GESTOS DE INTERPRETAÇÂO DO LEITOR: OS PONTOS DE ENTRADA E DE FUGA NO TEXTO

  • Vanda Mari Trombetta Universidade Federal da Fronteira Sul

Resumo

Na ótica da Análise do Discurso de Linha Francesa, a leitura está imbricada aos “gestos de interpretação” (ORLANDI, 1988) do leitor. Com intuito de pesquisar um tema significativo à educação em diferentes níveis de escolaridade, buscamos neste estudo tecer reflexões tencionando pensar como o leitor encaminha o gesto de interpretação a partir da defesa de Orlandi (1988) de que um texto tem diferentes pontos de entrada e de fuga. Tal interesse parte do pressuposto da necessidade de que ao entender o(s) movimento(s) do leitor em um texto, a escola pode auxiliá-lo a produzir outras leituras. Os pontos de entrada são efeitos da relação do leitor com a historicidade do texto, ao passo que os pontos de fuga são o percurso da historicidade do leitor em relação ao texto. Assim, os pontos nos levam a pensar que o texto embora se mostre linearmente – linha após linha e parágrafo após parágrafo – na leitura essa pretensa linearidade não ocorre. De modo que, a depender da forma como os pontos de entrada e fuga ocorrem há uma desestruturação da linearidade proposta pelo autor do texto, indiciando, portanto, os gestos de interpretação do leitor.

##submission.authorBiography##

Vanda Mari Trombetta, Universidade Federal da Fronteira Sul
Professora de Letras da Universidade Federal da Fronteira do Sul.Mestrado em Letras (UPF)Doutorado em Letras (USP)

Referências

BIRMAN, J. A. O mal-estar na atualidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000.
Coracini, M. J.. Heterogeneidade e leitura na aula de língua materna. In: Coracini; Pereira (Orgs.) Discurso e sociedade: práticas em Análise do Discurso. Pelotas: Educat, 2001, p.137-154.
FABRINI, Ricardo Nascimento. Ensino de filosofia: a leitura e o acontecimento. Trans/Form/Ação, São Paulo, 28(1): 7-27, 2005.
ORLANDI. E. P. As histórias de leitura. In. ______. Discurso e leitura. Campinas: Cortez, p.41-47, 1988.
______. O inteligível, o interpretável e o compreensível. In. ______. Campinas: Cortez, p.101-117, 1988.
______. Interpretação: autoria, leitura e efeitos do trabalho simbólico. Petrópolis, RJ: Vozes,1996.
______. Discurso e texto: circulação de sentidos. Campinas: Pontes, 2001.
PÊCHEUX, M. (1969). Por uma análise automática do discurso. In: GADET, F. & HAK, T. (orgs.). Análise do discurso: uma introdução à obra de Michel Pêcheux. Campinas: Editora da UNICAMP, 1995.
ZOPPI-FONTANA, M.G. IV SEAD Seminário de Estudos em Análise do Discurso. Vol. 1, p.1-3, São Carlos, SP, BRASIL, 2007.
Publicado
14-12-2017
Como Citar
TROMBETTA, Vanda Mari. GESTOS DE INTERPRETAÇÂO DO LEITOR: OS PONTOS DE ENTRADA E DE FUGA NO TEXTO. Congresso Internacional de Educação da UFFS LS - Território Cantuquiriguaçu, [S.l.], dez. 2017. ISSN 2595-1122. Disponível em: <https://periodicos.uffs.edu.br/index.php/CANTU/article/view/6890>. Acesso em: 17 jan. 2019.