ACESSO DAS MULHERES CAMPONESAS À TERRA NA CANTUQUIRIGUAÇU: BREVE LEITURA A PARTIR DA TEORIA FEMINISTA DA JUSTIÇA

  • Siomara Aparecida Marques Universidade Federal da Fronteira Sul Campus Laranjeiras do Sul

Resumo

Este estudo trata de alguns aspectos de uma pesquisa que busca analisar os movimentos de mulheres camponesas na luta pelos direitos à terra bem como as políticas públicas de garantia e permanência na terra. O referencial teórico pauta-se nos debates e estudos feministas da teoria da justiça, enfocando principalmente os estudos de Nancy Fraser sobre as categorias “reconhecimento” e “redistribuição”. Com base na proposta teórico metodológica de Fraser, integram-se analiticamente os aspectos emancipatórios das duas problemáticas – reconhecimento e redistribuição – na teoria da justiça. O espaço geopolítico da análise está limitado às comunidades rurais de assentamentos de reforma agrária e de pequenos agricultores do Território da Cidadania Cantuquiriguaçu - Paraná. O objetivo da análise é verificar como as políticas de redistribuição se articulam na prática com as políticas de reconhecimento, advindas da esfera do Estado a partir das reivindicações dos movimentos de mulheres pelo acesso à terra. A metodologia consiste em analisar, por meio de depoimentos e questionários as experiências das mulheres nos movimentos sociais pela reforma agrária e suas relações com as políticas públicas governamentais de acesso à terra e o que essas políticas tem contribuído para o empoderamento da mulher e para o desenvolvimento da região.
Publicado
16-12-2017
Como Citar
MARQUES, Siomara Aparecida. ACESSO DAS MULHERES CAMPONESAS À TERRA NA CANTUQUIRIGUAÇU: BREVE LEITURA A PARTIR DA TEORIA FEMINISTA DA JUSTIÇA. Congresso Internacional de Educação da UFFS LS - Território Cantuquiriguaçu, [S.l.], dez. 2017. ISSN 2595-1122. Disponível em: <https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/CANTU/article/view/6913>. Acesso em: 17 jan. 2019.