INTERFACE ENTRE FORMAÇÃO E A PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE: PERCEPÇÕES ACADÊMICAS

  • Bruna Marta kleinert Halberstadt Universidade Federal de Santa Maria -UFSM
  • Elisa Rucks Megier Enfermeira. Universidade Federal de Santa Maria.
  • Isabel Cristine Oliveira Enfermeira. Pós-Graduanda - Mestrado em Enfermagem. Universidade Federal de Santa Maria.
  • Rafaela Souza Nutricionista. Pós-Graduanda - Mestrado em Enfermagem. Universidade Federal de Santa Maria.
  • Kamilla Borges Cruz Enfermeira. Especialista em Saúde da família e comunidade GHC.
  • Teresinha Heck Weiller Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Pró-Reitora da Universidade Federal de Santa Maria.

Resumo

Resumo: objetivando descrever a experiência da inserção de um estudante de enfermagem na Região de Saúde pioneira do processo de Planificação da Atenção Primária em Saúde (APS), a apresentação do presente estudo trata-se de um relato de experiência, vivenciado por meio da atuação do estudante na 4ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), que integra a região central do estado Rio Grande do Sul. A experiência foi oportunizada mediante o estágio de graduação no primeiro semestre de 2017. A região da 4ª CRS é subdividida em duas microrregiões de saúde: Região Entre Rios, que integra onze municípios e Região Verdes Campos, constituída por vinte e um municípios. Diante dos desafios que o Sistema Único de Saúde (SUS) vem enfrentando, surge a necessidade de reorganizar e qualificar atenção à saúde. Nesta lógica, foi proposta pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), a implementação do processo de Planificação da APS, no qual teve adesão de 17 municípios da 4ª CRS. A Planificação da saúde tem como objetivo fortalecer e qualificar através do planejamento estratégico o processo de trabalho da equipe que atua na atenção básica. Nesta percepção metodológica, a inserção dos estudantes no cenário de gestão em saúde é importante na qualificação do processo de formação. A concepção ampliada e articulada do processo de gestão permite ao estudante vivenciar experiências que auxiliam a compreender, por meio de uma postura crítica e reflexiva, as fragilidades que podem ser evidenciadas nos cenários dos serviços de saúde dos municípios. A Planificação em saúde na região articulou-se às metodologias ativas e desta forma, reorganizou o processo de trabalho das equipes atuantes na 4ª CRS, assim como tutores e apoiadores internos das unidades laboratoriais. Evidencia-se que as mudanças ocorridas com implementação das Políticas Públicas em Saúde, refletem nas instituições de ensino superior, reafirmando a necessidade de um processo de readequação das diretrizes curriculares, inserindo os estudantes nos diferentes cenários da Rede de Atenção à Saúde (RAS). Nesse ínterim considera-se necessário a atuação de estudantes do curso de enfermagem em ambientes interdisciplinares, permitindo uma formação em saúde com percepção ampliada sobre a organização das RAS. Conclui-se que a experiência de atuar durante o processo de formação acadêmica no cenário de gestão em saúde é complexo e desafiador, mas necessário diante da organização sistêmica do SUS. Evidencia-se como fundamental uma formação que vai ao encontro das necessidades apresentadas pelos contextos de saúde atuais, sendo relevante que este futuro profissional tenha capacidade, habilidade e conhecimento em gestão de saúde. Palavras-chave: Atenção primária à saúde; Gestão em saúde; Planejamento.

##submission.authorBiography##

Bruna Marta kleinert Halberstadt, Universidade Federal de Santa Maria -UFSM
Enfermeira. Graduada do curso de Enfermagem em Saúde pelo Centro Universitário Franciscano- UNIFRA,Santa Maria,RS. Participa do Grupo de Estudos e Pesquisa em Empreendedorismo Social da Enfermagem e Saúde(GEPESES). Foi bolsista de iniciação cientifica da Fundação de Apoio a Pesquisa no Rio Grande do Sul (FAPERGS) MS/CNPq/SESRS do edital n. 002/2013 com o projeto "Formação em Educação Permanente e Popular em Saúde " - PPSUS 2013/2015. No qual teve como objetivo geral desenvolver uma cultura local valorativa e proativa das questões que dizem respeito ao Sistema Único de Saúde (SUS), por meio de uma pesquisa-ação com foco na formação em Educação Permanente e Popular em Saúde. Foi monitora da disciplina de Semiologia e Semiotécnica em Enfermagem durante o primeiro semestre e da disciplina de Metodologia Cientifica no segundo semestre de 2016. Participou voluntariamente do projeto de pesquisa "Qualidade da atenção à saúde materno infantil", por meio de boas práticas integradoras e sistêmicas; Sob a Resolução Nº 466/12 do Conselho Nacional de Saúde. Durante o primeiro semestre de 2017 foi bolsista voluntária do Programa Educação Pelo Trabalho - PET - Saúde/GraduaSUS do Centro Universitário Franciscano. Atuou como visitador do Programa Primeira Infância Melhor - PIM articulado a Secretária Municipal de Saúde do Município de Santa Maria entre o período de 2016 a 2017.
Publicado
21-03-2018
Como Citar
KLEINERT HALBERSTADT, Bruna Marta et al. INTERFACE ENTRE FORMAÇÃO E A PLANIFICAÇÃO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE: PERCEPÇÕES ACADÊMICAS. Congresso Internacional de Políticas Públicas de Saúde, [S.l.], v. 1, n. 1, mar. 2018. Disponível em: <https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/CIPPS/article/view/7294>. Acesso em: 20 jan. 2019.
Seção
Planejamento e Gestão dos Sistemas de Saúde