UMA EDUCAÇÃO GEOGRÁFICA E QUILOMBOLA. XXXV Encontro Estadual de Geografia (EEG) 2018 - “A diversidade da Geografia e a Geografia da diversidade nas primeiras décadas do século XXI”, [S.l.], n. 35, p. 10, out. 2018. ISSN 1983-070X. Disponível em: <https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/EEG/article/view/10456>. Acesso em: 19 jan. 2019.