CONHECIMENTO DOS ENFERMEIROS SOBRE SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NA ESTRATEGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

  • Cristina Carvalho Oliveira Faculdade Montes Belos-FMB

Resumo

Objetivos: Analisar o conhecimento dos enfermeiros sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE) enquanto instrumento de organização do trabalho e qualificação da assistência de Enfermagem na Saúde da Família; identificar as dificuldades encontradas para a efetivação da Sistematização da Assistência de Enfermagem na Saúde da Família. Metodologia: Trata-se de um estudo descritivo com abordagem quantitativa, realizado nos municípios de São Luís de Montes Belos (SLMB e Itaberaí. A população foi composta de 16 enfermeiros, 7 de SLMB (87,5% dos enfermeiros que atuam na ESF em SLMB)  e 9 em Itaberaí (100% dos enfermeiros que atuam nas ESFs). A coleta de dados foi realizada em outubro de 2016, por meio da aplicação de um questionário estruturado. O estudo recebeu parecer favorável em Comissão de Ética em Pesquisa da Faculdade União de Goyazes (Protocolo 063/2016-2). Resultado: No município de São Luís de Montes Belos 72% não utiliza nenhuma das taxonomias (NANDA/CIPE), 14% utiliza a NANDA e 14% utiliza a CIPE. No município e Itaberaí-GO 67% não utiliza nenhuma das taxonomias supracitadas, 22% faz uso da NANDA e 11% não respondeu à pergunta. As dificuldades encontradas foram: Desvalorização profissional (56%) Itaberaí e (43%) SLMB e; Descontinuidade do trabalho (57%) SLMB e (44%) Itaberaí; Burocracia (57%) SLMB e (22%) Itaberaí; Falta de capacitação (90%) SLMB e (84%) Itaberaí; Condição inadequada do serviço (44%) Itaberaí e (29%) SLMB; Complexidade na formulação do diagnóstico (29%) SLMB e (22%) Itaberaí; Sobrecarga elevada (86%) SLMB e (70%) Itaberaí; Quantidade de usuários os (90%) Itaberaí e (71%) SLMB. Conclusão: A maioria dos enfermeiros não tinha conhecimento sobre a SAE no que tange ao processo de enfermagem e não utilizavam em sua prática. Os enfermeiros justificaram diversas razões para não trabalharem com a SAE, dentre elas, falta de capacitação, sobrecarga dentro ESF e questões burocráticas. Existe a necessidade de maiores debates e incentivos no meio assistencial, gestão e o ensino, como sugere a Política Nacional de Educação Permanente, para o desenvolvimento de aspectos primordiais na qualificação da assistência em saúde, especialmente no âmbito da Atenção Básica, como a SAE. Palavras-chave: Conhecimento. Enfermeiros. Sistematização da Assistência de Enfermagem. Estratégia Saúde da Família.  

##submission.authorBiography##

Cristina Carvalho Oliveira, Faculdade Montes Belos-FMB
Enfermeira, Especialista em Saúde Pública e Estratégia Saúde da Familia . Atualmente docente dos departamentos de Enfermagem, Fisioterapia, Farmácia e nutrição da Faculdade Montes Belos.Atuou como Perceptora do Hospital Santa Gemma em Firminópolis e do Hospital Municipal Dr. Geraldo Landó de São Luis de Montes Belos,como enfermeira da atenção Básica de Cachoeira de Goiás e professora do Colégio Montes Belos.Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Sistematização Assistência em Enfermagem e Saúde Pública, atuando principalmente nos seguintes temas: assistência de enfermagem, promoção, prevenção e recuperação do individuo, da família e da comunidade.

Referências

ALFARO LE-FREVE, R. Aplicação do processo de enfermagem: promoção do cuidado colaborativo. Trad. Regina Garcez. 5.ed. Porto Alegre: Artmed, 2005. Aplicação do processo de enfermagem: promoção do cuidado colaborativo. Trad. Regina Garcez. 7.ed. Porto Alegre: Artmed, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342007000300024 Acesso em: 09/11/2016.

BACKES, D.E.; SCHWARTZ, E. Implementação da sistematização da assistência de enfermagem: desafios e conquistas do ponto de vista gerencial. Ciência, Cuidado e Saúde Maringá, v. 4, n. 2, p. 182-188, maio/ago, 2005.Disponível http://ojs.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/viewFile/5247/3374.Acesso em: 10/11/2016.

BARRETO, P.L.; OLIVEIRA, F.M.; SILVA, R.C.P. Utilização do processo de enfermagem em diabéticos nas unidades de saúde de Coronel Fabriciano, Minas Gerais. Minas Gerais, 2007.Disponível em: http://ojs.unifor.br/index.php/RBPS/article/view/1002. Acesso em:08/11/2016.

BRASIL, Ministério da Saúde-MS.PORTARIA Nº 2.488, DE 21 DE OUTUBRO DE 2011. Dispõe sobre a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica, para a Estratégia Saúde da Família (ESF) e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS). Disponível:http://www.saude.mt.gov.br/atencao-a-saude/arquivo/2581/portaria.Acesso em: 06/08/2016.

BRASIL. Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção Básica. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica- 4ª ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2007. Disponível:http://dab.saude.gov.br/docs/publicacoes/pactos/pactos_vol4.pdfAcesso em: 05/08/2016.

BARROS, D.G.; CHIESA, A.M. Autonomia e necessidades de saúde na Sistematização da Assistência de Enfermagem no olhar da saúde coletiva. Rev Esc Enferm. USP. 2007;41(n. esp):7938.Disponivel:http://www.scielo.br/scielo.php? Script=sci_arttext&pid=S0080-62342007000500009.Acesso: 10/08/2016.

BARBOSA, E. P.; D, E BIASI, L. S. ZAGO, V. L. P. PAINI, J. P. SEVERO, C. M. Sistematização da assistência de enfermagem: Dificuldades de implantação na visão do Enfermeiro. PERSPECTIVA, Erechim. v.36, n.133, p.41-51, março/2012.Disponivel:http://www.uricer.edu.br/site/pdfs/perspectiva/133_249.pdf.
Acesso em: 08/11/2016.

CARPENITO-MOYET, L.J. Diagnósticos de Enfermagem: aplicação à prática clínica. 10.ed. Porto Alegre: Artmed, 2005.
Acesso em: 11/11/2016.

CARVALHO, S.C.; SILVA, S.P.; FERREIRA, L.S.; CORREA, A.S.; Reflexo da Sistematização da assistência de enfermagem (SAE) na consulta de enfermagem. Revista Rede de Cuidados em saúde, vol.2 no.2. 2008. Acesso em: 14/08/2016.

CAMPOS, C.J.G.; TURATO, E.R. Content analysis in studies using the clinical-qualitative method: application and perspectives. Rev Lat Am Enfermagem [Internet],2009.Disponivel:http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S010411692009000200019&script=sci_arttext&tlng=pt. Acesso em: 16/09/2016.

Conselho Federal de Enfermagem. Resolução n. 358, de 15 de outubro de 2009. Dispõe sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem e a implementação do processo de enfermagem em ambientes, públicos ou privados, em que ocorre o cuidado profissional de enfermagem, e dá outras providências. Rio de Janeiro: COFEN; 2009.Disponivel:http://www.cofen.gov.br/resoluo-cofen-3582009_4384.htmlAcesso em: 12/08/2016.

Conselho Federal de Enfermagem. Resolução n. 159, de 19 de abril de 1993. Dispõe sobre a consulta de Enfermagem. Rio de Janeiro: COFEN; 1993.Disponivel: http://www.cofen.gov.br/resoluocofen1591993_4241.html.Acesso em:14/08/2016.

COSTA, G.D.; COTTA, R.M.M.; FERREIRA, M.L.S.M.; REIS, J. R, FRANCESCHINI, S.C.C. Saúde da família: desafios no processo de reorientação do modelo assistencial. Rev Bras Enferm. 2009;62(1):113-8.Disponivel:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S003471672009000100017.Acesso : 05/08/2016.

BORGES, D. O.; ANJOS, A. C. Y. Sistematização da assistência de enfermagem ao paciente em tratamento quimioterápico: adesão às orientações e a efetividade na diminuição de efeitos colaterais e atrasos no tratamento. Rev Bras Enferm. Vol 5, nº 2 ,2010.Disponivel:http://www.seer.ufu.br/index.php/horizontecientifico/article/view/13500 Acesso em: 05/11/2016.

FULY, P.S.C; LEITE, J. L.; LIMA, S.B.S. Correntes de pensamento nacionais sobre sistematização da assistência de enfermagem. Rev Bras Enferm. 2008;61(6):883-7.Disponivel: http://www.scielo.br/pdf/reben/v61n6/a15v61n6.pdf. Acesso em: 15/08/2016.

GIUSTI, A.C.B.S; PELLISON F, MENDES, W.S.R.; MELO, L.L. Criança com displasia ectodérmica: diagnósticos e intervenções de enfemagem baseadas em NANDA e NIC. Rev. Arq Ciênc Saúde. 2006;13(1):39-43.Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010321002011000100018 Acesso em: 11/11/2016.

GARCIA, T.R.; NÓBREGA, M.M.L.; Processo de enfermagem: da teoria à prática assistencial e de pesquisa. Esc Anna Nery Rev Enferm, 2009.Disponivel:http://www.scielo.br/pdf/ean/v13n1/v13n1a26.pdf Acesso em: 07/11/2016.

KLETEMBERG, D.F; MANTOVANI, M.F.; LACERDA, M.R. Entre a teoria e as práticas do cuidar: que caminho trilhar? Cogitare enferm. 2004;9(1):94-9.Disponivel:http://www.periodicos.ufc.br/index.php/rene/article/viewFile/4039/3169 Acesso em: 12/08/2016.

KRAUZER I. M.; ADAMY, E. K.; ASCARI, R.; FERRAZ, L.; TRINDADE L. L.; NEISS, M. Sistematização da assistência de enfermagem na atenção básica: o que dizem os enfermeiros?. Rev.Ciência y enfermeria (2): 31-38, 2015.Disponivel:http://www.scielo.cl/pdf/cienf/v21n2/art_04.pdf.Acesso: 01/11/2016.

SCHAURICH, D.; GROSSETTI, M.G.O. Produção do conhecimento sobre teorias de enfermagem: análise de periódicos da área, 1998-2007. Esc. Anna Nery. 2010;14(1):182-88. Acesso em: 09/08/2016.

SILVA, E.G. C.; OLIVEIRA, V. C.; NEVES, G.B.C.; GUIMARÃES, M.R.G. O conhecimento do enfermeiro sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem: da teoria à prática. Rev Esc EnfermUSP,2011.Dispovel:http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v45n6/v45n6a15.pdf Acesso em: 01/11/2016.

TAKAHASHI, A.A.; BARROS, A.L.B.L.; MICHEL, J.L.M.; SOUZA, M.F.; Dificuldades e facilidades aponta das por enfermeiras de um hospital de ensino na execução do processo de enfermagem. Acta Paul Enferm, 2008.Disponivel: http://www.scielo.br/pdf/ape/v21n1/pt_04.pdf. Acesso em 03/11/2016.

VARELA, G.C.; FERNANDES, S.C.A.; QUEIROZ; J.C.; VIEIRA, A.N.; AZEVEDO V, R.C.; Sistematização da assistência de enfermagem na estratégia saúde da família: limites e possibilidades Rev Rene. 2012; 13(4):816-24.Disponível em:file:///C:/Users/pratique/Downloads/1076-4332-1-PB.pdf.Acesso em: 13/11/2016.

KEMIZOSKI, J.; ROCHA, M.M.; VALL, J. Dificuldades na implantação da sistematização da assistência de enfermagem- SAE: uma revisão teórica. Curitiba,2010.Disponivel:http://www.redalyc.org/pdf/260/26025372005.pdfAcesso em: 14/11/2016.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Atenção Básica. [Internet] 2006 [acesso em 18 dez 2010]. Disponível: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/ politica_nacional_atencao_basica_2006.pdf.Disponível em:http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/pnab.pdf Acesso em: 14/11/2016.

MENEZES S. R. T., Margareth Rose Priel2, Luciane Lucio Pereira. Autonomia e vulnerabilidade do enfermeiro na prática da Sistematização da Assistência de Enfermagem. Rev Esc Enferm USP 2011; 45(4):953-8. Acesso em: 06/08/2016.

NEVES, R.S.; SHIMIZU, H.E. Análise da implementação da Sistematização da Assistência de Enfermagem em uma unidade de reabilitação. Rev Bras Enferm, Brasília, v.63, n.2, p.222-9, mar.-abr. 2010.Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reben/v63n2/09. Acesso em: 07/08/2016.

NANDA ((North American Nursing Diagnosis Association): definições e classificações 2007-2008. Trad. Jeanne Liliane Marlene Michel. Porto Alegre: Artmed, 2009/2011. p. 436. Acesso em:12/11/2016.

OLIVEIRA, C. M; CARVALHO, D.V.; PEIXOTO, E. R. M; CAMELO, L. V.; SALVIANO, M.E.M. Percepção da equipe de enfermagem sobre a implementação do processo de enfermagem em uma unidade de um hospital universitário. Rev. Min. Enferm.;16(2): 258-263, abr./jun., 2012.Disponível em: http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/527Acesso em:12/11/2016.

OLIVEIRA, J.C.A; TAVARES, D.M.S. Atenção ao idoso na estratégia de saúde da família: atuação do enfermeiro. Rev. Esc Enferm USP, 2010.Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v44n3/32.pdf Acesso em: 13/11/2016.

PEREIRA, Raliane Talita Alberto. A consulta de enfermagem na estratégia saúde da família. REVISTA UNIARA, v.17, n.1, julho 2014.Disponível em: http://www.revistarebram.com/index.php/revistauniara/article/view/10 Acesso em: 06/11/2016.

PIMPÃO, F, D. et al. Percepção da equipe de enfermagem sobre seus registros: Buscando a sistematização da assistência de enfermagem. Rio de Janeiro, 2010. Disponível em: http://www.facenf.uerj.br/v18n3/v18n3a12.pdfAcesso em: 15/11/2016.

OLIVEIRA, R. T.; GAIZINSKI, R.R.; Tempo despendido no sistema de assistência de enfermagem após implementação de sistema padronizado de linguagem. Rev Esc Enferm USP, 2008. Acesso em: 16/11/2016.

PIVOTO, F.; FILHO, W.D.L.; LUNARDI, V.L. Prescrição de enfermagem: dos motivos da não realização às possíveis estratégias de implementação. Rev Cogitare Enferm, v. 09, n. 02, 2004. Acesso em: 17/11/2016.

ROSA, R. B.; LIMA, M. A. D. S. Concepções de Acadêmicos de Enfermagem sobre o que é ser Enfermeiro. Acta Paulista de Enfermagem, São Paulo, v.18, n. 2, p. 125-130, junho. 2005.Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ape/v18n2/a02v18n2.pdf Acesso em: 04/11/2016.

Resolução COFEN Nº358/2009. Sistematização da assistência de enfermagem e a implementação do processo de enfermagem em ambientes, públicos ou privados, em que ocorre o cuidado profissional de enfermagem. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resoluo-cofen-3582009_4384.htmlAcesso em: 18/11/2016.

SANTANA, J.C.B; Rocha V.A.M; Oliveira E. et al. Percepção dos enfermeiros acerca da Sistematização da Assistência de Enfermagem na atenção básica de Belo Horizonte V. 16. N° 01. .Jan./Abr. 2013. Disponível em: file:///C:/Users/pratique/Downloads/12936-46380-1-SM.pdfAcesso: 02/11/2016.

SALES, L.M.; AFONSO, E.S.R.; SANTOS, T.V.C. Sistematização da assistência de enfermagem (SAE): uma pesquisa nas bases eletrônicas de dados. Revista Edu. Meio Amb. E Saúde, v.03, n.01, p.197-207, 2008.Disponível em: http://www.revista.ufpe.br/revistaenfermagem/index.php/revista/article/viewFile/5944/pdf_7136 Acesso em: 18/11/2016.

SILVA, M.E.D.C; PIMENTEL, S.M.L.R; SILVA, L.D.C; Rocha, S.S; LIMA, P.L; LIMA, D.L. A sistematização da assistência de enfermagem na ótica de enfermeiros da estratégia saúde da família, Revista Interdisciplinar NOVAFAPI, Teresina. v.3, n.3, p.11-16. Acesso em: 20/11/2016.

SANTOS, J.R.S; MURAI, H. C. Metodologia e instrumentos para a implantação da Sistematização da Assistência de Enfermagem na atenção básica. Rev Enferm UNISA; 11(1): 43-7, 2010.Disponivel:http://www.unisa.br/graduacao/biologicas/enfer/revista/arquivos/2010-1-07.pdf Acesso em: 06/11/2016.

TANNURE, M.C; Gonçalves, A.M.P. SAE, Sistematização da Assistência de Enfermagem: guia prático. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan;2008. Disponível em:file:///C:/Users/pratique/Downloads/1076-4332-1-PB%20(1).pdf Acesso em: 13/08/2016.
Publicado
23-02-2018
Como Citar
OLIVEIRA, Cristina Carvalho. CONHECIMENTO DOS ENFERMEIROS SOBRE SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NA ESTRATEGIA SAÚDE DA FAMÍLIA. Congresso Internacional de Políticas Públicas de Saúde, [S.l.], v. 1, n. 1, fev. 2018. Disponível em: <https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/CIPPS/article/view/7119>. Acesso em: 20 jan. 2019.
Seção
Saberes e Práticas de Atenção à Saúde